Segundo a Associação Brasileira de Telecomunicações, o número de acessos de banda larga no Brasil cresceu consideravelmente e já chegou à marca de 114 milhões em agosto desse ano, com um índice de 41% a mais de crescimento em relação ao mesmo período do ano anterior.

Os acessos via 3G e 4G alcançaram um total de 92,2 milhões também em agosto, com quase 50% de crescimento também em relação a agosto de 2012.

Ainda segundo a associação, 78,2 milhões de acessos partem de dispositivos móveis (incluindo celulares e smartphones) e 15 milhões são de terminais de acesso (como modems de operadoras e chips de conexão máquina-máquina).

A grande responsável pela melhora desses números foi a expansão das redes de 3G e a criação das redes 4G, que é uma tecnologia relativamente recente. Essa tecnologia permite uma velocidade de conexão até 10 vezes mais rápida que o 3G convencional e já conta com 380 mil acessos. Segundo o informe, a tecnologia já atinge cerca de 59 cidades, número bem maior que a exigência prevista nos editais de liberação.

Embora os resultados sejam promissores, ainda há um caminho muito longo para o país se igualar a outros países da Europa e EUA. A banda larga brasileira é uma das piores do mundo e até países como África e Índia possuem índices melhores relacionados tanto à qualidade quanto à velocidade.

Ebenézer Carvalho


Parece que a conexão de internet banda larga no Brasil não está satisfazendo a população em geral.

Interessada em medir a qualidade da conexão de oferecida no Brasil, a Anatel está começando a distribuir o Whitebox. Trata-se de um aparelho capaz de medir a qualidade da transmissão de dados, entregue gratuitamente a cerca de 12 mil voluntários dos mais diferentes perfis espalhados pelo país.

O aparelho não tem mistério nenhum. É um medidor de velocidade, que funciona quando ligado ao aparelho roteador de empresas ou residências, gratuito, de baixo consumo de energia e que não exige nenhum conhecimento especial para ser instalado. Tudo é muito intuitivo.

Quem se dispuser a testar o Whitebox, precisa apenas possuir internet banda larga com roteador, e um computador capaz de rodar o plugin em Java, responsável por medir a velocidade.

O instituto EAQ é o responsável pela distribuição da Whitebox, e é no site da empresa que você pode se cadastrar, informando o interesse em participar dos testes, como voluntário, e preenchendo alguns dados do seu perfil, como cidade e operadora de internet.

A participação é voluntária e não remunerada.

Por Matheus Camargo

Fonte: Gizmodo





CONTINUE NAVEGANDO: