No dia 21 de março, quarta-feira, a Adobe apresentou a versão de testes do novo Photoshop CS6.

O maior destaque para essa nova versão é na parte de edição de vídeos e seus recursos básicos, pois antes eles eram restritos ao Adobe Premiere. Este novo recurso irá fazer parte de todas as versões do novo Photoshop, da licença padrão até a estendida.

Outra novidade do novo Photoshop é que as correções automáticas de fotos agora serão mais precisas, tendo em vista que o programa faz uma comparação entre a sua imagem e seu banco de dados próprio para realizar a correção.

Dentre as novas ferramentas estão efeitos de foco em um ou mais pontos, ferramentas mais trabalhadas para alterar brilho e contraste, hardware mais potente e mais rápido, além de nova interface de usuário.

Essa nova versão do programa deve ser lançada no segundo semestre de 2012, nos Estados Unidos.

O download do novo Photoshop CS6 versão Beta já pode ser feito gratuitamente para Mac OS X e Windows.

Confira mais informações no site www.labs.adobe.com.

Por Guilherme Marcon


O público mais antigo certamente responderia "NÃO" à pergunta “você trocaria um livro ou jornal por textos lidos diretamente em computadores?”. No entanto, a alta tecnologia, debatida em ambientes acadêmicos como estimulante para o término da imprensa em papel, está cada vez mais presente em pequenos e grandes aparelhos móveis.

Há bom número de formatos de leitura disponíveis na rede mundial de computadores, entre os quais o desenvolvido pela Adobe Systems Incorporated. Informações enunciadas pela empresa revelam que o Adobe Digital Publishing Suite possibilitará que jornais e editoras de revistas façam parte da Apple App Store Subscriptions e do Google One Pass.

Ainda na modalidade pré-lançamento, o produto da Adobe é utilizado por várias editoras em todo o mundo para que criem e disseminem conteúdos em tablets. Atualmente, 130 títulos podem ser comprados e baixados e com a adição de novos recursos no segmento, a perspectiva é de mais crescimento.

Assim como sempre ocorreu na mídia impressa (jornais, revistas e outros), através do Adobe Digital Publishing Suite o consumidor terá a possibilidade de adquirir pacotes onlines e físicos.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Maxpress


Eu já comentei sobre a performance do Macbook Air de 11 polegadas. Ele não só é parecido com o iPad como também tem performance semelhante à do tablet. Agora, um review feito pelo site Ars Technica fez uma constatação que pode corroborar todo o argumento de Steve Jobs em relação ao Flash: o plugin da Adobe é um devorador de bateria.

A constatação é bem fácil de fazer. Basta testar o Macbook Air sem o plugin instalado e navegar na internet. Nesse caso a bateria deve durar cerca de 6 horas. Depois de instalar a última versão do Flash no laptop e navegar pelos mesmos sites no Safari, a autonomia da bateria cai para apenas 4 horas.

Ao que parece o Flash exige muito mais do processador. O teste serve para mostrar que Steve Jobs não é apenas cabeça dura em sua ideia de barrar o plugin em seus dispositivos portáteis, especialmente o iPad.

Por Maximiliano da Rosa


Steve Jobs disse que não quis comprar briga com ninguém quando abriu mão dos recursos do Flash no iPad. E ele tem lá os seus motivos. Para desespero dos sites que usam e abusam de vídeos e animações, e que precisam rebolar para contornar as limitações do tablet da Apple.

Um exemplo é a revista Wired, que lançou sua versão digital para o iPad recentemente. E diga-se de passagem, com um sucesso enorme. O que ninguém sabia até agora, pelo menos, é que a tecnologia adotada pela revista foi toda desenvolvida pela Adobe, a atual rival da Apple.

Assim, o acesso a conteúdo interativo e multimídia poderá ser desenvolvido facilmente. Segundo a Adobe, quem está acostumado a criar conteúdo utilizando o software inDesign (sucessor do antigo Pagemaker) não terá dificuldade de adaptar seu trabalho para o novo visualizador da Adobe.

Parece que com esse produto a Adobe conseguirá driblar as restrições impostas por Steve Jobs.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: MacWorld


Nesta semana acontece um importante evento de tecnologia em São Francisco, o Web 2.0 Expo. Lá estão expostos vários produtos de diferentes marcas, incluindo a Adobe, que recentemente cortou relações com a Apple e o iPad.

Pois uma olhada mais atenta no stand da empresa responsável por vários e importantes softwares como DreamWeaver, Photoshop e o plugin Flash, revela uma surpresa: a existência de um tablet com Android capaz de exibir, por exemplo, vídeos do YouTube.

O equipamento está praticamente escondido no meio de outros dispositivos. E não há muitos detalhes a respeito dele. Mas ao que parece, trata-se uma versão aumentada do Google Nexus One. A Adobe não se manifestou para dar maiores informações sobre o lançamento, até porque não se sabe quem é o verdadeiro fabricante do aparelho.

O funcionário da Adobe, responsável pelo evento apenas informou que o tablet poderá ser lançado perto do fim do ano.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: Zedomax





CONTINUE NAVEGANDO: