Google prepara nova ferramenta para gerenciar o armazenamento nestes dispositivos.

Inicialmente a proposta de lançamento do Chromebook era trabalhar somente com ferramentas online. Isso mesmo: Era. O Chorme OS oferecia apenas aplicativos e serviços de armazenamento na nuvem, dando sensação de um dispositivo mais barato com poucos gastos de bateria, baixo armazenamento interno e um processador simples.

Mas com o aumento de funcionalidades e aplicações off-line, o Google sentiu a necessidade criar uma ferramenta que ajudasse na gerência de armazenamento. Então vejamos o que companhia andou planejando:

O hardware deste tipo de aparelho é bem simples e por trabalhar com a tecnologia de armazenamento em nuvem consegue da mesma forma ter o desempenho de aparelhos mais caros. Com processadores de frequência de aproximadamente 1,6 GHz , estes aparelhos possuem 2GB de RAM, 11 polegadas, entrada para slot de até 128 GB e a presença de uma câmera na parte superior do display que grava em 720p. O hardware simples traz vantagens em relação a duração da bateria, que chega a ter autonomia de até 11 horas, a mobilidade do aparelho, que pesa apenas 1,15 kg, também consta entre os pontos positivos.

O novo serviço por enquanto está disponível apenas para os desenvolvedores.

Está nova ferramenta terá a função de ajudar o usuário a manipular melhor os dados que armazenou, como downloads e aplicativos, pois a maioria dos Chormebooks contam com apenas 16 GB de armazenamento SD onboard. A prioridade inicial da máquina era trabalhar com a maioria dos arquivos na nuvem, ou seja, online, mas como atualmente ele já possui diversas funcionalidades off-line, tornou-se necessário acrescentar a ferramenta.

A maior novidade dos Chromebooks está na possibilidade de poder trabalhar com aplicativos Android, mas de acordo com especialistas, a atualização só chegará no Brasil em dezembro deste ano.

De acordo com o porta-voz da empresa, François Beaufort, o gerenciador de armazenamento ainda está nos primeiros estágios. A ferramenta de gerenciamento entre outras funções terá a capacidade de informar sobre a capacidade geral do dispositivo, o espaço disponível e quantias referentes ao armazenamento que está sendo usado e downloads já feitos.

De qualquer forma, antes de qualquer aplicação mais avançada para os desenvolvedores e usuários possa surgir efetivamente, vale lembrar que tem algumas “coisinhas” que podemos fazer com o Chromebook sem internet.

Entre elas podemos não apenas criar, mas também editar documentos.

Pesquisar e escrever e-mails também é possível. Isso porque algumas extensões permitem acessar as contas, pesquisar mensagens e até escreve-las. A questão é que, claro, somente serão enviadas quando o sistema for novamente conectado. São apenas algumas, mais tem muito mais.

Por Denisson Soares


A ideia é fazer com que as pessoas fiquem mais tempo no site e que ele se pareça cada vez mais com uma rede social

Os Youtubers e usuários geralmente se socializam no Youtube todos os dias em seus vídeos através dos comentários. Porém, esse recurso ainda não é visto como o melhor meio por esses grupos. Agora, o site do Google visa melhorar a comunicação com a inserção de um recurso que possibilita a troca de mensagens entre os participantes do Youtube.

Desta maneira, o site de compartilhamento de vídeos começou os testes da ferramenta que vai deixar com que seja possível conversar, enviar fotos e também vídeos. Os primeiros usuários foram contemplados com o que o Youtube chama de compartilhamento nativo. Com isso, eles poderão repassar para os amigos esse novo recurso.

O intuito do Google com isso é disponibilizar para os usuários uma maior interação entre os mesmos. Isso também vai deixar com que o Youtube fique com um estilo mais parecido com uma rede social. Como a comunicação ficará mais facilitada com o novo recurso, os usuários deverão passar mais tempo dentro do site.

O compartilhamento nativo chega para que o Google deixe os comentários de uma maneira mais organizada. Parece mesmo que essa será a nova empreitada da gigante da internet frente as demais redes sociais que também tem os vídeos como especialidade.

Segundo dados do Youtube, o usuário fica em média 40 minutos dentro do site. Ele tem o seu maior alcance na faixa etária que vai dos 18 anos até os 49 anos, apenas tendo com base dados de dispositivos móveis.

Outro dado importante é uma receita maior que o Youtube visa, e vai ter, quando os seus usuários começam a trocar mensagens e ver os vídeos. Isso significa que os mesmos ficarão um tempo maior no site e os patrocinadores devem apresentar um maior interesse em termos de investimento.

Sem pular anúncios:

No final do mês passado, o Youtube divulgou que o seu site começa a ter um novo formato para a publicidade dos vídeos. Com isso, as propagandas terão até seis segundos, mas não poderão ser puladas pelos usuários.

O objetivo do site de compartilhamento de vídeos é deixar as publicidades adaptadas frente aos consumidores do conteúdo por meio de celulares, sendo que esse público, geralmente, assistem propagandas quando são de curto período.

OSCAR ARIEL COLAÇO


Atualização 5.0 do Chrome traz novos recursos e encerra o suporte para os sistemas Windows XP e Vista.

O Google Chrome é um navegador criado pele gigante da informática Google e é o terceiro navegador mais utilizado em todo o mundo, sendo que você pode tê-lo de forma gratuita, sem pagar nada. A grande novidade fica conta de sua mais nova atualização.

O Google Chrome veio se tornar o navegador mais utilizado no mundo todo e agora ele chegou na sua versão 5.0. Esta nova atualização traz novos recursos e ferramentas nas notificações. Talvez o que pode vir a desagradar alguns usuários é que a nova atualização encerra seu suporte para o Windows XP e o Windows Vista.

Um das novidades que antes só eram possíveis no Edge, é o de podermos alterar as configuração do Google Chrome para receber os resultados de busca da Cortana ou do desktop do Windows 10, a partir do próprio navegador. Para fazer a mudança para receber os resultados de busca da Cortana, você precisa ter como navegador o Chrome. Então é só acessar o navegador e ir até a página de experimentos. Vá até a opção de permitir redirecionamento e aceite para que você então obtenha os resultados da área de trabalho e da Cortana no próprio browser do Google Chrome.

Vale ressaltar que a Cortana ainda não possui versão em português e ainda não se sabe quando os brasileiros vão ter essa esperada versão. O jeito é aguardar.

Tenha o melhor navegador da Web

O Google Chrome é o navegador mais rápido e inteligente que existe, com uma interface bonita e atrativa. É o navegador mais versátil, simples, leve e o mais rápido de todos. No que se refere aos carregamentos de páginas, nenhum outro se iguala a ele em termos de rapidez. Ele permite o uso de várias extensões ao mesmo tempo.

Outra potência fica por conta da tradução da página para outros idiomas sem precisar reiniciar a página. O browser também traz um excelente corretor ortográfico e você também pode abrir múltiplas abas simultaneamente. A interface pode ser alterada a seu gosto e você pode personalizar os temas. Enfim, são muitos os benefícios do Chrome, que proporciona praticidade, velocidade, leveza e muita simplicidade.

Para adquirir o Google Chrome 5.0 basta acessar o site oficial e fazer a sua atualização.

Felipe Pancheri Colpani


Nova funcionalidade do Google Chrome permite que o usuário desabilite o som de uma aba.

Os usuários que estão acostumados a abrir várias abas em seu navegador sabem o quanto é incômodo o som que algumas abas podem emitir. Enquanto você está concentrado em um trabalho, ou mesmo em seus estudos, uma aba em segundo plano pode acidentalmente reproduzir um vídeo, ou mesmo emitir um som quando você recebe uma nova notificação em uma rede social, por exemplo. E isso pode tirar a concentração ou causar algum constrangimento, dependendo do teor da página acessada.

Para evitar esse incômodo, o navegador Google Chrome terá uma nova funcionalidade, que permitirá que o usuário desabilite o som de uma aba. No ano passado o navegador já havia inovado, quando lançou um ícone que indicava aos usuários quando uma aba estivesse emitindo som. Agora com a funcionalidade, os usuários escolherão se querem ou não ouvir o som da aba em segundo plano.

A funcionalidade já havia sendo testada por um ano, e agora está disponível para todos os usuários do navegador. Quem desejar não mais ouvir os sons de uma aba deve clicar sobre ela com o botão direito de seu mouse e escolher a opção “Desativar som da guia”.

Quem ainda não consegue ver a funcionalidade em seu Google Chrome, talvez possa estar com a versão desatualizada. Para verificar sua versão do navegador, clique sobre o menu de opções e selecione a opção “Sobre o Google Chrome”. Lá estará a versão que é rodada atualmente em sua máquina, e se houverem atualizações, haverá a opção para que as mesmas sejam baixadas para sua máquina.

Quem preferir um caminho mais curto para verificar sua versão do navegador pode copiar e colar o código a seguir na sua barra de endereços: chrome://chrome/.

Se sua versão estiver desatualizada, basta clicar em baixar atualizações. Após o processo, seu navegador será reinicializado e você poderá desfrutar da nova funcionalidade do navegador, de silenciar abas em segundo plano.

Por Rodrigo Silva

Google Chrome


Uma nova atualização do Google Chrome foi liberada para download nessa última terça-feira (08/04). A versão 34 do navegador do Google disponibiliza mais recursos tecnológicos. Os chamados “usuários supervisionados” e o “imagens responsivas” são algumas das alternativas que o Chrome dará aos seus usuários.

A nova versão vai ter mais suporte e até mesmo uma otimização no carregamento de fotos. O Google, como era de se esperar, também melhorou o desempenho do browser e procedeu correções de bugs, dando assim mais segurança aos internautas.

Será possível perceber melhor navegação de sites para os internautas, apesar da atualização ser voltada para desenvolvedores. Os usuários irão ver um maior fluido no funcionamento da ferramenta. O Google Chrome teve uma adição do recurso chamado “usuários supervisionados”, que já estava em testes na versão beta do navegador.

A opção vai permitir ao usuário criar outros perfis no Chrome e poder capacitá-los para que outros computadores aceitem o seu funcionamento. Inclui os arquivos favoritos dos usuários e outras configurações de forma automática. Essa liberdade de comandar outros perfis em várias máquinas, não vai debilitar a segurança, ou seja, será possível controlar os sites que os eles terão acesso para visitar, uma ideia que se encontra com pais ou responsáveis que precisam limitar o uso do computador por crianças.

O recurso “imagens responsivas” também é um outro dispositivo que o Google Chrome lança na sua nova versão 34. O serviço vai otimizar o carregamento de imagens na internet. O recurso funciona por meio da identificação das principais características do conteúdo que será carregado. Contudo, vale a pena ressaltar que isso dependerá do equipamento e da tela em que está sendo carregado a mídia, se é computador, tablet ou smartphone.

O Google Chrome também fez correções de 31 erros de segurança para proteger o acesso do usuário. O navegador também incluiu um modo Windows 8 modificado, que lembra muito o design do Chrome OS. 

Por Carolina Miranda

Chrome vers?o 34

Foto: Divulgação


O Google Drive nasceu com o objetivo de auxiliar os usuários na criação de textos, desenhos, planilhas e apresentações online. O que muitos não sabem é que o dispositivo pode funcionar também no modo off-line, ou seja, sem conexão com a internet. Essa opção leva a confirmação de que o Google quer ter uma outra alternativa para o pacote Microsoft Office e valorizando os Chromebooks.

Para usar o Google Drive off-line é preciso ativar o Google Chrome como navegador. No quadro de inserção de endereços, digite drive.google.com e clique em ‘Mais’ no menu à esquerda. Depois em ‘offline’. Aperte em ‘Obter aplicativo’ para baixar o dispositivo Google Chrome. Uma janela pop-up vai abrir para confirmar a instalação. Depois disso, é preciso clicar em ‘Ativar offline’. O sistema irá sincronizar todos os documentos no computador para off-line. Enquanto isso, o usuário tem que aguardar a conclusão do processo. O progresso pode ser acompanhado na linha acima da lista de arquivos.

O Google Drive, após s sincronização, irá criar uma seção chamada ‘Offline’, que nada mais é que uma interface que reúne todos os documentos que são compatíveis com o aplicativo desconectado. O usuário pode verificar isso na tela, em que estarão todos os itens disponíveis para acesso sem necessidade de uma conexão à internet. O Drive no modo off-line pode ser acessado no espaço de aplicativos do Chrome.

Depois de realizar esse processo, o usuário poderá criar, visualizar e editar planilhas, documentos e outros recursos no modo off-line. As planilhas off-line, porém só vão funcionar com a versão mais recente do aplicativo. Compartilhar, fazer download e imprimir só poderão ser feitas em modo online.

O usuário poderá trabalhar no modo off-line usando as disponibilidades que o serviço oferece. Quando estiver conectado, as mudanças e criações feitas serão sincronizadas com a versão guardada nos servidores do Google.

Os sistemas operacionais Android e iOS ainda não tem disponibilização para edição de arquivos em off-line, mas os arquivos disponíveis poderão ser visualizados e ter modificações sincronizadas do mesmo jeito.

Por Carolina Miranda

Google Drive

Foto: Divulgação


O maior buscador da internet quer ampliar o seu poder de atuação. O Google quer lançar em pouco tempo a sua própria rede sem fio de telefonia. O projeto vem sendo avaliado pelos altos executivos da empresa e pode virar realidade nas áreas que já possuem possibilidade para o serviço. Os locais provavelmente serão onde já existe o Google Fiber, recurso que leva TV a cabo e internet de alta velocidade nos Estados Unidos.

O Google faria um trabalho funcionar como uma operadora virtual e também ser um dispositivo que esteja fisicamente nas residências e locais de trabalho das pessoas. O buscador deseja se transformar em uma MVNO, que aluga a estrutura de outras empresas e proporciona pacotes próprios de internet, TV a cabo e telefone, do mesmo formato de funcionamento da NET aqui no Brasil.

Uma empresa que possui uma rede de fibra ótica, a The Verge, que atua nas regiões do Kansas, Provo e Missouri, já demonstrou seu interesse em viabilizar e expandir o projeto. A empresa entrou em contato com as redes americanas que podem oferecer o serviço e deve, em breve, atender as áreas do Texas, Atlanta, Austin, Portland, Georgia, San Jose, Oregon, Califórnia e outras seis regiões metropolitanas. A empresa vai oferecer o serviço com a própria rede de fibra, usando ponto de acesso de conexão Wi-Fi. Nos locais em que a estrutura sem fio não chegar, a companhia vai contar com o apoio das operadoras.

A ideia vai proporcionar melhorias e mais opções para os usuários americanos, contudo a entrada neste mercado tem concorrentes fortes. A AT&T já iniciou a instalação de sua própria rede de fibra ótica super rápida para rivalizar com o Google. A entrada do gigante da internet já causa preocupação e mexendo com as empresas Verizon e AT&T.

No começo do ano, o Google já tinha deixado uma mensagem que pode ser o próximo operador wireless. Alguns rumores diziam que a marca estaria desenvolvendo um aplicativo para o sistema Android capaz de acabar com cadastros e logins para conexão em hotspots gratuitos e públicos. Agora é esperar para ver. 

Por Carolina Miranda

Google

Foto: Divulgação


Para tentar conquistar usuários e chegar próximo ao sucesso do Facebook, o Google + lançou uma novidade nesta segunda-feira (31). Os usuários poderão ter a possibilidade de saber qual o número de visualizações que seu perfil teve, e até mesmo saber o número de acessos do conteúdo publicado nele. A nova ferramenta relembra as realizações feitas no Orkut, quando visualizações do perfil por semana ou no total vêm separadamente. A novidade está agregada tanto para páginas pessoais quanto de amigos ou públicas.  

O usuário que quiser saber desses detalhes precisa acessar o perfil de quem ele deseja obter os dados e, assim, o número de acesso de visualizações aparecerá para ele. Para saber do seu próprio perfil é só o usuário ir até o menu lateral do Google + e escolher a alternativa “Perfil” e lá estará os números detalhados. Se a curiosidade for para saber a contagem de visualizações de amigos ou até mesmo de personalidades, é só acessar a página daquele usuário que saberá quais os números atingidos por ele. A contagem vai aparecer embaixo da imagem do usuário e do nome dele ou instituição.

Essa possibilidade revelada pelo Google + vai atender principalmente personalidades públicas e empresas, para continuar ou melhorar estratégias de marketing para mais divulgação e visualizações. O interessante é que qualquer um pode ter acesso a esses números, dos outros e de si próprio. O usuário pode saber da sua popularidade na rede social e ainda pode comparar a sua com os dos amigos e conhecidos. O Google divulgou a novidade, mas afirmou que a contagem em certos momentos pode não estar atualizada em tempo real e que talvez os números não sejam tão precisos como o usuário queira. O recurso só está disponível para computadores, o programa ainda não tem disponibilidade para Android e nem iOS.

Ao usuário mais reservado que não quer que o número de visualizações apareça em seu perfil e nem utilizar o recurso para saber a contagem de outros, o Google + deu a opção de desativação do dispositivo. Basta ir novamente no “Perfil” e desmarcar a opção “Mostre quantas vezes o seu perfil e conteúdo foram visualizados”. 

Por Carolina Miranda

Google +

Foto: Divulgação


O Google Street View, do Google Maps, é conhecido por todos, mas talvez não é conhecido em seus detalhes. O programa traz a oportunidade do usuário viajar por trilhas no meio da Floresta Amazônica, ver detalhes do Corcovado, fazer passeios pelas vielas de Veneza e até mesmo admirar o visual do Grand Canyon.

Veneza pode ser a primeira viagem do usuário. A cidade italiana é conhecida por ser romântica e pode ser desvendada pelo programa do Google. As gôndolas, pontes em pequenas ruas e a inspiração histórica que a cidade possui.

Pelo Google Street View o navegante pode desfrutar dos detalhes do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro. Passear pela estradinha do Corcovado até o ponto mais alto do monumento. Para ir mais longe, o usuário pode fazer uma visita virtual ao Rio Negro, um dos mais famosos no Estado do Amazonas e que chama a atenção por ser um dos rios mais extensos do mundo e navegável por cerca de 700 quilômetros. Os amantes do ecoturismo podem apreciar o encontro do Rio Negro e Solimões próximo a capital de Manaus. Os dois correm por quilômetros, lado a lado, sem se misturar.

Outra viagem sem sair de casa pode ser feita para Yucatán, no México. Cidade conhecida por suas arqueologias e de grande importância social, cultural e política há centenas de anos para os povos Maias. E mesmo sem os avanços tecnológicos que temos hoje, a civilização da época construiu monumentos complexos, alinhadas com o trajeto do sol.

A trilha Bright Angel pode ser visitada pelo Google Street View. Com o programa, pode-se observar a grandiosidade do Grand Canyon, nos Estados Unidos. Ou mesmo ficar por aqui no Brasil e caminhar pela Floresta Amazônica com um monitoramento em tempo real feito pelo Google sobre os desmatamentos ilegais da Floresta.

O usuário também pode dar uma volta no outro lado do mundo. A Muralha da China é um dos lugares mais visitados do mundo, erguida há 220 A.C. O monumento histórico é constituído simplesmente por tijolo e barro.  

Por Carolina Miranda

Google Street View

Foto: Divulgação


A Google Play é a loja oficial de apps para os dispositivos Android. Embora tenha uma boa quantidade de aplicativos, a maioria deles é direcionada exclusivamente para os smartphones com telas menores. Os aplicativos disponíveis para tablets geralmente possuem um formato diferenciado, exclusivo para uma plataforma com tela maior e capacidade de processamento levemente aumentada. Muitas vezes não é possível encontrar um aplicativo ideal para a utilização em tablets, o que acaba levando o usuário a instalar um app criado especialmente para telas menores, o que causa uma visualização ruim em dispositivos com telas maiores, como 10 polegadas, por exemplo.

Para resolver esse problema, a Google anunciou que irá modificar a página do Google Play para que os aplicativos desenvolvidos exclusivamente para telas maiores possam ficar mais visíveis quando o acesso for feito a partir de tablets. A data escolhida para as mudanças foi o dia 21 de novembro e de acordo com a companhia, uma nova área descrita como “especialmente para tablets” deve ficar na página inicial, bem ao centro.

O anúncio vem junto com a notícia de que cerca de 50% dos dispositivos vendidos com o Android são tablets com telas de 7 ou 10 polegadas. Apesar das mudanças, o usuário será capaz de modificar as preferências caso queira ver todos os tipos de aplicativos do serviço.

O objetivo principal da mudança é oferecer mais facilidade tanto para usuários quanto para desenvolvedores na hora de encontrar aplicativos ideais para seus dispositivos.

Ebenézer Carvalho


Parece que o próximo Nexus 7 chegará ao mercado com uma grande novidade em sua tela. Segundo o jornal DigiTimes, o novo tablet da Google poderá vir equipado com um display de 1.900 x 1.200 pixels, a mesma resolução do iPad 4. O aparelho deverá ser apresentado em junho e suas vendas começarão no mês seguinte.

O público esperava que o Nexus 7 fosse apresentado na Google I/O, que aconteceu na semana passada, mas o aparelho ficou de fora do evento, da mesma forma que aconteceu com a nova versão do Android, que também está sendo muito aguardada. Mesmo assim, várias informações a respeito do tablet começaram a surgir.

De acordo com o DigiTimes, o novo Nexus 7 contará com processador Snapdragon da Qualcomm, mas ainda não foi definida qual será a versão escolhida.

Todas as informações reforçam os boatos de que a Google irá apresentar a nova versão do Android junto com o Nexus 4.

Mesmo com todos os rumores, a Google ainda não falou nada oficialmente a respeito de seus novos produtos. Além disso, a mesma ainda não informou se o novo Android será 4.3 ou 5.0.

Por Felipe Santos Bonfim


Mal teve seu anúncio, o novo Chromebook do Google já foi alvo de dúvidas em relação à sua eficácia e seu custo-benefício. Mas não é pra menos, custando cerca de US$ 1.400 nos Estados Unidos, questiona-se acerca da qualidade final e experiência de usuário.

Uma das boas e más notícias sobre o novo Chomebook Pixel é com certeza sua tela, que tem uma altíssima definição, (2560×1700 pixels). Sua tela com certeza chama a atenção, mas talvez não só pela resolução, mas também pelo formato que é 3:2. É mais quadrada que uma televisão de tubo, que segundo o Google, serve para uma melhor visualização das páginas da web, mas será que seria prazeroso ver um vídeo nessa tela?

Uma coisa é certa, o novo Chromebook Pixel é no mínimo curioso, pois tem como item opcional um modem de conexão 4G LTE, que é uma boa para um notebook, mas infelizmente só são disponibilizados gratuitamente 100MB mensais durante 2 anos, o que praticamente impossibilita quase qualquer idéia que não seja ler as notícias ou feeds de redes sociais.

Sua configuração não é a mais incrível do mundo, pois conta apenas com um processador Intel Core i5 e uma placa de vídeo Intel HD Grafics 4000 como destaques, além de um SSD de 32GB ou 64GB.

Embora seja uma ótima sacada do Google, o novo Chromebook Pixel não deve fazer muito sucesso, muito menos emplacar o sistema Chrome OS, mas versões aprimoradas do sistema e dos próximos modelos podem dar rumos diferentes às coisas.

Por Anderson Silva.


Novos rumores começaram a circular na mídia a respeito de um notebook com tela touchscreen da Google.

Dessa vez, o jornal The Wall Street Journal publicou informações que conseguiu com fontes anônimas e próximas da gigante das buscas. Segundo o jornal, o novo aparelho deve ser lançado no mercado até o final de 2013.

Caso um notebook com display sensível ao toque esteja a caminho, provavelmente o sistema operacional seja remodelado, pois até então o Chromebook OS é utilizado em notebooks e o Android é usado em dispositivos com telas touch. Assim, a expectativa é de que talvez seja desenvolvido um sistema operacional que seja uma “mistura” entre o Chromebook OS e o Android, talvez semelhante ao Windows 8, que hoje é aplicado tanto em notebooks normais como em tablets.

Apesar dessas informações, não sabe-se detalhes das características de hardware do notebook, nem o valor pelo qual ele será vendido, mas espera-se que o preço seja razoável e não muito alto.

Vale lembrar que isso é apenas um rumor, pois a Google ainda não confirmou nenhuma das informações divulgadas pelo The Wall Street Journal.

Por Guilherme Marcon


O Google está oferecendo US$ 3,14 milhões para quem conseguir encontrar alguma falha de segurança em seu sistema operacional, o chamado Chrome OS. O valor em questão será pago aos candidatos que participarem do Pwinium, concurso previsto para ocorrer no mês de março na cidade de Vancouver, no Canadá.

De acordo com as informações divulgadas, esse valor não será pago apenas a uma única pessoa e sim dividido de acordo com as etapas (ou falhas encontradas). Os hackers interessados em participar deverão identificar os possíveis erros do Chrome OS usando um notebook Samsung 550 e que tenha conexão apenas por Wi-Fi.

Voltando a divisão dos valores, estes serão mais ou menos da seguinte forma: problemas temporários identificados serão premiados com US$ 110 mil. Falhas que continuarem a afetar o sistema mesmo após a reinicialização do mesmo garantirão ao “descobridor” a quantia de US$ 150 mil.

Para quem acha isso estranho, vale lembrar que é apenas mais um jeito de garantir a segurança do sistema, uma vez que além do setor de segurança propriamente dito, existem usuários externos que contribuem de forma bastante eficiente na identificação de falhas.

Por Denisson Soares


Recentemente, um grande jornal econômico japonês divulgou uma pesquisa que realizou sobre o mercado local de tablets. Conforme a divulgação, o iPad pode ter perdido a liderança do mercado no Japão para o Nexus 7.

De acordo com os resultados da pesquisa, o Nexus 7, tablet fruto da parceria entre Google e Asus, foi muito bem aceito pelos consumidores japoneses e, por isso, 44,4% dos entrevistados apontou que prefere ele e não o iPad, que ficou com 40,1%.

Entretanto, as entrevistas feitas não levaram em conta o iPad Mini, que foi lançado pela Apple no final do ano passado e teve suas unidades disponíveis para venda esgotadas. Ainda assim, uma das principais “características” que dá a preferência ao Nexus 7 é o preço, pois ele custa US$ 130 a menos que o iPad, o que equivale a mais ou menos R$ 260.

Como o Japão é um dos mais fortes mercados, se essa tendência se confirmar nos números de vendas, pode ser que o iPad tenha sua popularidade diminuída também no mundo todo. Porém, todos sabem que a intenção da Apple em lançar o iPad Mini foi a de ter um tablet mais barato e que penetrasse em um nicho um pouco diferente do iPad tradicional, dando uma margem de mercado maior para a Maçã.

O Nexus 7 tem previsão de chegar ao Brasil muito em breve, o problema é que seu preço não sai tão barato por não haver subsídios da Google. Assim, o novo tablet da Asus e da gigante das buscas será vendido por quase R$ 1.300.

Por Guilherme Marcon


Mesmo com todas as especulações e a expectativa de que a Google lançasse o novo tablet Nexus 7 no mercado brasileiro antes do Natal, o dispositivo só chegará ao Brasil no ano que vem.

O motivo para o lançamento somente em 2013 seria devido ao fato de que a Google está adaptando o tablet às características exigidas pela Anatel, para que a homologação aconteça rapidamente. A ideia é conseguir a aprovação o quanto antes para que o Nexus 7 chegue às lojas no início do ano. Outra justificativa é que o sistema tributário aqui no Brasil dificulta um pouco também a questão da importação do produto.

Além disso, de acordo com Hugo Barra, no ano que vem a Google Play será bastante ampliada no mercado brasileiro, pois começará a oferecer revistas, músicas e séries de TV para os consumidores do Brasil. Entretanto, ainda não há um período específico do ano previsto para isso acontecer.

Mesmo com as informações divulgadas, nada foi dito sobre como a venda será feita, se a Google o fará diretamente ou fechará parcerias para tal. Porém, há informações de que o preço do tablet não será tão acessível como é nos Estados Unidos.

Por Guilherme Marcon


Nem o furacão Sandy detém a Google. Apesar de ter cancelado seu evento planejado em razão dessa catástrofe natural, a empresa divulgou em seu Blog Oficial os seus novos produtos. Em parceria com a Samsung, foi lançado um novo tablet, o Nexus 10.

Em análise, percebe-se que o seu design é elegante e moderno. O aparelho utilizará o sistema operacional Android 4.2 Jelly Bean.

O novo tablet da Google possui bateria com duração de até nove horas, além de oferecer uma tela de 10 polegadas com resolução de 1280 x 800 pixels. O novo tablet possui ainda câmera para vídeo conferência (com 1.2 megapixels) e conectividade com a rede Wi-Fi, 3G, Bluetooth e NFC.

Os preços do Nexus 10 são menores que do iPad, apesar de possuir configurações melhores que o tablet da Apple.

Há indícios de que o Nexus 10 chegue às lojas no dia 13 de Novembro, com preços variando de acordo com a memória.

O tablet da Google é sem dúvida um grande concorrente para a Apple, se considerados o preço e a configuração, o que é muito bom para os clientes que buscam sempre inovações tecnológicas no mercado.

Por Renato Benevenuto


Após o lançamento do novo iPad Mini da Apple, no dia 23 de outubro, o tablet da Google com 8 GB de armazenamento, o Nexus 7, teve suas vendas suspensas na loja da gigante das buscas.

Na Play Store a mensagem que pode ser vista na página do Nexus 7 com 8 GB é a de “em breve”, porém, sem possibilidade de sequer encomendá-lo. Conforme informações do site Android Central, o aparelho foi retirado de vendas pelo fato de que a versão com 16 GB será lançada com o mesmo preço da com 8 GB, que era de US$ 199 (mais ou menos R$ 400 sem impostos). Junto da disponibilização de vendas do Nexus 7 com 16 GB, será disponibilizado o novo Nexus com tela de 10 polegadas produzido pela Samsung.

Entretanto, vale lembrar que para os brasileiros a Google Play Store ainda não está disponível, então não é possível acessar qualquer dispositivo Nexus para compra no território brasileiro. Além disso, não há previsão para chegada dos tablets Nexus ao Brasil, nem o lançamento da loja da gigante das buscas.

Os novos dispositivos, como o Nexus com tela de 10 polegadas, foram apresentados no evento que aconteceu no dia 29 de outubro. De fato a briga entre Apple e Samsung + Google fica cada dia mais intensa.

Por Guilherme Marcon


Recentemente surgiram boatos de que o Google estaria planejando um novo lançamento de um tablet no final deste ano, visando as compras de natal. O aparelho seria uma versão simplificada do Nexus 7 e custaria apenas US$ 99.

De acordo com o site Digitimes, diversas empresas asiáticas estão se envolvendo na produção do novo tablet, em uma preparação para um grande volume de encomendas. Entretanto, a versão de baixo custo do tablet com Android puro do Google teria que ser reformulada, de modo que teria hardware muito mais simples, sendo produzido com processador de um núcleo da WonderMedia, ao invés da Nvidia. Além disso, a tela também seria produzida por outra empresa, neste caso a HannStar Display.

Se este rumor for confirmado, a Asus acabaria ficando de lado na produção da nova versão do tablet. Entretanto, o Google não se pronunciou sobre o assunto e, quando procuradas, a Quanta Computer (que ficaria no lugar da Asus) e a Asus preferiram não se pronunciar também.

Sendo assim, as informações podem não passar de meros boatos para aquecer um pouco o mercado tecnológico. Porém, há algum tempo, antes do lançamento do Nexus 7, informações de um tablet do Google que custaria US$ 99 foram divulgadas na internet.

Por Guilherme Marcon


No final da terceira semana de outubro, a Google anunciou o seu mais novo Chromebook, produzido em parceria com a sul-coreana Samsung.

O aparelho roda com o sistema operacional da Google, o Chrome OS, e é um notebook de nível médio, para quem busca um aparelho razoável e útil, porém, nada superpotente. Além disso, o dispositivo conta com tela de 11.6 polegadas e é muito leve, pesando cerca de 1 kg e medindo apenas 2 centímetros de espessura.

Conforme a nota publicada pela Google, o novo Chromebook inicia em apenas 10 segundos e tem a capacidade de ser ativado logo após ser bloqueado. As especificações de hardware divulgadas são: capacidade de armazenamento interno de 100 GB em SSD (via Google Drive), processador Exynos 5 da Samsung com dois núcleos, entradas USB 3.0 e 2.0, conexão HDMI, conectividade com Wi-Fi e Bluetooh 4.0, câmera na parte da frente VGA e bateria que dura cerca de 6 horas e meia.

Tendo em vista que é um aparelho da Google, o Chromebook possui integração com todos os serviços da gigante das buscas, além de diversos apps que já vêm pré-instalados. O novo Chromebook sai por US$ 249, o que equivale a mais ou menos R$ 500, sem impostos. Não há data de previsão para lançamento no Brasil. Até então, é possível comprar o novo notebook via Amazon, Google Play, Best Buy e PC World, além de que em breve o aparelho chegará às lojas especializadas.

Por Guilherme Marcon


Há vários concorrentes do iPad no mercado, mas sem nenhuma dúvida o Nexus 7 da Google é o que mais conseguiu se destacar dentre eles. Para confirmar essa informação, David Change (CFO da Asus) deu sua declaração ao “The Wall Street Journal” e falou que por mês são vendidos aproximadamente 1 milhão de aparelhos no mundo todo.

O CFO disse que no início eram vendidos cerca de 500 mil aparelhos Nexus 7, depois passou para 600 mil, depois 700 mil e no mês passado o tablet atingiu a marca de quase 1 milhão de aparelhos vendidos. Ainda que o tablet esteja longe de conseguir chegar aos números do iPad, a informação revela claramente que diversos consumidores estão dispostos a gastar seu dinheiro em outros aparelhos e não só nos da Apple como acontecia antigamente.

O Nexus 7 vem fazendo tanto sucesso que na última terça-feira (dia 30 de outubro) a fabricante revelou que pretende aumentar consideravelmente o número de unidades do tablet que ela envia aos fornecedores e isso acontecerá já no terceiro trimestre de 2013. Mesmo a Google não revelando o total de unidades vendidas oficial, o mercado espera que a produção do aparelho suba para 200% comparado ao segundo trimestre do ano comercial.

Por Felipe Santos Bonfim


Na última quinta-feira, 25 de outubro, a FCC, agência reguladora da telefonia norte-americana, deu a confirmação de que o Google irá lançar uma versão do Nexus 7 com suporte para conexão 3G.

O aparelho surgiu na lista de dispositivos em fase de testes da agência, e será revelado em breve.

No mês passado, o fórum MoDaCo falou sobre o lançamento da nova versão do Nexus 7 e afirmou que a companhia iria apresentá-lo em outubro. Os rumores diziam que, além da conexão 3G, a nova versão teria 32 GB de armazenamento interno e custaria aproximadamente US$ 230, algo em torno de R$ 460. 

O preço baixo do dispositivo deveria preocupar a concorrência, em especial a Apple que acaba de lançar o iPad Mini por US$ 329 para a versão de 16 GB e sem conexão 3G.

Além do Nexus 7, o Google deverá revelar o LG Nexus 4 e o Nexus 10, com display de 10 polegadas e resolução superior a Full HD. Os aparelhos deverão vir equipados com a versão 4.2 do Android.

Ainda não foi revelada nenhuma informação sobre essa nova versão do sistema operacional do Google, mas a expectativa é que ela corrija os bugs que a plataforma apresenta, ofereça novos recursos e traga melhorias no desempenho.

Por Felipe Santos Bonfim


Na última quinta-feira, 18 de outubro, a Google revelou seu novo dispositivo feito em pareceria com a Samsung, o Chromebook. O computador que conta com o sistema operacional próprio da Google, o Chrome-OS, chegará ao mercado americano até o final de outubro, com boas especificações técnicas  e preço bem abaixo da média, apenas 249 dólares.

O Chromebook conta com tela de 11,6 polegadas, é leve e super compacto, ideal para os consumidores que precisam carregar seus computadores para todos os lugares. Além disso,  o computador conta um visual bem atraente e minimalista.

De acordo com a fabricante o aparelho possui ótimo desempenho e é capaz de iniciar em menos 10 segundos. O notebook ainda conta com processador da Samsung, o Exynos 5 dual-core, porta HDMI, uma entrada USB 3.0 e outra 2.0, câmera VGA, bateria com autonomia de 6,5 horas e SSD de 100 GB .

Por contar com o sistema Chrome OS da Google ele possui integrações com todos os serviços da companhia e vários aplicativos pré-instalados da própria Google.

O Chromebook já está em pré-venda na Amazon, PC World e Best Buy e até o final do mês ele chegará a todas as lojas físicas do mercado americano e inclusive a Google Play.

Por Felipe Santos Bonfim


O Google recentemente comunicou aos usuários do iGoogle a desativação do serviço em 1º de novembro de 2013. Já a versão do iGoogle para dispositivos móveis, será desativada no dia 31 de julho de 2012.

Com a criação do Chrome e do Android, o acesso ao iGoogle, lançado em 2005, diminuiu com o tempo, tornando inviável seu uso na Internet. O usuário terá um ano e quatro meses para continuar utilizando o ambiente virtual.

Quanto aos dados pessoais dos usuários, estes permanecerão disponíveis em outros serviços da empresa, como por exemplo, o Gmail, o Google Agenda, o Google Finance, o Google Docs, o Google Bookmarks e o Google Tarefas.

As informações de outros gadgets, como a lista de tarefas, poderão ser exportadas ao clicar no botão “Fazer download de tudo” (localizado menu suspenso, no título da lista do usuário).

Existem gadgets que são de terceiros. Neste caso, é necessário que o internauta entre em contato com os criadores caso haja interesse na exportação dos dados.

Fonte: Google

Por Maria Yrlene


O Google lançou o Nexus 7, seu primeiro tablet com tela de 7 polegadas e processador NVIDIA Tegra 3. Agora, surgiram informações de que a empresa está com planos de lançar uma versão maior do dispositivo.

De acordo com algumas fontes ligadas ao site DigiTimes, o Google já iniciou o processo de produção e o novo aparelho da linha que terá display de 10 polegadas.

Segundo os rumores, a empresa de Sergey Brin estaria trabalhando em conjunto com a AU Optronics para desenvolver a nova versão do tablet, e a fornecedora dos painéis do Nexus 7, a Wintek, ficaria responsável de produzir as telas com as dimensões maiores. Além da Wintek, a TPK Holding também faria parte do fornecimento dos componentes da nova versão do Nexus tablet.

Ainda não há nenhuma previsão de quando o Google irá lançar o dispositivo, mas algumas evidências mostram que isso deverá demorar a acontecer. De acordo com o site SlashGear, a gigante das buscas pretende estimular o desenvolvimento de aplicativos para Android que sejam compatíveis com telas maiores, nem que para isso ela tenha que vender seus aparelhos com pouca ou nenhuma margem de lucro.

Por Guilherme Marcon


Vários detalhes do novo tablet do Google, o Nexus 7, estavam sendo especulados nos últimos meses, sempre surgiam informações na mídia de fontes anônimas sobre as características do produto. Na última segunda-feira, 25 de junho, algumas imagens e as especificações do tablet foram publicadas através de um blog australiano.

O site australiano alegava ter recebido um documento que detalhava o lançamento do tablet, acompanhado de algumas imagens renderizadas que, ao que parece, eram o design do novo aparelho.

Segundo o documento, o Nexus 7 contaria com tela de 7 polegadas, processador quad-core Tegra 3 com 1.3 GHz, CPU GeForce com 12 núcleos, memória RAM com 1 GB e câmera frontal de 1.2 megapixels. A bateria do tablet teria duração de até 9 horas de uso. Além disso, no documento ficou confirmado que o tablet será fabricado pela ASUS e deverá chegar com o Android Jelly Bean.

O Nexus 7 deverá custar US$ 199 para o modelo de 8 GB e US$ 249 para a versão 16 GB.

Os rumores divulgados pelo site realmente foram confirmados e o tablet foi anunciado durante o Google I/O, no dia 27 deste mês.

Por Guilherme Marcon


Rumores indicam que o Google irá aproveitar a próxima edição do evento I/O, organizado pela própria empresa, que acontecerá entre os dias 27 e 29 de junho no Moscone Center, em São Francisco, para mostrar ao público seu novo tablet, o Nexus 7. O dispositivo foi desenvolvido em parceria com a ASUS e deverá ser fabricado pela Quanta Computer.

O site DigiTimes conseguiu algumas informações e, segundo elas, o dispositivo conta com tela de 7 polegadas e teve sua distribuição iniciada no começo de junho deste ano, e já deverá estar disponível no mercado a partir do próximo mês. Espera-se que no mínimo 3 milhões de aparelhos sejam produzidos no próximo semestre.

Jonney Shih, CEO da Asustek, deverá estar presente na apresentação do novo tablet. Devido ao baixo custo, estimado em US$ 199, o dispositivo irá contar apenas com conexão Wi-Fi e não possuirá câmera traseira, apenas uma câmera frontal que servirá para videochamadas.

Dentre os softwares que irão acompanhar o produto, está presente uma versão do Google Chrome aprimorado com alguns códigos que prometem solucionar os problemas de compatibilidade com outros aplicativos.

Por Guilherme Marcon


Finalmente a Google deve lançar o seu primeiro tablet e a previsão é que isso aconteça durante a Google I/O 2012, conferência de desenvolvedores que está agendada para o dia 27 de junho em São Francisco, EUA.

Segundo algumas fontes, a ASUS é quem irá produzir o Nexus Tablet, que contará com processador NVIDIA Tegra 3 quad-core.

Além disso, os rumores apontam que o modelo terá tela de 7 polegadas e virá equipado com o novo Android 5.0. Devido à parceria entre a Asus e a Google, o tablet trará a versão “pura” da plataforma, o que significa que não terá as famosas modificações feitas pelas fabricantes de hardware.

Ainda, o site Phone Arena conseguiu algumas fotos e alega se tratar do novo tablet. De acordo com as imagens, o dispositivo será bastante semelhante ao Galaxy Note e trará um alto falante na parte superior do aparelho, o que significa que será possível fazer e receber ligações.

Segundo o site Tecno Buffalo, a NVIDIA afirmou que está produzindo um tablet com valor baixo, algo em torno de US$ 200, e é possível que o tablet da Google também chegue ao consumidor final com este preço.

Por Guilherme Marcon


Conforme diversos rumores, o Google já está finalizando o seu novo dispositivo chamado de Chromebook e, ao que tudo indica, a empresa está com a meta de lançado no mercado mundial até o final deste ano.

As informações sobre o Chromebook vêm se tornando “mais oficiais” a cada dia que passa, pois recentemente a própria gigante das buscas anunciou em uma conferência que quer ter uma presença forte no mercado de notebooks até o mês de dezembro de 2012.

Para isso, a empresa estaria insistindo em um pedido de colaboração aos seus parceiros de Taiwan para que a demanda de produção seja executada com exatidão e rapidez.

Os boatos indicam que o Google pretende entrar com força total no mercado de notebooks para competir diretamente com as poderosas Microsoft e Apple, que já detém grande parte do mercado.

Além disso, apesar de não terem sido divulgadas informações específicas do novo Chromebook, muitos sites estão “revelando” que todos os aparelhos da linha estão sendo produzidos no continente asiático e que eles terão performance otimizada e uma experiência de uso mais qualificada que os sistemas operacionais da Apple e da Microsoft.

Por Guilherme Marcon


Segundo o CEO da Google, Larry Page, a empresa irá focar todos os seus esforços nos próximos meses para o lançamento de seu novo tablet com processador de quatro núcleos e sistema operacional Android 4.0.

O CEO concedeu uma entrevista à imprensa internacional e falou sobre vários assuntos, como o navegador da empresa, a página de buscas, o Android e a rede social Google+.

Segundo Page, o custo por clique continuará a aumentar nos próximos anos e irá se manter como a principal alternativa de publicidade nos sites, mas mesmo assim o lucro vindo dos dispositivos móveis deve ser maior.

Os tablets fazem grande sucesso, principalmente os de baixo custo, e isso fez com que a Google repensasse sobre seu posicionamento em relação a esse mercado. A ideia da empresa é lançar seu próprio dispositivo com configurações bem avançadas e ótimo sistema operacional.

Alguns boatos apontam que o novo tablet irá custar por volta de US$ 199, cerda de R$ 366. Mas a concorrência já abriu o olho e está se preparando para lançar novos produtos com a mesma característica, para competir de igual para igual no mercado.

Por Guilherme Marcon


Atualmente, a disputa entre os sistemas operacionais em smartphones e tablets é muito intensa e às vezes uma fabricante tem que se renovar para conseguir atingir alguns de seus objetivos. E isso aconteceu recentemente com o Google, com seu Android 4.0 Ice Cream Sandwich, pelo fato de ele não ter atingido o desempenho esperado.

Mesmo com a grande repercussão tendo vários aparelhos prometendo atualizar os seus sistemas para a última versão do Android ou com o surgimento de novos equipamentos já com essa última versão, os números não mostraram o que o Google queria.

Sendo assim, a empresa já está estudando formas para melhorar o sistema e lançar o Android 5.0 Jelly Beans. E, de acordo com o site Digitimes, o Google provavelmente lançará a nova versão da sua plataforma ainda no primeiro semestre de 2012.

A escolha da data é estratégica, pois seria um adiantamento com relação ao lançamento do Windows 8 estipulado para o segundo semestre deste ano. Isso, porque a nova versão do Android deve ter melhorias tanto para smartphones como para tablets e a grande novidade seria a tecnologia Dual-boot, em parceria com o Windows 8, permitindo que os usuários possam alternar de sistema operacional (entre Android e Windows) de forma ágil e sem necessitar do desligamento do aparelho.

Por Guilherme Marcon


Um funcionário anônimo autorizado a falar em nome do Google, confirmou o que alguns especialistas já vislumbram há algum tempo. De acordo com o que o funcionário disse a um repórter do Gizmodo, o Google já não se apoia apenas no mecanismo de busca da internet, porém esse serviço ainda é um dos principais da companhia, ele apenas deixou de ser “O serviço”.

O Google não gosta de se acomodar, e segundo o Business Insider a empresa anunciou que irá melhorar a capacidade de responder a perguntas, em vez de só listar sites relacionados a elas.

O novo movimento já havia sido anunciado no ano passado pelo presidente-executivo da empresa, Larry Page, que informou que a divisão que cuida das buscas deixará de ser chamada de BUSCAS e passará a ser chamada de CONHECIMENTO.

O CEO também já havia informado que missão do Google já não era mais apenas organizar as informações do mundo, e sim levar tecnologia para o futuro.

Para nós que apenas utilizamos o Google como site de buscas, ainda não ficou claro o que a empresa tem em mente, dessa forma o Google continua sendo a grande caixa de conteúdo e informações da web.

Por Guilherme Marcon


Mais rumores estão surgindo, mas não podemos esperar menos do Google, a gigante das buscas. Conforme o site Slash Gear, o Google está se preparando para adotar a mesma estratégia que utilizou – e funcionou – com os smartphones, que é a de lançar o seu próprio tablet com sistema Android.

O site indica, também, que a gigante pode começar a produzir o novo aparelho já no mês de abril de 2012, mas nada foi confirmado ainda. O site prevê que o tablet seja da linha Nexus, com resolução de 1280 x 800 pixels e 7 polegadas de tela, além do provável Android 4.0.

Com base no mercado, é possível que o Google veja seu tablet como uma versão próxima do Samsung Galaxy Tab 7, que seria um modelo Premium priorizando design refinado e alta qualidade.  Mas ainda não se sabe se a estratégia será de competir com o Kindle Fire e o Nook, ou se vai ficar entre os modelos mais caros.

Como o sistema Android muitas vezes é personalizado de acordo com o fabricante do aparelho que vai utilizá-lo, é bem provável que o Google utilize em seu tablet o Ice Cream Sandwich na sua forma pura, sem alterações.

Por Guilherme Marcon


O ano de 2012 já está prometendo grandes novidades. Várias empresas já se pronunciaram quanto aos seus planos de lançamentos de novos aparelhos, sejam eles smartphones, notebooks ou tablets.

Hoje trazemos mais uma novidade para os amantes da tecnologia, principalmente para os aficionados pelos tablets.

O presidente do Google, Eric Schmidt, anunciou em uma entrevista concedida ao jornal italiano Corriere della Sera que a empresa pretende lançar nos próximos seis meses um tablet próprio.

Apesar da falta informações sobre o novo tablet, existem muitas pessoas que acreditam que o Google irá manter sua parceria com a Samsung para a produção de um aparelho da linha Nexus.

Além disso, o presidente informou que o aparelho irá trazer uma tecnologia semelhante ao Siri, usado no iPhone 4S.

Eric Schmidt ainda elogiou Steve Jobs pela criação do iPad chamando-o de “Michelangelo de nosso tempo”, mas disse que nada impede o Google de criar algo parecido já que vivemos em um sistema capitalista.

Depois dessa informação, creio que você ficará ligado nesse novo lançamento.

Quando tivermos mais informações, teremos o prazer de trazê-las até vocês. Até mais!

Por Tiago Batista


O Google ataca por todos os lados. Das redes sociais aos tablets. E a nova cartada da gigante americana é o mundo dos livros. Para ser mais exato, o mundo dos leitores de livros digitais. Em parceria com a iRiver, a empresa anunciou o lançamento do leitor de e-books (e-reader) Story HD. O dispositivo chega para concorrer com aparelhos bem posicionados no mercado como o Nook e o Kindle.

Com design semelhante ao do leitor da Amazon, o Story HD tem tela monocromática de 6 polegadas com tecnologia e-Ink. Seu grande trunfo não deve ser o hardware, mas o software. A parceria com o Google significa que o aparelho terá integração com a loja de e-books da companhia americana, a Google ebookstore, que tem um catálogo de milhares de obras.

O e-reader chega ao mercado americano em meados de Julho. Ele será vendido pela loja de departamentos Target e custará 140 dólares. Nesse mercado competitivo, que ainda tem os tablets Android e o iPad, o apoio do Google deve ser crucial para o sucesso do iRiver Story HD.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: Engadget


Para quem gosta de acompanhar as evoluções do webmail mais paramentado da internet, a Google anunciou no dia 10 de março mais um recurso para facilitar a vida dos seus usuários: o Gmail Smart Labels.

Segundo a empresa, o Smart Labels auxilia na classificação e organização dos emails. Para começar a usá-lo, basta ativá-lo através da guia Labs, presente nas configurações do Gmail. Tal recurso irá aplicar determinados rótulos às mensagens recebidas, denominados “Massa” (para mensagens informativas e promoções), “Notificação” (mensagens comerciais) e “Fórum” (emails de grupos de envio), o que significa que poderemos contar com uma espécie de motor de categorização de mensagens recebidas.

Em resumo, podemos sintetizar que o Gmail pretende criar, com o Smart Labels, um filtro inteligente, que ao enfileirar mensagens de conteúdo similar, as coloca em nossa caixa de entrada para leitura futura, conforme a nossa disponibilidade.

O usuário, por fim, terá direito de sinalizar à Google se perceber que determinada mensagem foi categorizada erroneamente.

Por Alberto Vicente


O anúncio da Google TV causou grande alvoroço no mercado internacional de entretenimento. E muita gente falou que a Apple teria que correr atrás para modificar a Apple TV e pode competir com o Google, que tem ao seu lado gigantes do setor.

Mas é possível que a Apple nem precise se preocupar muito com isso, pois a chance de o iPad se transformar num verdadeiro computador com TV é grande. Nos Estados Unidos, alguns canais à cabo já disponibilizam seu conteúdo para o tablet via rede sem fio.

Já no Reino Unido, a Sky lançou um aplicativo para o iPad com a mesma função. Ou seja, levar a programação de diversos canais para a tela do aparelho, incluindo o ESPN e Sky Sports. O único problema é que os clientes terão de pagar pelo conteúdo acessado.

Por enquanto não há previsão de levar o serviço a outros países.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: MacWorld


O sistema operacional para netbooks, o Chrominum, do Google promete ser o mais veloz de todos os tempos. Espera-se que ele inicie em 7 segundos, já que seria totalmente baseado na Web, ou seja, na nuvem. Também conhecido como Chrome, o OS ainda não em data definida para o lançamento. A expectativa é que seja antes do fim do ano.

Algumas empresas como a Acer até insinuaram que poderiam lançar um tablet ou netbook com o sistema ainda neste mês. Mas por enquanto, tudo não passou de especulação.

Enquanto isso, o Google vai disponibilizando imagens do sistema em seu site oficial. A ideia é compartilhar experiências com os usuários e testar as reações, já que se trata de um sistema com código-fonte aberto.

E o que se percebe é que o Chrominum ainda está verde, e que ainda falta muito para ele virar um OS de verdade.

Por Maximiliano da Rosa





CONTINUE NAVEGANDO: