Novos processadores deverão ter uma melhora de 25% em seu desempenho.

A Intel anunciou no dia 23/3 (quinta-feira), durante evento no Brasil, o lançamento da 7ª geração de Processadores Intel Core i. A proposta da companhia é que a novidade possa melhorar a experiência, principalmente de usuários mais antenados com os avanços tecnológicos. Assim, o uso de recursos, como realidade virtual, jogos e vídeos de alta resolução, poderá ter desempenho superior ao encontrado hoje.

Novos processadores Intel oferecerão maior produtividade

Os componentes foram desenvolvidos com base na arquitetura 14nm e deverão elevar em até 25% a produtividade de quem os utiliza. Também poderá oferecer gráficos 3D até 65% melhores, facilitando o acesso a vídeos UHD 4K/Ultra HD e imersivos de 360°, enquanto o usuário acessa diversas outras funcionalidades mais complexas, sem que haja travamentos. Esses aspectos são muito importantes para consumidores que procuram hardwares mais robustos.

Notebooks terão mais autonomia

Os notebooks também receberão atenção especial. A empresa informou que a nova linha permitirá o aumento de tempo de uso desses dispositivos, reduzindo os gastos de bateria. De acordo com a companhia, haverá até 10 horas diretas de autonomia.

Computadores de uso corporativo terão novos recursos mais seguros

Computadores voltados para uso corporativo também contarão com novas funcionalidades. Nesse caso, poderão ser usados os processadores da linha Intel Core VPro de 7ª geração. Assim, será possível fazer gerenciamento remoto desses dispositivos e recursos de segurança (tecnologia Intel Authenticate), para o uso de senhas e outras informações por meio de criptografia. Além disso, terão nova opção para que esse público possa realizar reuniões de videoconferência.

Preços dos processadores no Brasil

Os preços da nova gerarão de processadores deverá seguir o mesmo padrão aplicado no custo dos que pertencem à 6ª geração. Aqueles que desejam fazer upgrade de desktops deverão desembolsar preços a partir de R$500, para máquinas com Core i3 e a partir de R$1.500 para Core i 7.

A nova linha de processadores deverá estar disponível a partir do mês que vem (abril), em diferentes tipos de computadores e faixas de preço. Nesse período, algumas máquinas da Dell, Lenovo, HP, LG, Vaio e Asus já contarão com a nova geração do Core i7. Até o final deste semestre, mais de 20 modelos serão oferecidos por marcas já atuantes no Brasil.

No site oficial da Intel no país, já é possível visualizar as especificações de cada um dos processadores apresentados pela empresa.

Camilla Silva


Empresa solicitou a retirada imediata dos modelos do mercado devido ao risco de causar queimaduras nos usuários pelo aquecimento de componentes na parte posterior do dispositivo.

No dia 3 de agosto, a Intel realizou uma solicitação onde exigia a retirada imediata dos seus smartwatches do mercado, o Basis Peak, devido ao risco de causar queimaduras nos usuários pelo aquecimento de componentes na parte posterior do dispositivo.

O problema de segurança foi detectado pela empresa, só que o mesmo não conseguiu ser resolvido. A retirada do aparelho do mercado foi imediata e a empresa alertou aos usuários que já haviam comprado o aparelho, para que parassem de usá-lo e irem o mais rápido possível realizar a devolução no ponto mais próximo.

De acordo o vice-presidente da Intel, Josh Walden, que estava decepcionado em relação á desistência da venda do aparelho no mercado, afirmou que a decisão foi tomada pelos engenheiros que construíram o dispositivo e descobriram o problema e que alguns dos aparelhos Basis Peak poderiam superaquecer e trazer riscos ao usuário.

A solicitação de retirada irá afetar todos as unidades vendidas em todo o mundo, mesmo que apenas 0,2% dos aparelhos tenham reportado o problema de queimaduras na pele, sendo assim não haverá nenhuma exceção em relação ao recolhimento do mesmo.

Desde o mês de junho a companhia tinha ciência do problema no dispositivo, pedindo para que os consumidores não comprassem o dispositivo, além de oferecer um reembolso total para aqueles que haviam adquirido o mesmo.

Inevitavelmente a fabricante neste período tentava reverter as causas do aquecimento exacerbado dos componentes, o que não obteve sucesso. A Intel também ofereceu reembolso para aqueles que não relataram ou perceberam problemas no uso do aparelho.

O superaquecimento dos componentes estava relacionado com o LED do monitor de batimentos cardíacos, necessitando de uma atualização no firmware. Diferente de outros smartwatches que simplesmente realizavam a análise cardíaca ocasionalmente, o dispositivo da Intel realizava constantemente o processo na parte posterior, o que causava o aquecimento do mesmo.

E para garantir ainda mais que nenhum usuário sofra com este problema, a Intel afirmou que até 31 de dezembro todos os aparelhos terão suas funções desativadas, descontinuando seus serviços e tornando-os aparelhos inúteis.

De qualquer forma esses dispositivos têm ganhado muitos fãs. Mas ainda assim as fabricantes parecem não terem encontrado um consenso para a segurança

Por Denisson Soares

Intel Basis Peak


Escolher um computador é uma tarefa delicada, que deve ser analisada com paciência pelo consumidor. O item mais importante do equipamento, o processador, é o que deve ganhar mais atenção na hora da compra. E qual escolher: AMD ou Intel?

No quesito desempenho, muitos processadores foram testados e os 30 primeiros lugares são da Intel. Já entre os modelos mais econômicos, a briga é bem competitiva, mas no final, ganha a AMD. Os produtos da AMD, segundo o teste, são fabricados para o público mais básico e os da Intel são mais avançados.

A campeã em desempenho fica para a linha de processadores Xeon, da Intel. Ela possui uma performance até 35% maior do que os outros testados. Outra pesquisa feita nos processadores identificou que as placas gráficas ATI Radeon, da AMD, normalmente são melhores que todas as onboard da Intel, que possuem níveis iguais. A próxima vantagem da AMD fica no preço. Os processadores da empresa normalmente são bem mais baratos do que os equivalentes da Intel.

As duas companhias também já divulgam algumas estratégias para este ano de 2014. A AMD quer manter esse foco de vender bons processadores por um menor preço. Ela quer atender os clientes mais econômicos e intermediários, para isso a companhia deu detalhes da produção da Mantle, sua nova API gráfica que promete sustentar o objetivo da AMD.

A Intel, porém, tem o intuito de investir ainda mais em alta tecnologia e inovar no mundo dos processadores. Ela está fabricando uma nova série de processadores 64-bit e também seu primeiro chip octa-core com suporte a memória DDR4. Além do desenvolvimento de processadores para dispositivos portáteis.

O atendimento das necessidades dos clientes são pontos diferentes da Intel e da AMD. A Intel pretende atender consumidores que necessitam de usos avançados, como tarefas pesadas que pedem hardwares muito potentes. O usuário que usa o computador apenas para navegar na web, checar e-mails, usar o Pacote Office e jogar um game ou outro, consegue ter satisfação com a marca AMD.

Por Carolina Miranda


Com o avanço tecnológico mundial vemos, a cada dia que passa, uma novidade cada vez mais surpreendente. Melhorias em produtos já avançados fazem com que a mais alta qualidade fique explícita, atualmente.

Foi o que fizeram os integrantes da Intel, os quais, durante a CES (Consumers Eletronics Show) de 2014, ocorrida em Las Vegas, Estados Unidos, anunciaram um revolucionário computador em miniatura, denominado Edison, que possui o tamanho de um cartão SD, usado em chips de telefones celulares, e estará disponível, no mercado, a partir do segundo semestre deste ano.

A novidade foi construída com uma tecnologia transitor 22 nanometros, rodando a 400 MHz, muito potente para seu tamanho, além de contar com um processador Quark SOC, rodar o sistema operacional Linux e apresentar disponíbilidade para conexão Wi-fi e Bluetooth.

O novo mini computador possuirá,também, uma loja  própria de aplicativos online, a qual estará disponível para desenvolvedores que queiram criar novos aplicativos, segundo a Intel. Ao exibir o produto na exposição, foi mostrada a real potência do computador contando com uma coleção de produtos Nusery 2.0 que fazem a utilização do chip, como, por exemplo, um aquecedor de leite que, ao ser usado com algum outro item, esquenta o líquido,por comandos do mini computador, após ouvir o choro de reclamação do bebê ou até mesmo um sapo de brinquedo, o qual possui a capacidade de transmitir todos os sinais vitais da criança.

Procurando incentivar os desenvolvedores no mini-computador Edison, a Intel propôs uma competição, visando o avanço, em escalas avançadas, do produto, denominada "Make It Wearable"(torne-o vestível), a qual distribuirá cerca de US$ 1,3 milhão em prêmios aos que participarem do desenvolvimento, sendo que o ganhador da campanha levará 500 mil dólares para casa.

O dispositivo disponibilizará  512 MB de memória DRAM integrada, e até 2 GB para armazenamento. Seu custo, segundo especulações, não ultrapassará R$ 120, mas, apesar do preço ser um pouco elevado, certamente quem o adquirir ficará satisfeito.

Texto de Danilo Lacalle


Durante uma conferência realizada com analistas, Brian Krzanich (CEO da Intel) revelou o mais novo lançamento da empresa, um tablet Android com Bay Trail.

Para quem não sabe, Bay Trail se trata de uma nova linha de processadores Atom da nova geração. Os chips, que possuem 64 bits, devem ser lançados no próximo trimestre e estarão presentes na nova linha de tablets com Android.

Os chips de 64 bits, que até pouco tempo atrás só estavam presentes em computadores e notebooks, geram melhor desempenho e maior segurança nas máquinas, com isso, eles são a melhor opção durante a execução dos sistemas operacionais.

A primeira empresa a lançar um modelo de chip de 64 bits para equipamentos portáteis foi a Apple, que anunciou seu chip A7, usado no iPhone 5S, iPad Air e no iPad Mini, isso trouxe uma grande evolução aos dispositivos portáteis.

Após isso, a Intel se adiantou na produção de chips de 64 bits para dispositivos portáteis e criou o Bay Trail, porém, inicialmente a empresa pretendia oferecer os chips apenas para tablets com Windows 8.1. Contudo, no meio do desenvolvimento do mesmo a empresa mudou de ideia e resolveu adotar suporte também para Android. Essa mudança de planos foi adotada devido ao pequeno atraso no lançamento da CPU, que ocorreu em setembro de 2013.

Alguns testes de benchmark provaram que o novo chip da Intel é 30% mais rápido do que o Snapdragon 800, que foi produzido pela Qualcomm e era considerado o chip ARM mais potente da atualidade. Além de tudo, a Intel garante que o Bay Trail é muito superior ao processador A7 da Apple, isso é possível principalmente graças à maior densidade de transistores presentes no mesmo.

Por Héllen Salvato


Para quem costuma acompanhar o mundo da tecnologia, em especial o setor de que envolve os computadores, já sabe que de uns tempos para cá a indústria que envolve o mesmo não anda muito bem. O lançamento e o barulho causado pelo Windows 8 e os investimentos cada vez maiores em tablets com display touch com o foco de se aumentar as vendas não conseguiram mudar o rumo das coisas. Para falar a verdade a situação piorou.

No ano passado houve uma retração de 10% na área. Entretanto, a Intel parece não estar muito a fim de “chorar o leite derramado” e se depender dela isso vai mudar. De acordo com informações divulgadas por meio do site The Verge, a empresa anda trabalhando com o objetivo de apresentar uma nova marca de computadores com um diferencial que irá chamar muito a atenção: os aparelhos deverão ser capazes de rodar Android e Windows ao mesmo tempo.

Conforme as informações divulgadas a companhia que construiu bases sólidas como fabricante de chips já estaria implementando acordos com diversos fabricantes de computadores com o intuito de tornar viável a fabricação do novo dispositivo. Caso tudo ocorra bem não será preciso esperar muito para vermos os resultados. A Intel estaria planejando apresentar a nova linha de computadores ainda na Consumer Electronic Show 2014 (CES), que acontece em Las Vegas.

O protótipo do dispositivo foi batizado de “Dual OS”. O Android irá rodar virtualizado dentro do Windows. Isso vai permitir que o usuário do aparelho tenha acesso tanto a aplicativos do Windows quanto do Android ao mesmo tempo. Uma boa sacada, já que assim não será preciso que a pessoa reinicie a máquina para trocar de sistema.

Mesmo sendo uma ideia interessante ela não é de todo nova. Vale lembrar que no passado a Samsung já havia lançado um notebook híbrido, o AtivQ, baseado no Windows 8 e no Android. A Asus também já deu sinais que estar trabalhando em algo parecido.

Por Denisson Soares

Intel deve lançar computador híbrido

Foto: Divulgação


A Intel realmente anda de olho no que o futuro reserva. A empresa de acordo com as informações do site ITWorld anda trabalhando em uma maneira eficiente de possibilitar que as câmeras integradas aos tablets e laptops tenham maiores funcionalidades em relação a tecnologia 3D. Entre os possíveis feitos da tecnologia estão o monitoramento do hábito de leitura das crianças e reconhecimento de movimentos.

Em um primeiro momento pode até parecer estranho, mas o objetivo é fazer com aconteçam certas melhorias nas webcam que possibilitem que o computador entenda melhor o as hábitos do ser humano. Isso quer dizer, por exemplo, que os jogos terão um nível de interatividade bastante diferente do que conhecemos nos dias atuais e as videoconferências seriam mais “animadas” possibilitando novas formas de contato e interação. Imagine ainda a possibilidade de fazer uso de certos tipos de sensores que permitiriam, por exemplo, que o usuário do aparelho pudesse literalmente pegar os objetivos na dimensão 3D dos jogos.

Como bem sabemos já existem câmeras 3D disponíveis no mercado atual. Mas o que Intel está realmente planejando é uma maior ligação, afinidade, ou seja, lá do que quiserem chamar entre os algoritmos e o hardware. Caso isso funcione em um futuro bem próximo já estaremos dispensando certos periféricos como o teclado e o mouse na hora de usar o computador.

Por Denisson Soares


Buscando competir no mercado de dispositivos móveis, a Intel irá fornecer processadores multímodo com tecnologia LTE. A notícia foi dada pelo vice-presidente da divisão móvel da Intel, Aicha Evans, que também afirmou que a tecnologia LTE faz com que os processadores se tornem mais rápidos e apresentem melhor desempenho.

Os processadores LTE tem sido uma escolha feita pela Intel no mercado norte-americano, pois a alta demanda de energia dessa tecnologia pode ser sanada pela capacidade da tecnologia usada pela Intel. Os novos chips LTE permitem uma mudança de rede entre LTE e 3G. Denominados multímodo XMM 7160, os chips estarão disponíveis ainda em agosto e irão substituir os chips LTE de único modo, fornecidos desde 2012 pela empresa.

O XMM irá oferecer suporte para 15 bandas LTE, apresentando consumo de energia entre 20% e 30% menor que os principais concorrentes, além de ser ter dimensões 15% menores.

A intenção é alcançar a rival Qualcomm, que é a líder no segmento de chips para dispositivos móveis.  A Qualcomm também anunciou a integração entre 3G e 4G LTE em 400 processadores da marca, contudo, ela fez isso em junho.

Por Robson Quirino de Moraes


A cidade de São Paulo receberá a Experience Intel Look Inside, um evento promovido pela Intel e varejistas que ocorre em várias cidades do mundo e que tem como objetivo apresentar aos consumidores diferentes dispositivos e produtos, incluindo Ultrabooks, Smartphones, Tablets, All-in-Ones, e entre outros. O evento é aberto ao público em geral e acontece nos dias 30 de agosto e 1º de setembro de 2013, das 10:00 às 22:00.

Os preparativos para o evento ocorrem desde maio em colaboração com fabricantes e varejistas. É uma estrutura toda personalizada para proporcionar diferentes experiências ao público, incluindo interações colaborativas e visuais, que permitem experimentar de diferentes recursos criativos da tecnologia, além da participação de diversos artistas.

Entre os nomes confirmados estão o Diretor Cristiano Crimino (do Grupo de Dança Cia Base), o DJ Cohen e os grafiteiros Minhau e Chivitz. Todos estes nomes darão palestras e irão se apresentar para o público. Além desses artistas, a Experience Intel trará o XPOGO, que utiliza uma aleatoriedade de vídeos criados em tempo real.

Haverá também obras interativas, criadas por artistas de vanguarda, que utilizam a tecnologia para fazer arte interativa.

A Experience Intel ainda permitirá que consumidores possam adquirir produtos em promoções especiais oferecidas pelos parceiros do evento.

Por Robson Quirino de Moraes


Em uma conferência realizada na cidade de Pequim, a Intel divulgou detalhadamente as características que ela quer encontrar nos futuros tablets com sistema operacional Windows 8.

Os novos aparelhos deverão ter processador dual-core Atom Z 2760, telas de 10 e 11 polegadas, bateria com duração de até 9 horas, tecnologia 3G e 4G, além de que os tablets deverão ter como referência o peso e a espessura do iPad, pois o peso do dispositivo deverá ser abaixo de 1,5 libras (mais ou menos 680 gramas) e sua espessura deverá ser de 9 mm.

Não bastasse isso, os novos modelos deverão trazer mais duas tecnologias, a NFC (que permite a troca de informações de uma forma mais segura e funciona a partir da aproximação de dois aparelhos compatíveis) e a Wi-Fi Direct (que é capaz de transformar qualquer dispositivo em um ponto de acesso).

Todas essas recomendações que foram feitas pela Intel se baseiam no Windows 8, que tem previsão de lançamento para o segundo semestre deste ano.

A Intel quer fazer com que todos os seus clientes e parceiros sigam as recomendações para que os novos tablets se tornem mais competitivos no mercado.

Por Guilherme Marcon


Aproveitando o lançamento dos novos chipsets da Intel, o H77 e o Z77, os fabricantes de placas-mãe começaram a produzir suas placas para o Ivy Bridge. Sendo assim, foram analisadas as configurações dos chips controladores dos modelos da Gigabyte, Asus, MSI, Biostar, Asrock e ECS pelo site AnandTech.

Os nomes dos chips já proporcionam uma análise das suas configurações. São eles o Z77, Z75 e o H77, e os chipsets que iniciam com a letra Z indicam que será possível fazer o overclock no Ivy Bridge. Já o número 77 significa que é um modelo que suporta a tecnologia destinada a sistemas híbridos com SSDs e HDs da Intel, chamada cacheamento inteligente.

A maior novidade para os usuários comuns é que todos os modelos possuem suporte nativo para o USB 3.0, pois até então as placas de processadores Intel necessitavam de um controlador específico para que fossem disponibilizadas portas USB da terceira geração.

Outra configuração descoberta com base nos chipsets é que as placas-mãe também suportarão o PCle 3.0, que são 16 linhas capazes de aumentar o desempenho dos periféricos, principalmente as placas de vídeo. Além disso, os novos chips são compatíveis com processadores mais antigos, como Sandy Bridge.

Alguns dos novos modelos das placas-mãe contendo chipsets do processador Ivy Bridge já estão disponíveis para compra.

Por Guilherme Marcon


Ainda não se sabe muito sobre as datas de lançamento dos novos processadores das principais empresas do segmento: Intel e AMD. Porém alguns rumores apontam que os produtos deverão ser colocados no mercado no primeiro semestre de 2012, entre os meses de abril e maio.

A AMD irá lançar as sucessoras das Llano, as novas APUs Trinity, que prometem ser capazes de oferecer aos usuários uma excelente performance gráfica e, para isso, a APUs irá trazer um chip gráfico baseado nas famosas GPUs Radeon 7000. De acordo com o site CPU World, o lançamento das novas placas da AMD será no dia 15 de maio, data em que os modelos para ultrabooks também deverão ser anunciados.

Já a Intel enfrenta algumas contradições a respeito das datas do lançamento dos novos processadores Ivy Bridge. Alguns sites afirmam que os novos chips da empresa deverão chegar ao mercado no dia 29 de abril, porém outras fontes alegam que o lançamento será antes, no dia 23 de abril.

O que nos resta é esperar que as empresas se pronunciem e revelem a verdadeira data de lançamento de seus novos produtos.

Por Guilherme Marcon


De acordo com o site Softpedia, a série dos novos processadores Ivy Bridge terá desempenho muito melhor do que a série antecessora Sandy Bridge.

Testes do Expreview indicaram que, no quesito processamento gráfico, os novos Ivy Bridge conseguiram desempenho de até 122% mais que o seu antecessor.

Nas análises de benchmarks 3DMarck Vantage, o desempenho do processador foi melhorado em até 88,9% na pré-entrada e 122,1% na pré-performance. Além disso, foram testados jogos para ver qual era a melhora e esta variou entre 30% e 84%, dependendo do jogo utilizado.

Esses e outros resultados foram obtidos pelo Expreview comparando o Ivy Bridge de uma versão prévia – Core i5 3570k – com marcas de um Core i5 2500k, que é um dos processadores desse nível mais poderosos que circulam no mercado. O primeiro usa gráficos Intel HD 4000, enquanto o segundo usa o Intel HD Graphics 3000.

O bom de se fazer testes com jogos é mostrar para o consumidor algo que ele realmente queira saber: se na prática o processador se comporta bem e realmente evoluiu em situações do cotidiano.

Processamento gráfico é algo que a Intel vem centrando em sua publicidade, no que diz respeito à nova linha de processadores, marcando uma grande preocupação na posição no mercado.

Por Guilherme Marcon


A Intel anunciou hoje (04/04/2011) a sua nova linha de processadores Ivy Bridge.

Os novos processadores devem chegar ao mercado em 2012 e irão substituir a atual linha de chips Sandy Bridge.

Entre as novidades do Ivy Bridge está a utilização de transistores com 22 nanômetros e arquitetura 3D (Tri-Gate).

A nova tecnologia utilizada pela Intel deve garantir uma capacidade de processamento 37% maior em voltagens mais baixas. Com isso, o consumo de energia pelos processadores deve cair mais de 50%.

Vale lembrar que a Intel possui atualmente 80% de participação no Mercado dos Processadores. A sua concorrente mais próxima é a AMD com 19%.

Confira no vídeo mais informações sobre o novo chip Ivy Bridge da Intel (em Inglês):


Em breve vários modelos de notebooks com processadores Sandy Bridge, a nova geração da família Core i3, i5 e i7 da Intel, devem chegar ao mercado brasileiro. Veja abaixo alguns deles:

  1. Notebook Sony Vaio VPCCA15. Com tela de 14 polegadas, o modelo da marca japonesa se destaca pela porta HDMI 1.4 capaz de compartilhar filmes em 3D com uma TV e também pela conexão USB 3.0, dez vezes mais rápida que a 2.0.

  2. Notebook LG A520-3D. Como podemos deduzir essa série da LG conta com tela de 15.6 polegadas alimentada pela placa de vídeo Nvidia GT540M com memória de 1 GB e memória RAM de até 6 GB.

  3. Notebook Samsung RF411 SD1. Equipado com tela de 14 polegadas, o notebook da Samsung conta com a mesma placa de vídeo do LG A520, a GT540 também com 1 GB de memória. Com processador Core i5, o modelo tem disco de 640GB e memória RAM com até 6 GB.

  4. Notebook Dell XPS 14. Esse modelo da Dell dispensa apresentações. Anunciado no ano passado, só agora ele chega ao país trazendo processadores da família Sandy Bridge. Além do XPS 14, a linha Alienware também será atualizada com os novos chips ainda no primeiro semestre deste ano.

  5. Notebook Lenovo ThinkPad Edge. Essa linha da Lenovo também é bem conhecida. A novidade é que ela deve ganhar Sandy Bridge e design mais fino, estando disponível para comprar com tleas de 14 e 15 polegadas daqui uns dois meses no site da empresa.

  6. Notebook Asus N53SV. É claro que a Asus não podia ficar de fora da atualização da linha Sandy Bridge. Chegando ao mercado nos próximos meses, a linha terá tela de 15.6 polegadas, processador Core i7 e placa de vídeo GT 540M de Nvidia.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: Gizmodo





CONTINUE NAVEGANDO: