Convocação se deve ao risco de superaquecimento dos dispositivos.

A Hewlett-Packard (HP), uma famosa marca no segmento de tecnologias, anunciou no último dia 24 de janeiro que, por necessidade, irá expandir o seu recall nas baterias de notebooks para a América do Norte e para o Brasil. Os motivos dados pela empresa são importantes, uma vez que foi identificado um superaquecimento nos dispositivos, podendo acarretar, assim, em um superaquecimento nos mesmos, resultando em possíveis danos ou, inclusive, em fogo.

As baterias afetadas possuem os seguintes códigos: 6BZLU, 6CGFQ, 6CGFK, 6CZMB, 6DEMH, 6DEMA, 6DGAL e 6EBVA. Esses estão sempre impressos na parte traseira do notebook.

Foram contabilizados e incluídos no programa, no total, 101 mil baterias comercializadas junto aos laptops da marca, isso entre o período de março do ano de 2013 até outubro de 2016. Esse recall dá continuidade e expande, portanto, o primeiro recall feito pela HP no mês de junho de 2016, quando, no período, foi realizado o reparo de aproximadamente 41 mil baterias em notebooks produzidos pela organização.

Além da marca em questão, foram ainda encontrados defeitos em baterias de outras empresas multinacionais e com grande renome no mercado tecnológico, como é o caso da Compaq, Envy, ProBook, Pavillion e Compar Presario.

Algumas cargas que foram vendidas de forma separada também acabaram sendo afetadas pela falha. Os aparelhos chegaram no Brasil importados e comercializados vindo dos países de origem.

Além dos reparos necessários no País, o mesmo recall ainda está englobando alguns componentes que estão sendo vendidos nos Estados Unidos, sendo que boa parte aparece em outras localidades, como Canadá e México.

Com um recall motivado pelo recebimento de informações e casos de incêndio em laptops no Canadá, além de outros oito outros de superaquecimento e derretimento de baterias nos Estados Unidos, a HP tem enfrentado problemas na justiça com os seus clientes insatisfeitos. É o caso de um pedido de ressarcimento por danos nos EUA, no qual a marca precisou pagar US$ 1 mil ao dono de uma propriedade em que houve danos com o dispositivo.

Contatos e informações importantes para possíveis dúvidas

Se você está em dúvidas sobre se a sua bateria está incluída no recall da HP, acesse o site da HP e baixe o software que foi produzido para a identificação do seu notebook. O endereço eletrônico para esse é http://www8.hp.com/.

Além disso, ainda foram disponibilizados telefones para contato para falar com algum dos atendentes no Brasil. Os números são: 0800-709-7751 ou 4004-7751. O último citado abrange somente a região metropolitana de São Paulo.


HP faz recall de baterias por superaquecimento. Há risco até de pegar fogo

A exemplo do que ocorre no setor de automóveis, a HP acabou entrando na “onda” e anunciou que estará fazendo o recall de baterias dos seus principais notebooks vendidos mundialmente (o que inclui o Brasil). A chamada envolve os produtos fabricados no período entre o mês de março de 2013 e agosto de 2015. De acordo com a fabricante os seguintes modelos poderão estar afetados: HP Pavilion, Compaq Presario, HP ENVY, HP ProBook e HP Compaq.

Entretanto, a marca informa também que os problemas devem ser encontrados em menos de 1% dos modelos adquiridos no período citado acima.

O recall é justificado. De acordo com a HP, as baterias defeituosas poderão correr o risco de apresentar um superaquecimento o que eventualmente pode fazer com que as mesmas peguem fogo e acabem ferindo os usuários dos aparelhos.

A HP divulgou um comunicado avisando que se o problema for identificado o recomendado é que o usuário faça a remoção da bateria defeituosa o mais rápido possível.

Com a finalidade de ajudar os usuários dos aparelhos a identificarem o problema a HP disponibilizou em seu site o chamado HP Battery Program Validation Utility. Para acessar clique aqui.

O software do site da empresa irá fazer uma análise que dura cerca de 30 segundos e informará ao consumidor se sua bateria se encontra entre aquelas identificadas com o problema.

A HP informa que é preciso que o usuário tenha instalado em sua máquina o Microsoft .Net Framework 4.5.2 e HP Software Framework para que a aplicação possa rodar de maneira correta.

Se preferir o consumidor também poderá fazer essa consulta manualmente. Para isso ele deverá informar no formulário de requisição o número de série de seu aparelho e o código de barras da bateria.

Aliás, por meio do mesmo formulário no site da HP o cliente que tiver seu equipamento entre os modelos afetados poderá pedir uma nova peça. Após o preenchimento do formulário ele irá receber um email para confirmação do pedido.

Quando a nova bateria solicitada for enviada ele também receberá uma mensagem que conterá o código de rastreamento para que possa fazer o acompanhamento da remessa.

Por fim, a HP informou também que profissionais que fazem uso de 10 ou mais aparelhos com potencial risco um processo diferente para a validação e também substituição foi criado. Nesse caso específico é necessário entrar em contato por meio do email LABulkBattery@hp.com.

Por Denisson Soares


Usuários que possuem o notebook Vaio Fit 11A, da Sony, precisam ficar em alerta. A marca emitiu um comunicado de emergência alertando que o equipamento corre um grande risco de pegar fogo. Cerca de 25 mil usuários do aparelho híbrido possui um problema grave na bateria que pode fazer o gadget pegar fogo. A companhia informa em seu comunicado que os usuários precisam parar de usar o computador imediatamente. A fabricante contatou os compradores para informar sobre a troca dos produtos defeituosos.

O caso é um acontecimento raro, pois na última década esse tipo de problema quase não acontecia. Há mais de 10 anos os casos eram maiores, só que hoje em dia a segurança dos computadores tende a ser melhor. Há outros casos isolados de recalls por causa da bateria nesses últimos anos, como é o exemplo da Lenovo que, no início deste ano teve a mesma falha na linha ThinkPad com o risco de queimar. O alerta apareceu primeiramente no site de tecnologia The Verge, que recebeu o comunicado da Sony para que os usuários que possuem o híbrido parem de usá-lo e o levem para a troca necessária. “A segurança de nossos consumidores é de maior importância, e por isso estamos aconselhando quem teve modelos afetados a desligar a unidade e não usá-la mais”, diz a Sony.

Esta turbulência acontece em meio a mudanças que a Sony está passando. A marca está em um processo de transição, em que está em momentos finais de vender a sua divisão de computadores para um fundo de investimentos japonês. Os modelos Vaio Fit 11A estão espalhados por várias partes do mundo e, a representação da empresa no Reino Unido, por exemplo, também já emitiu um outro alerta recomendando que os usuários confiram seus aparelhos pelo número de série e, por esse código saber se o notebook correndo o risco de ter o problema ou não. Caso afirmativo, a empresa está tomando as providências a serem tomadas com os usuários. 

Por Carolina Miranda

Sony Vaio Fit 11A

Foto: Divulgação


A possibilidade de se economizar energia nos aparelhos portáteis, embora se pareça uma tarefa difícil pode ser simples. Muitos sabem que a bateria de um notebook pode durar pouco, porém algumas dicas já permitem que o uso da bateria possam se tornar mais constantes.

O primeiro passo é ficar de olho na hora da compra. Verifique junto ao vendedor as principais características e detalhes sobre a bateria que acompanha o notebook. Os modelos mais modernos apresentam baterias compostas por íons de lítio, também chamadas de baterias de lítio.

As baterias de lítio possui uma tecnologia especial que as tornam mais leves e geralmente não costumam "viciar". Não é possível ter uma precisão quanto ao tempo de vida útil de uma bateria e, por mais que seja nova, ela pode variar e sua resistência acaba dependendo do tipo de uso que se faz do aparelho.

O uso simples do notebook como ler e editar textos em máquinas mais básicas, garante que a bateria possa durar mais. Já o uso de programas mais pesados, como editores de imagem e vídeo, ou até mesmo jogos com configurações avançadas, fazem com que bateria durem muito pouco. Por isso é necessário saber avaliar as tarefas que serão executadas em uma máquina portátil, antes de efetuar a compra. 

Seguem algumas dicas para aumentar a vida útil das baterias: Escurecer a tela do notebook ajuda na economia de energia; A opção de energia deve ser personalizada de acordo com cada sistema operacional; Evite não conectar outros dispositivos móveis sequencialmente; Efetuar a limpeza geral nos arquivos do notebook também ajuda (e muito) na economia de energia;

Nunca deixar o equipamento exposto ao sol ou ao calor excessivo é uma ótima preventiva já comprovada; Nunca recarregar a bateria sem que ao menos o sinalizador represente 20% ou 30% restantes: Muitas vezes pecamos em querer prevenir que a bateria se acabe e conectamos o carregador antes do tempo indicado. O procedimento faz com que as garantias de qualquer bateria se tornem inválidas, além de ficarem sujeitas ao vício de eletricidade.

Por Luciana Ávila


Seu tablet merece um cuidado especial, sobretudo quando ele é o seu objeto de trabalho. Para que você utilize o máximo de suas funcionalidades, é necessário tomar em alguns cuidados. Iremos falar aqui da bateria do seu aparelho, a qual se torna um item imprescindível, pois de nada adianta ter um aparelho cuja bateria se desgasta rapidamente pelo mau uso do eletrônico. Você tem, pelo menos, um motivo para cuidar da bateria do seu tablet, especialmente se ele é Android – as baterias são menos duráveis neste tipo de sistema, com relação ao forte concorrente Apple.

Desligue todas as funções que não estiverem em uso

Por exemplo, feche os apps que você não estiver usando (apps do registro de chamadas, música, Bluetooth, Wi-fi, GPS, notificações e atualizações automáticas, volumes de toques etc.). Por incrível que pareça, essas funções consomem sua bateria.

Use o modo avião

Para quem usa bastante o 3G e o wi-fi, é interessante empregar esse modo nas configurações do tablet.

Regule os ajustes de imagem

Regule o contraste e o brilho do seu aparelho. Quanto menos brilho, menor o consumo de energia.

Utilize toda a carga da sua bateria, antes de recarregá-la

Você deve aproveitar toda a energia do seu aparelho. A vida útil da bateria está relacionada aos ciclos de carga/recarga. É também recomendado desconectá-la da tomada assim que a carga estiver completa.

Desinstale programas inutilizados

Desinstale programas que você não usa, principalmente aqueles que vêm na instalação de fábrica.

Use aplicativos que economizam energia

Há programas que gerenciam o consumo de energia no aparelho. Utilizar esses tipos de aplicativo fará com que sua bateria renda mais. Um dos indicados aqui é o Easy Battery Saver (Android). Neste programa você pode adaptar às suas necessidades o uso do seu aparelho.

Essas são dicas que farão bem ao seu aparelho. Lembre-se: o seu dinheiro vale muito, não desperdice. Aproveite cada recurso do seu tablet, até o fim.


Antigamente costumava-se reclamar demais do tempo de duração das baterias dos notebooks. Agora com a chegada dos ultrabooks o assunto também é o mesmo. Chega a ser tão comum o problema que ele representa uma das principais reclamações dos consumidores de computadores portáteis. Isso já deveria ser até previsto (se é que fingem que não) uma vez que a cada dia usamos mais e mais aplicativos simultaneamente e isso sem contar com o brilho da tela.

Entretanto, algumas empresas do setor parece que finalmente resolveram dar atenção a essa gama de reclamações dos consumidores. A Toshiba é uma dessas empresas. Recentemente a fabricante anunciou sua nova linha de ultrabooks chamada de Dynabook KIRA. De acordo com as informações divulgadas pela empresa a previsão é de que bateria dos aparelhos dure até 22 horas seguidas de uso sem ter que ver a “cor” de uma tomada.

Em relação às especificações técnicas do Dynabook KIRA V634 as informações são as seguintes: o aparelho chega ao mercado com um processador Intel Core i5 (Haswell) e tem até 8GB de memória RAM. O ultrabook também conta com SSD de 128 GB de capacidade de armazenamento. O peso total do aparelho é de 1,12 kg e tem 17,9 mm de espessura. Já a tela tem a dimensão de 13 polegadas com uma resolução de 1.366 x 768 pixels. No mais vamos encontrar o Bluetooth 4.0, entrada HDMI com suporte para saída de vídeo em Ultra HD (4K) e também conectividade via Wi-Fi.

Um detalhe interessante de se observar é a questão da resolução do monitor do Kira V634. É exatamente essa resolução que permite que o ultrabook tenha uma reserva extra de bateria uma vez que não requer muito desempenho para o processamento gráfico. Em termos comparativos podemos citar o iPad Air que conta com uma tela de 2048×1536 de resolução. O que claro aumenta o consumo de energia e diminui a autonomia da bateria durante o dia.

Por Denisson Soares

Toshiba Dynabook KIRA

Foto: Divulgação


Sua bateria é um bem muito precioso, seja ela do notebook, tablet ou smartphone, deve ser cuidada com o máximo de atenção, pois você preza o que adquire, especialmente em termos de informática (nem vai querer ficar alimentando a indústria da moda e do consumo, que só quer tirar o seu dinheiro), sem falar que o tempo que ela dura é muito importante. Por isso, selecionamos alguns pontos que devemos prestar atenção quando o cuidado é com a sua bateria.

Primeiramente, você não pode deixar descarregar a bateria. Isso é fato. É necessário cuidar e recarregar logo quando o sistema avisa que ela está se esgotando. Zerar a bateria estraga, e tira a vida útil dela, já que sua durabilidade é medida por ciclos (carregar/descarregar). Usar o notebook sempre que possível na tomada é uma ação que não prejudicará sua bateria. Também, hoje já não se faz necessário descarregar a bateria até o fim, como se fazia com as baterias de antigamente.

Outro item interessante é a vida útil da bateria. Seu tempo é em média 2 anos (isso se for utilizada sempre). Com o tempo, obviamente ela irá mostrar sinais de fraqueza – sinal de substituição. Lembre-se: na reposição de baterias, assim como qualquer outra coisa, use apenas produtos originais. É sempre melhor usar o correto, pois terá a garantia de que o produto não terá problemas – e se tiver, você estará amparado.

Por último, o descarte da bateria é outro assunto de extrema importância, quando se trata de educação ambiental. Baterias inutilizadas não podem ser desmontadas nem descartadas diretamente no lixo comum, tendo em vista que há alguns componentes/substâncias perigosos e tóxicos tanto para o organismo quanto para a natureza. O fabricante é obrigado a informar a forma correta para descartar o produto. Dica: verifique se realmente a empresa fornecedora de sua bateria está fazendo isso.

Tomando esses cuidados, com certeza você terá um produto durável e que não vai te dar muita dor de cabeça, caso perca algum trabalho que está sendo feito no notebook. O meio ambiente é também igualmente importante neste respeito, pois a contribuição para um mundo mais saudável é bom para mim, para você e para as pessoas em nosso redor.

Por Cristiane Gusmão

Bateria de notebook

Foto: Divulgação


A Apple planeja utilizar baterias de hidrogênio em futuros produtos. Desta forma, seus aparelhos, como iPhone, iPads e notebooks, teriam capacidade de funcionar durante semanas sem a necessidade de recarga.

A tecnologia utiliza a conversão de hidrogênio e oxigênio em água e energia elétrica, e é a mesma utilizada nos carros elétricos.

Não foram anunciados detalhes sobre como a tecnologia será aplicada nos dispositivos da Apple, porém, segundo o jornal "The Telegraph", a empresa já registrou duas patentes no Patent and Trademark Office. Os nomes das patentes são: “Fuel Cell System Coupled to a Portable Computing Device” e “Fuel Cell System to Power a Portable Computing Device”.

Segundo o documento enviado ao escritório, a empresa afirma que a dependência dos EUA em relação aos combustíveis fósseis e seus países produtores levará a uma crescente conscientização e desejo dos consumidores por fontes alternativas de energia. A dependência energética dos EUA é considerada uma das maiores ameaças à segurança nacional.

A tecnologia é ecologicamente correta e deixará os aparelhos mais leves. Não há nenhum anúncio oficial em relação à data de lançamento dos produtos com a nova tecnologia.

Por Lucas Ferreira


Eu já comentei sobre a performance do Macbook Air de 11 polegadas. Ele não só é parecido com o iPad como também tem performance semelhante à do tablet. Agora, um review feito pelo site Ars Technica fez uma constatação que pode corroborar todo o argumento de Steve Jobs em relação ao Flash: o plugin da Adobe é um devorador de bateria.

A constatação é bem fácil de fazer. Basta testar o Macbook Air sem o plugin instalado e navegar na internet. Nesse caso a bateria deve durar cerca de 6 horas. Depois de instalar a última versão do Flash no laptop e navegar pelos mesmos sites no Safari, a autonomia da bateria cai para apenas 4 horas.

Ao que parece o Flash exige muito mais do processador. O teste serve para mostrar que Steve Jobs não é apenas cabeça dura em sua ideia de barrar o plugin em seus dispositivos portáteis, especialmente o iPad.

Por Maximiliano da Rosa


A marca Samsung lançou, na última sexta-feira – dia 2 de julho de 2010, o netbook N230, que faz parte da sua série N. O aparelho vem equipado com bluetooth 3.0 e tem versões com tecnologia de conexão 3G ou Wi-Fi 802. 

Segundo o site PC World, especializado em tecnologia, o novo aparelho tem as seguintes configurações: tela de 10,1" – com tecnologia anti-reflexo, processador Atom N450 ou N470, 1 GB de RAM e 250 GB de HD, além de pesar apenas 1kg. Até aí nada de novo, certo?

A grande novidade é a bateria, equipada com oito células, que garante uma autonomia de mais de 13 horas de uso sem recarregar, na opção de 65 watts, que torna o mesmo um pouco mais lento. O aparelho deve chegar em breve ao Brasil. Enquanto isso, ele custa cerca de R$ 800, no mercado internacional.

Por Thiago Martins


Enquanto os brasileiros esperam ansiosamente pelo iPad, sem dúvida uma das maiores novidades do mercado tecnológico dos últimos anos, surgem as dicas de como fazer um bom uso do aparelho.

Como foi anunciado, a bateria original do iPad tem duração de até 10 horas, isso para algumas pessoas pode ser pouco. Quem quiser passar mais tempo usando o gadget sem conecta-lo à rede elétrica poderá fazer uso de um acessório extra, trata-se de um dispositivo que garante até 99 horas a mais de duração.

A bateria externa Sanho USB 10W tem 25 cm de comprimento, 15 cm de largura e 3,4 cm de espessura, pesa 2,13 kg e dura até 99 horas, é comercializado pela distribuidora HyperMac e custa em torno de US$ 500.

Parece caro não é? Pois existe um modelo mais econômico com 34 horas de duração e que custa apenas US$ 170. Bom é saber que essas super-baterias podem ser recarrecadas até mil vezes.

Por Mauro Tavares

Fonte: G1 Tecnologia


Um dos atrativos do iPad em relação aos netbooks, por exemplo, é a duração da bateria: cerca de 10 horas. Mesmo assim tem gente que ainda acha pouco. Talvez porque a maioria não consiga desgrudar do tablet e o leve para cima e para baixo o tempo todo.

E é para essas pessoas que uma empresa criou uma bateria para uso externo, capaz de aguentar quase cem horas sem precisar recarregar. Os modelos também são compatíveis com outros produtos da Apple. O problema é que o preço pode ser o mesmo que um iPad wi-fi de 16 GB: 499 dólares.

Nesse caso há variações mais baratas que podem durar apenas 34 horas e custam 169 dólares. Segundo o fabricante, a HyperMac, é possível recarregá-las cerca de mil vezes e a garantia é de um ano. Apesar de caras e pesadas, podem ser boas opções para uso prolongado do aparelho. Para os brasileiros uma boa notícia: a empresa entrega no Brasil.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: MacWorld





CONTINUE NAVEGANDO: