Análise Notebook Asus Vivobook 15 – Review e Ficha Técnica





Saiba aqui os prós e contras do novo Asus Vivobook 15.

A Asus anunciou recentemente o seu novo produto, o Vivobook 15. Trata-se de um notebook com foco em produtividade, mais recomentdado para ser usado nos estudos e em tarefas básicas no dia a dia. Mas será que vale a pena pagar pouco mais de R$ 3 mil em um computador com essa proposta? Confira agora a análise completa do novo notebook da Asus aqui.

O Design

A começar pela aparência, o novo notebook da Asus carrega um visual elegante, a ser esse um dos seus principais destaques do produto. O aparelho conta com um acabamento resistente e extremamente confortável para uso. Um exemplo disso, é a base da tampa, que por ser maior que a base, possibilita uma inclinação de 2º para o teclado. Para quem passa o dia digitando, essa é uma grande vantagem do ultrabook.




O Vivobook vem com duas entradas USB 2.0 e uma USB 3.1, tipo A. O aparelho também conta com uma interface USB-C, para transferências de arquivos mais rápidas. O computador também traz um leitor de cartões de memória Micro-SD, HDMI e saídas de áudio. Apesar de todas essas regalias, o computador não vem com entrada para cabos RJ-45, o que torna necessário o uso de um adaptador, caso o usuário queira conectar-se à internet cabeada.

Tela

O computador conta com uma tela em resolução Full HD e uma taxa de atualização de 60Hz. Isso torna o ultrabook uma boa opção para assistir vários tipos de video, com uma qualidade considerável. A tela conta com 15 polegadas de tamanho, antirreflexiva, o que torna o Vivobook uma boa opção para quem trabalha em ambientes exageradamente iluminados. O que não ajuda é o display, pois ele atrapalha bastante na hora da visualização. Nesse caso, acaba sendo necessário encontrar uma inclinação confortável dependendo de certos ambientes.


Desempenho

O novo Vivobook vem com processador Corel i7, que é considerado, atualmente, um dos processadores top de linha da oitava geração. Como o processador é naturalmente otimizado para computadores portáteis, o ultrabook dificilmente trava. Por isso, aceita muito bem certos programas de produtividade. O computador ainda funciona muito bem para rodar vídeos e séries, e ainda, alguns jogos que não exigem tanto assim do processador e da placa de vídeo que o acompanha, a GeForce MX230, da Nvidia.

O casamento dos componentes funcionou bem para rodar, em testes, o game Forza Horizon 4, ao render boas imagens e uma jogabilidade de respeito, em qualidade baixa. Para os gamers que se empolgaram com essa informação, é importante ressaltar que o notebook da Asus não foi feito para esse fim e, por isso, não atende a todas as necessidades da maioria dos jogos atuais.

O computador apresenta, no entanto, um bom desempenho para aplicativos de edição de imagens. Em testes com programas como o Photoshop e Lightroom, o aparelho apresentou um forte senso de renderização. Já com programas de vídeo, a situação muda um pouco, não sendo a melhor opção para esse tipo de trabalho. De qualquer forma, o desempenho do notebook para os dois tipos de serviço é considerável, mesmo não sendo o ideal.

A bateria

O Vivobook não apresentou muita autonomia. Rodando aplicativos básicos como o Google Chrome e o uTorrent, o Vivobook conseguiu aguentar apenas 3 horas fora da tomada. Essa breve durabilidade, no entanto, é compensada com um tempo de 1 hora para a recarga total, desligado.

Mas vale a pena?

O Vivobook conta com um preço próximo aos computadores da Dell, Samsung, Lenovo, etc, que possuem as mesmas configurações, alguns com pontos mais inferiores. O que esses novos modelos não têm é um design extremamente funcional para o seu público alvo e uma placa de vídeo feita sob medida, para suprir as necessidades extra do consumidor final. O novo laptop da Asus pode ser enontrado no Brasil por R$ 3.200,00.

DAVI GABRIEL SOARES

Compartilhar:


Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *