Confira aqui as principais novidades e as configurações do novo Samsung Galaxy Tab A.

O Galaxy Tab A 2016 é um tablet da Samsung voltado para um público que deseja ter mais produtividade em sua rotina. Ou seja, provavelmente para usuários que precisam de ferramentas e dispositivos práticos para realizar suas tarefas tanto em âmbito empresarial ou até mesmo educacional.

SPen

A SPen é uma caneta inteligente que pode facilitar muito a vida de quem precisa fazer anotações, rascunhar ideias, além de permitir a leitura, análise, aprovação e compartilhamento de documentos rapidamente.

Dessa forma, entre os recursos do Galaxy Tab A 2016 estão: blocos de notas que podem ser salvos e editados a qualquer momento; caderno digital, que permite anotações e escritas diversas; seleção e colagem de conteúdos tanto da web quanto do próprio aparelho; inclusão de assinatura digital em PDF; entre outros.

Portanto, pode ser muito bem utilizado em reuniões e para estudos diversos, pois permite a integração de ideias em multimídias. Assim, o velho papel e caneta podem estar com os dias contados. E o uso de notebook nem sempre é muito prático. Então, esse tipo de tablet poder ser muito bem-vindo.

Segurança e personalização

Em tempos de roubos digitais, nada como poder compartilhar informações sigilosas com segurança. Pensando nisso, a Samsung utilizou a plataforma Knox, a qual facilita o gerenciamento de permissões de acesso a esse tipo de dado. Além disso, nela são utilizadas chaves de criptografia armazenadas na TrustZone. Por isso, somente quem tiver autorização poderá visualizar tais informações.

O tablet também possui o modo multiusuário, que permite que até oito pessoas personalizem o aparelho de acordo com suas necessidades individuais.

Ainda é possível personalizar o dispositivo de acordo com a identidade visual de qualquer negócio ou empresa.

Pontos principais

Quem busca câmeras de altas resoluções poderá se decepcionar com o Galaxy Tab A 2016, pois a sua câmera traseira é de 8MP, enquanto a frontal é de 2MP. Mesmo assim, imagens voltadas somente para o ambiente digital talvez não percam tanta qualidade.

Já a tela tem o ótimo tamanho de 10.1’’, agradando aqueles que gostam de assistir muitos vídeos, por exemplo.

O design do tablet é bem interessante e agrada pelos detalhes finos e elegantes. A bateria é também seu outro ponto forte, afinal é de 7.300mAh.

O aparelho deverá ser vendido no site da Samsung por R$ 2.099, mas no momento se encontra indisponível para compra.

Especificações básicas

Veja algumas das especificações básicas do Galaxy Tab A 2016:

  • Sistema Android Marshmallow 6.0.
  • Processador OctaCore.
  • Memória RAM de 3GB.
  • Memória interna de 16GB, expansível com cartão microSD.
  • Tela HD de 10.1’’.
  • Resolução de tela de 1.920 x 1.200.
  • Câmera traseira de 8MP.
  • Câmera frontal de 2MP.
  • Bateria de 7.300mAh.

Gostou do Galaxy Tab A 2016? Qual outro tablet você indicaria para melhoria da produtividade?

Por Camilla Silva


Novo tablet é voltado para mercados emergentes e deve agradar usuários que buscam um aparelho para navegar na internet ou ler um livro.

O mercado de tablets de fato sofreu uma grande queda nos últimos tempos. Ao que parece, os smartphones com telas maiores, chamados de ''phablets'' (de 5,5 polegadas a menos de 7 polegadas), vem tomando o espaço que era dos mesmos. Mesmo com a queda, o Galaxy Tab E 8.0 foi oficializado pela sul-coreana Samsung.

O anúncio ocorreu na segunda-feira, 25, em um evento que ocorreu em Taiwan, onde foi feita uma palestra para mostrar as vantagens e novidades do novo tablet da Samsung. O Galaxy Tab E se trata da linha intermediária de tablets da Samsung, oferecendo configurações que podem não agradar os usuários mais ''hardcore'', que gostariam de um tablet para jogar jogos mais pesados, mas que são razoáveis para usuários mais casuais, que gostariam de acessar a internet e ler livros, por exemplo, que aliás, é ótimo para isso, graças a alta qualidade de sua tela.

O tablet intermediário também visa mercados mais emergentes, caso do Brasil, onde os modelos tops de linha possuem preços extremamente elevados para grande parte dos consumidores.

Quanto ao design, o tablet segue o padrão da Samsung, contando com o tradicional botão físico central, que serve de atalho para a tela principal e para os aplicativos em uso. Além disso, ele possui pontas mais arredondas para o conforto do usuário em um longo período de uso e conta com câmera posterior, como sempre, centralizada junto do nome da sul-coreana. O design é objetivo e limpo, o que deve agradar aos consumidores que já estão acostumados com o design padrão da Samsung.

Já o hardware do aparelho, como já mencionado, é intermediário e contará com 1,5GB de RAM, chipset Snapdragon 410 de 64 bits com processador quad-core de 1,3 GHz, placa gráfica Adreno 306, 16GB de memória interna (expansível por microSD), bateria com 5.000 mAh, além de uma tela de 8 Polegadas HD, câmera principal de 5 Megapixels e frontal de apenas 2 Megapixels e Android 5.0.0 Lollipop.

Destaque para a bateria, que segundo a Samsung, terá duração de 13 horas, sendo o ideal para usuários que gostam de passar horas na internet ou lendo um bom livro.

O preço do tablet será de US$ 270, R$ 1.105 na cotação atual, diminuindo o custo benefício.

Por Isis Genari.


Modelo conta com tela Super Amoled permitindo a exibição conforme a iluminação do ambiente, otimizando o uso em qualquer lugar sem interferências.

A segunda geração do tablet Samsung Galaxy Tab S2 tem como um dos maiores upgrades a tela Super AMOLED. A tecnologia permite ótima resolução na imagem, bem como a experiência do usuário. Além disso, esse tipo de tela ajusta a sua exibição conforme a iluminação do ambiente, otimizando o uso em qualquer lugar sem interferências. 

O novo Galaxy Tab começou a ser vendido no Brasil com valores entre R$ 2,35 mil e R$ 2,7 mil. As versões mais baratas são as com tela de oito polegadas e conectividade 4G e Wi-Fi e a com tela de 9,7 polegadas e apenas conectividade Wi-Fi, que saem por R$ 2.350. O modelo mais caro é o com tela de 9,7 polegadas e conexão de internet por 4G e Wi-Fi, custando R$ 2,7 mil.

Além das diferenças de tamanho de tela e conectividade, as configurações das versões são as mesmas. Apenas as dimensões e pesos – com semelhantes espessuras – e a amperagem da bateria não são iguais por conta das polegadas de touchscreen desiguais. 

O Galaxy Tab S2 tem memória RAM de 3GB e processador Exynios 5433 ou 7420 – à escolha do comprador. O sistema operacional é o Android Lollipop 5.0.2, com atualização futura para Marshmallow. O armazenamento interno é de 32GB com possibilidade de expansão por SD para até 128GB. As câmeras são de oito megapixels na traseira e 2,1 na dianteira. A tela, de oito ou 9,7 polegadas, tem resolução de 2048×1536 pixels.

O modelo com touch de oito polegadas mede 19,8×12,4 centímetros, enquanto o com touch de 9,7 mede 23,7×16,9 centímetros. O primeiro pesa 260 gramas e o segundo, 407 gramas. A versão maior tem bateria com amperagem de 5.870. A amperagem da bateria do modelo menor é 3.580. Com meio centímetro de espessura, é o tablet mais fino da categoria.

A comercialização foi iniciada nesta semana, porém o gadget foi anunciado no Brasil em janeiro deste ano.

Por Bruno Klein

Samsung Galaxy Tab S2

Foto: Divulgação


Com uma presença marcante em 2013 com seus lançamentos, a coreana Samsung não para. Em 2014 já vem com gás total em busca de destaque no mercado, agora com o  Samsung Galaxy Tab 12.2 Pro que falaremos mais para você.

Memória:

O Galaxy Tab Pro apresenta a mais recente Octa-Core chips Samsung Exynos com 3GB de RAM (alguns modelos serão lançados com Snapdragon 800). Quanto aos detalhes técnicos, estamos falando de uma combinação de quatro big.LITTLE 1.9GHz de altíssimo desempenho com núcleos Cortex A15 e quatro núcleos de 1.3GHz Cortex A7, que são famosos por sua eficiência em termos de energia. Os gráficos são atendidos pela GPU Mali-T628 MP6, que deve ser poderoso o suficiente para lidar até mesmo com os  jogos que requerem mais do aparelho.

O Tab 12.2 Pro vem em uma modelo com 32 GB de armazenamento interno e outro com 64 GB, mas tendo suporte para armazenamento expansível, com cartões microSD de até 64GB. Assim, o total de armazenamento pode chegar a 128 GB, que deve ser suficiente para a maioria dos usuários.

Internet e Conectividade:

Você pode acessar a web no Galaxy Tab 12.2 Pro  tanto através do navegador Samsung  personalizado Android, ou via o aplicativo móvel do Google Chrome (Adobe Flash não é suportado originalmente). A grande vantagem de se ter 12,2 polegadas no  Tab Pro é que ele é quase tão grande quanto o ultrabook médio, possibilitando assim ao usuário desfrutar de páginas web em seu tamanho real e formato, sem a necessidade de ampliar ou lidar com versões móveis.

A alta resolução faz uma grande diferença quando se lê, podendo-se utilizar ainda fontes menores. O  Tab 12.2 Pro vem em  um modelo com Wi-Fi-only 4G LTE habilitado. Por todos os indícios visíveis, parece que a Samsung vai lançar uma versão separada para os Estados Unidos que suporta bandas LTE específicas, e outra para o resto do mundo, que utiliza as bandas europeias e asiáticas LTE. Ambas as versões 4G também serão capazes de utilizar redes 3G. No caso de sua operadora não suportar LTE ainda, outras opções de conectividade incluem dual-channel Wi-Fi, A-GPS e Bluetooth 4.0.

Por Jaime Pargan

Samsung Galaxy Tab 12.2 Pro

Foto: Divulgação


A briga judicial entre a Samsung e a Apple finalmente acabou, mas as consequências continuam surgindo, influenciando o mercado e o consumidor. No entanto, desta vez, a nova notícia parece que irá agradar aos fãs da Samsung.

Após o julgamento, a empresa havia sido proibida de vender o Galaxy Tab 10.1 nos Estados Unidos, mas agora esta decisão foi revista e o tablet já está sendo vendido em todas as lojas do país.

O aparelho ficou sem ser comercializado nos Estados Unidos durante três meses, mas agora ele finalmente poderá ser vendido por lá.

O fim da proibição das vendas do Galaxy Tab 10.1 no país foi determinado pela juíza Lucy Koh, a mesma que decretou que a fabricante sul-coreana não poderia mais vender o aparelho no país. A decisão foi tomada após a juíza ter visto que das várias quebras de patentes feitas pela Samsung no Galaxy Tab 10.1, a quebra de patente do desing não fazia parte desta lista. Sendo assim, não havia nenhum motivo para manter a proibição.

Não é somente o fato de a juíza ter voltado atrás e ter retirado a proibição de comercialização do dispositivo que impressionou, o que realmente chamou atenção foi que, Lucy Koh ainda decretou que a Apple deve pagar 2,6 milhões para a Samsung, como prejuízo pelo tempo que o tablet ficou sem ser vendido e para cobrir os gastos do processo.

Por Felipe Santos Bonfim


Depois do grande sucesso do Galaxy Tab 7.0 e 10.1, a Samsung resolveu lançar a versão 2 dos tablets.

Mas o que tem de novo nestes aparelhos?

O Samsung Galaxy Tab 7.0 possui o mesmo hardware, mas está diferente quanto ao design (mais moderno) e ao software. Agora o tablet vem com Android 4.0 ICS de origem. Além disso, possui processador Dual-Core de 1 GHz, câmera de 3 Megapixels com flash e suporte para micro SD.

E o Galaxy 10.1? Mudou a mesma coisa: o design da parte de trás do tablet e a inclusão do Android 4.0 ICS, Ice Cream Sandwich. Além de compatibilidade com as redes HSPA+ de 21 Mbps nos modelos Wi-Fi e 3G.

Outra mudança é a bateria de 7.000 mAH e interface TouchWiz integrada com opções de memórias internas de 16 e 32 GB (expansíveis com o cartão de memória).

E quais as vantagens para quem comprar a versão 2 do Samsung Galaxy Tab 7.0 e 10.1? Ter o último lançamento de um dos tablets mais vendidos e já possuir o Android 4.0. Mas a boa notícia para quem não pode ainda ter a novidade é que não há tantas mudanças e a menos que você queira muito ter em primeira mão o Android 4.0, não há motivos para desespero.

A expectativa é que a Samsung comece a vender o novo tablet na Europa ainda em março, mas não há divulgações sobre o preço do produto.


E não é que nem sempre as ações judiciais são provenientes das próprias empresas interessadas? Se o Samsung Galaxy Tab 10.1 depender do mercado alemão para ser um sucesso de vendas, a empresa deve mudar seus projetos urgentemente. É que a Justiça alemã acionou a empresa semana passada, acusando-a de vender um tablet imitador do iPad, da Apple. É isso mesmo: as vendas do Galaxy Tab 10.1 foram proibidas na Europa, pois o design do dispositivo é estranhamente semelhante ao que é fabricado pela empresa de Steve Jobs.

O interessante é que, nesse caso, o motivo do "embargo" não tem muita relação com as conhecidas disputas por quebra de patentes, uso de tecnologia ou de softwares proprietários. A Corte Provincial de Düsseldorf levou em consideração apenas o design do aparelho. Para a justiça alemã, a Samsung desrespeitou a distância que deveria ter do modelo de tablet da maçã, segundo a avaliação sentencial dada pela juíza Johanna Brückner-Hofmann. Para ela, outras empresas levaram em conta essa distância legal (a exemplo da Toshiba) e o Galaxy Tab 10.1 poderia ter passado pelo mesmo processo de "formatação".

A punição terá efeito retroativo, pois o anterior  Galaxy Tab 7.7 também será atingido, ficando proibida a sua comercialização naquele país. A empresa coreana, por enquanto, limitou-se a lamentar.

Por Alberto Vicente Silva


Rumores noticiados esta semana dão conta de que a gigante dos celulares, Samsung, anda tendo problemas com a venda de um dos seus equipamentos mais em voga. Segundo o boato, a Samsung está com os estoques abarrotados de unidades de seu Galaxy Tab e não vem sendo capaz de fazer frente à Apple neste setor.

Analistas apontaram o fato de a empresa ter sofrido uma queda no preço de suas ações, algo que poderia estar forçando a companhia a reduzir o preço do Galaxy para competir com os bons indicadores de vendas do iPad 2.

Entretanto, para James Chung, porta-voz da empresa, tudo isso não passa de uma especulação completamente infundada. E disse mais: a Samsung não se dá ao trabalho de comentar especulações de mercado, uma vez que ela esta preocupada em oferecer uma ampla gama de produtos que permitam ao cliente exercer prontamente o seu direito de escolha.

Polêmicas à parte, os números indicam que a Samsung é uma empresa que tem provado seu poder nesse tipo de produto. Afinal, até agora, mais de 3 milhões de unidades do primeiro Galaxy (o de 7 polegadas) já foram vendidas, desde que foi lançado no final de 2010. Com isso, as perspectivas da empresa são as melhores possíveis, já que os modelos com 8,9 e 10,1 polegadas (mais recentes) têm se caracterizado como sendo até mais competitivos que a versão anterior.

Em  resumo, a Samsung não vê motivos para mudar suas táticas, apenas por causa de análises pessimistas de mercado.

Por Alberto Vicente





CONTINUE NAVEGANDO: