Confira o que fazer para melhorar o sinal do seu Wi-Fi.

Em um mundo totalmente interligado, onde a maioria das pessoas parece estar conectada de alguma forma, ficar sem internet é, com toda a certeza, um enorme pesadelo. Principalmente para aqueles que estão acostumados a mexer na internet constantemente.

Com a evolução dos aparelhos celulares, superando inclusive os PCs tradicionais, esta distância diminuiu ainda mais, abrindo portas para que qualquer pessoa se conecte a internet, de qualquer lugar, a qualquer hora. As próprias operadoras de telefonia vêm trabalhando fortemente para popularizar suas redes e fornecer o serviço para os usuários de smartphones.

Se antes era preciso uma “paciência de Jó” para poder acessar a internet, utilizar os computadores ou notebooks, atualmente basta um simples clique para descobrir todas as redes de WI-FI disponíveis onde você está. A verdade é que está ficando cada vez mais fácil manter-se conectado.

Além das operadoras de celular estarem trabalhando para facilitar a vida dos seus clientes, ainda existe uma infinidade de empresas dentro do mercado, todas elas fornecendo a instalação de franquias de internet dentro de casa, no trabalho, em shoppings e outros lugares públicos. O certo, é que nunca foi tão fácil entrar na internet.

Neste contexto, a rede de Wi-Fi, serviço fornecido através da instalação de internet por uma empresa, onde o sinal é distribuído através de um aparelho, conectado a linha de transmissão da empresa e tem como função repetir o sinal recebido para os aparelhos móveis. O problema é quando esta transmissão possui algum problema ou não transmite o sinal corretamente.

Para tentar ajudá-lo a resolver o problema, elaboramos algumas dicas que poderão auxiliar na melhora do desempenho na hora de utilizar a rede Wi-Fi.

A seguir, 5 dicas para melhorar o Wi-Fi:

1. Confira o seu plano de internet

O primeiro cuidado a ser tomado é procurar saber se a sua franquia de internet atende as suas necessidades. Antes de contratar é indispensável se informar quanto à velocidade do seu pacote e o seu limite de utilização. Lembrando que para cada tipo de atividade é necessário um pacote de internet diferente.

Portanto, é importante responder algumas questões como: a internet será utilizada na empresa ou em casa? Caso seja corporativa, que tipos de atividades serão realizadas? Para a internet caseira, será utilizada apenas para acesso comum a web ou o cliente deseja assistir filmes, entrar em salas de jogos virtuais, dentre outras atividades que demandam a contratação de uma franquia melhor?

Responder estas questões é primordial no ato da contratação, pois ajudará a resolver problemas futuros. Infelizmente, muitos contratam planos sem observar estes fatores e depois acabam tendo problemas na transmissão, visto que utilizou toda a sua franquia.

2. Cuidados com o Roteador

Como dito acima, o aparelho responsável por retransmitir o sinal recebido da empresa é o roteador. Para que você tenha a certeza quanto ao sinal, procure saber qual a distância máxima que o seu aparelho suporta enviar o sinal. Em ambientes muito grandes pode ser necessário utilizar um roteador mais potente ou instalar um repetidor de sinal.

Também é imprescindível manter o aparelho atualizado. Quanto mais novo o roteador, melhor o seu desempenho. Checar qual aparelho se adéqua melhor ao ambiente é fundamental. Outro cuidado é conferir qual a frequência do roteador antes de comprá-lo. Quanto menor a frequência, pior o sinal.

3. Em caso de lentidão, reinicie o aparelho

Você está utilizando a internet normalmente, seu aparelho até então funcionava muito bem, mas, de repente, o sinal começa a ficar fraco, o acesso se torna cada vez mais lento e você não consegue identificar o porquê. Uma atitude simples como desligar o roteador por 10’ e religá-lo em seguida pode resolver tudo.

Aliás, esta é uma etapa muito utilizada pelas empresas de telefonia quando os clientes ligam fazendo reclamação por falta ou lentidão de sinal do Wi-Fi. Parece simples, mas ajuda bastante.

4. Cuidados com a Segurança

Assim como você, milhões de pessoas estão à procura de uma rede Wi-Fi neste exato momento. Não sei se já reparou, mas quando se coloca para pesquisar a rede disponível, aprece uma lista centenas de nomes. A maioria está protegida por senha. Entretanto, até o mais leigo pode baixar um aplicativo para tentar descobrir qual a senha do seu Wi-Fi.

Uma das formas de minimizar este problema é tornando a sua rede oculta. Desta forma, quando as pessoas procurarem por algum sinal, a sua linha de transmissão não será relacionada. É claro que existem programas voltados para descobrir redes ocultas, todavia esta incidência é menor.

5. Velha e boa dica caseira

Ao realizar todas as etapas e a sua internet continua lenta, apele para uma solução mais amadora, mas que muitas pessoas utilizam e dizem dar certo. Embora não tenha nenhuma comprovação técnica em relação a isto. Coloque um alumínio atrás do roteador, os “especialistas amadores” garantem que esta é uma das melhores opções para melhor o sinal do Wi-Fi.

Por Juanito Carvalho

Wi-Fi


As vendas de tablets continuam subindo no Brasil, mas muitos clientes se atentam apenas ao valor do produto sem se preocupar com as diferenças sobre as configurações.

Não é só a memória do aparelho que conta. Quem pretende usar a internet também precisa se atentar aos tipos de conexão.

Os tablets mais baratos se conectam à internet apenas via Wi-Fi, para poder conectar será necessário estar em ambiente com rede.

Quem é cliente de operadoras de telefonia móvel e quer usar o pacote de dados no tablet precisa comprar aparelhos com conexão 3G, porém, não são todos os modelos que vêm com este tipo de acesso.

Uma recente pesquisa da GFK Consultoria comenta que aparelhos com conexão 3G custam em média R$ 350 a mais que os modelos que só conectam via Wi-Fi.

Para se ter uma ideia, o iPad 4 com acesso 3G e Wi-Fi custa R$ 2.100,00, o modelo com apenas Wi-Fi custa R$ 1.750,00.

A diferença de preço na produção do aparelho é o que faz com que os modelos mais vendidos no Brasil sejam os com conexão Wi-Fi. Os modelos brasileiros que possuem as duas alternativas de conexão com a internet custam em média R$ 1.400,00, com apenas Wi-Fi o aparelho sai por R$ 620.

Por Leiliane Lopes


Além da preocupação da Apple quanto ao aquecimento excessivo do iPad, agora surgiu mais um problema: a antena Wi-Fi.

Isso porque recentemente foram feitas várias reclamações de usuários com relação à conexão, o que chamou a atenção da fabricante. Conforme um documento que circulou internamente com os funcionários da AppleCare, a própria Apple vai investigar diretamente as reclamações.

Os usuários vêm alegando a lentidão excessiva e a queda de sinal frequente com relação ao Wi-Fi utilizado no novo tablet da Apple, tanto em downloads quanto em uploads. Estes problemas foram reportados por mais de setecentos usuários do iPad, nos fóruns de suporte da Apple.

A mensagem interna, divulgada pelo site 9to5Mac.com, ainda diz que os funcionários das lojas oficiais devem recolher os equipamentos defeituosos e enviá-los para um dos centros de engenharia da fabricante, local onde o hardware será analisado para que se chegue a uma solução.

Não é a primeira vez que algum aparelho Apple mostra problema com conexão à internet, tendo em vista que no ano de 2010 a fabricante informou que o iPhone 4 teria problemas de conexão com o 3G, afirmando que o sistema operacional iOS era o responsável.

Por Guilherme Marcon





CONTINUE NAVEGANDO: