Intel e Microsoft, em parceria com a Lenovo, a Dell e a HP, trabalham juntas em uma campanha que visa mostrar aos usuários as qualidades de se ter um PC moderno.

As tecnologias avançam e novos dispositivos acabam tomando o lugar de outros. É o que está acontecendo com os Personal Computers (PCs). Para enfatizar que o PC ainda tem grandes vantagens sobre os demais dispositivos, várias empresas são capazes de se unir para provar ao consumidor que há espaço para os microcomputadores.

As empresas norte-americanas Intel e Microsoft estão trabalhando juntas com três das maiores fabricantes de computadores convencionais. O objetivo? Trabalhar em uma publicidade capaz de convencer os compradores de todas as coisas incríveis que um PC moderno é capaz de fazer. Os anúncios serão exibidos na TV, online, e em propaganda impressa.

A campanha, que tem por objetivo retomar o mercado de PCs, que vem perdendo espaço para tablets, smartphones e Smart TVs, terá o nome “O que um PC faz?” e será veiculada na China e Estados Unidos.

As marcas escolhidas para a campanha foram: Lenovo, Dell e HP. A campanha enfatizará o fato de que os computadores modernos com Windows 10 fazem muito mais que aqueles que as pessoas normalmente possuem em casa e no trabalho. Segundo a Intel, mais de 500 milhões de PCs já têm mais de 5 anos de uso.

Historicamente, a maioria da publicidade feita em cima da indústria de Computadores foi subsidiada pela Intel e Microsoft, cujos lucros são, obviamente, muito maiores do que o das fabricantes de PCs.

A campanha já iniciou em um webcast com a participação dos diretores executivos de marketing de cada empresa.

Pesquisas indicam que a queda nas vendas de computadores pessoais vai reduzir mais de 8% – e só estabilizarão no ano de 2017 – por esse motivo, as empresas precisaram se unir, e provar ao consumidor que ainda que os outros dispositivos estejam cada vez mais parrudos, a utilidade de um PC deve ser lembrada.

A pergunta que fica no ar é a seguinte: Será que vai dar certo? Os consumidores irão voltar, ainda que devagar, a preferir os microcomputadores aos dispositivos portáteis? Isso apenas o tempo poderá dizer.

Por Júnior Beluzzo

PC da Lenovo

Foto: Divulgação


Quando se compra um computador de mesa (o chamado desktop), muitas vezes ele vem com itens que talvez não quiséssemos, ou não dá para fazer um upgrade como gostaríamos – na verdade, comprar um computador em lojas dá muita dor de cabeça, caso pense em fazer melhorias no aparelho. Mas será que vale a pena montar um computador do zero?

Sim, a resposta é afirmativa. Qualquer um que entenda de informática, mesmo que seja o básico, vai entender por que vale a pena pagar para montar uma máquina. Apenas vale lembrar que isso só é vantajoso para quem entende de computador. Caso você não tenha conhecimento o suficiente para montar um, pode contratar um especialista ou algum técnico de sua confiança. Também, apenas para os computadores de mesa isso é viável. É praticamente impossível fazer isso com os notebooks, tendo em vista a complexidade que são os portáteis, sem falar que os notebooks não seguem o mesmo padrão em termos de estrutura/arquitetura.

Um aspecto muito influente em se montar um computador é por escolher as peças para o PC de acordo com suas necessidades. Se você trabalha com operações básicas – editar/ler documentos e planilhas, navegar na Internet, etc – não precisa de tanta performance do PC, ao contrário de quem trabalha com edição de vídeos/áudios.

Nada de pagar caro por um computador recheado de funcionalidades que você talvez não use (sem falar que as vendas desses tipos de máquinas caíram significativamente).

Aqui vai uma ressalva: não vale comprar, neste caso, um computador “montado”, é preciso saber o que se está comprando. Deve-se montar sabendo o que realmente está sendo incluso no PC.

Por Reginaldo Soares


Com o avanço da tecnologia as empresas estão desenvolvendo equipamentos que possam ser usados de várias formas como o lançamento do Transformer AIO da marca Asus. Ele é um equipamento muito versátil que pode ser usado como um desktop-tablet multitouch com tela de 18.4 polegadas e com uma resolução Full HD de até 1080 pixels, também pode ser usado como tablet de um tamanho maior que o convencional, mas é um equipamento muito prático.

Quando usado na mesa ele fica acoplado a um dock e ganha a semelhança de um monitor de tela LED dispensando assim o uso de mouse, de teclado e te livra da parafernália de fios. O tablet pode ser retirado e colocado no dock de forma prática.

Ele usa processadores i3 ou i7 quando acoplado ao dock que roda o Windows 8 tranquilamente, tem um HD de 1 TB, possui 4 entradas USB 3.0, drive de DVD, um leitor de cartões de memória e saída HDMI.

Quando está em uso como tablet ele roda o Android Jelly Bean e usa o processador Tegra 3. Poderá usar os softwares da Microsoft, porém de modo remoto quando usado como tablet.

Estima-se que o aparelho chegue em abril ao mercado americano custando mais ou menos US$ 1.200, cerca de R$ 2.400, mas ainda não se sabe a data prevista para o lançamento no Brasil.

Por Mariana Rodrigues


Na onda dos lançamentos de aparelhos com sistema operacional Windows 8, recém lançado, diversas empresas anunciaram, ao longo do mês de outubro, as suas novidades para que elas fossem disponibilizadas à venda já no dia 26 de outubro, quando o novo SO da Microsoft foi lançado oficialmente.

A Acer é uma dessas empresas e ela apresentou o Acer Aspire ME e o Aspire XC Series. Os dois aparelhos são modelos de desktops e contam com gabinetes compactos.

De acordo com a Acer, o Aspire ME é ideal para quem gosta de um equipamento simples, porém que pensa em fazer algum upgrade no futuro. O desktop pode ser adquirido em versões com Core i5 ou Core i7, memória RAM de até 10 GB, placas de vídeo simples como a GeForce GT 640 ou mais potentes e capacidade de armazenamento interno de 2 TB.

Além disso, o aparelho possui conectividade com Bluetooth 4.0, portas USB 3.0 e USB 2.0, saída HDMI, slots PCle, saída VGA, drive combo e suporte a som de 5.1 canais.

Enquanto isso, o Aspire XC possui um gabinete ultra compacto para proporcionar mais ergonomia e seu foco são os usuários domésticos comuns. O processador é um Core i3, há portas USB 2.0, até 6 GB de memória RAM, som em 5 canais, capacidade de armazenamento de 1 TB e saída HDMI.

O Acer Aspire ME já pode ser adquirido nos Estados Unidos pelo preço de 649 dólares na sua versão mais simples. Já o Aspire XC custa algo em torno de 399 dólares.

Por Guilherme Marcon


A HP resolveu remodelar o Envy Phoenix H9 e a expectativa é que a nova versão comece a ser vendida no final do mês de outubro deste ano, inicialmente nos Estados Unidos.

Comparado com seu antecessor, o novo Envy Phoenix H9 vem ao mercado com grandes novidades, principalmente na parte visual do desktop, onde foram feitas as principais mudanças.

Na parte interna a HP decidiu manter o hardware de peso. O computador conta com tela de 24 polegadas com resolução FULL HD, processador Core i7, 8 GB de memória RAM e diversas opções de armazenamento de dados.

Um dos destaques da nova versão do Envy Phoenix está na construção modular do gabinete, com ele o usuário tem fácil acesso à parte interna da máquina, conseguindo assim fazer a troca de todos os componentes da máquina.

Construído para os consumidores que têm certo conhecimento em hardware e que gostam de customizar computadores, o novo modelo irá facilitar a vida dos mesmos, pois, por exemplo, será muito mais fácil trocar uma placa de vídeo e adicionar discos rígidos.

A máquina contará com sistema operacional Windows 8 e deverá chegar ao mercado com preço sugerido de  US$ 899, aproximadamente R$ 1.820.

Por Felipe Santos Bonfim


Para quem está em busca de adquirir o que há de mais moderno em computadores Desktop, aqueles que você usa em casa, a HP, linha de impressoras e demais produtos de segmento tecnológico, está com mais um lançamento para Home Offices: o desktop Pavilion p6-2220jp/CT. O novo computador desenvolvido para uso doméstico,  é uma máquina simples, porém eficiente, para o uso de aplicativos que realizam tarefas cotidianas.

O Pavilion p6-2220jp/CT já vem com Core i3 de 3,3 GHz, com amplo poder de armazenamento, placa gráfica embutida (a Intel HD Graphics), com possibilidade de acesso à sinal de TV digital através de um dispositivo que é vendido separadamente.

O novo computador da HP possui também duas portas USB 3.0 e quatro USB 2.0, vem com 2GB de memória RAM DDR3, disco rígido de 1TB, e com Windows 7 Premium. Não há vendas no Brasil, mas quem quiser comprar de outros países, onde já está sendo comercializado, como Japão, onde foi fabricado, e EUA, o valor para adquirir o produto é de 49.980 Ienes e US$ 630, respectivamente, que  em reais fica em torno de R$ 1.282.

Por Monique Mota


Durante a Computex 2012, a Samsung não ficou de fora dos lançamentos e apresentou seu novo desktop all-in-one, chamado de Series 7. Com isso, a sul-coreana mostra que também está apostando na volta desse tipo de aparelho ao mercado.

Cada vez mais a Samsung tenta ampliar o seu leque de aparelhos no mercado, dentre eles os tablets, os smartphones, as TVs, os notebooks, os desktops e agora os all-in-one. O foco da fabricante sul-coreana é sempre ter aparelhos que sigam as tendências, mas que possuam muita qualidade e alto desempenho.

O novo Series 7 possui 27 polegadas de tela, mouse e teclado sem fio, compatibilidade com Blue-Ray e HD Digital TV, alto-falantes, resolução de 2640 x 1440 pixels,  ângulo de visão de até 178 graus e tela touch com suporte para até 10 toques simultâneos. Além disso, o novo desktop roda com o recente Windows 8, tendo boa resposta aos comandos executados em aplicativos e games.

A Samsung não divulgou qual será o preço de venda do Series 7, muito menos quando o aparelho será lançado, mas muito provavelmente este novo all-in-one será disponibilizado logo após o lançamento final do Windows 8.

Por Guilherme Marcon


A Dell lançou no final de 2009 o Dell OptiPlex 780 USFF – menor Desktop do mundo que é totalmente funcional.

O gabinete inclui tudo, inclusive fonte de energia integrada e tecnologia Intel vPro ( que reduz custo de energia, custo de manutenção, protege seu micro  e  aumenta sua produtividade), além de ser perfeito para locais que possuem pouco espaço disponível.

Entre os vários benefícios em adquirir este desktop estão:

– Suporte para Windows 7, Vista e XP.

–  Estabilidade de imagem e suporte estendido  por 15 meses, que com certeza diminuirá as mudanças de manutenção que reduzem a produtividade do desktop

– Efetua atualização da capacidade de processamento, a placa de vídeo e discos rígidos

– Opções de segurança e proteção de dados, como por exemplo, a possibilidade que você terá de obter uma total encriptação do disco e incorporação do módulo de plataforma confiável .

Com certeza vale à pena ter um “brinquedinho” destes!!!

Por  “Amanda Luna”





CONTINUE NAVEGANDO: