A Positivo Informática teve uma boa notícia em relação aos dados registrados nos últimos meses de 2013. A venda dos tablets acabou fazendo com que a empresa obtivesse um lucro líquido de R$ 30,9 milhões. Esse valor representa cerca de 230% a mais se comparado com o ano de 2012.

De acordo com algumas informações levantadas por sites especializados no setor, do total dos equipamentos que foram comercializados pela Positivo Informática, 134,1 mil foram só de tablets. Esse número revela um aumento nas vendas de 96,6%.

Também foram registrados aumentos nas vendas de outros tipos de dispositivos como, por exemplo, os notebooks, que chegaram a um número total de vendas de 476,3 mil unidades, algo em torno de 8,1%. Com relação aos desktops o crescimento apontado foi de 16,7. Os celulares também tiveram um aumento subindo para 87,3% e atingindo um total de 97,9 unidades comercializadas.

No quarto trimestre a empresa atingiu uma soma de R$ 769,1 milhões sendo que a taxa de crescimento anual foi de 17,9% e tudo isso impulsionado pelo aumento das vendas dos smartphones e tablets.

A empresa chegou a obter uma taxa Ebtida de R$ 42,2 milhões para o período. Se comparado com o ano anterior, isso seria superior cerca de 57,6%. O Ebtida é referente a ao chamado lucro anterior aos juros, amortização, depreciação e impostos.

A Positivo Informática também informou que permanece a intenção de dar continuidade aos repasses de preço com margem Ebtida de 5,5 no trimestre. Na comparação anual esse índice indica um avanço de 1,4%.

Todas as boas notícias e, claro, os bons números conseguidos pela empresa acabaram possibilitando a marca superar os prejuízos que foram acumulados até o mês de setembro. Na época, o lucro líquido da empresa chegava apenas a R$ 15,6 milhões. No ano anterior, os dados apontavam para o mesmo período quase que o dobro dessa cifra: R$ 30,2 milhões.

Por Denisson Soares


A CCE é uma companhia brasileira que foi recentemente adquirida pela chinesa Lenovo. Desde então a empresa mudou o foco de seus produtos e hoje conta com uma linha de oito diferentes tablets, o que representa um mercado de 14%, isso se levar em conta a estimativa do IDC de que em 2013 serão comercializados 7,2 milhões de tablets no Brasil.

O carro chefe da CCE entrou no mercado de tablets no fim de 2012 e alcançou o segundo lugar, atrás somente da Positivo. O diretor executivo de marketing da Lenovo no Brasil, Humberto De Biase, afirmou que a empresa pretende vender 1,5 milhão de unidades em 2014, alcançando 16% do volume de vendas já no ano que vem.

O diretor também disse que o foco da empresa são os aparelhos de entrada, oferecendo produtos de qualidade a preços acessíveis. A CCE também está preocupada em oferecer produtos próprios para seus tablets e smartphones, dessa forma, uma equipe da Lenovo se dedica a esse fim, não só no Brasil como na América Latina.

O mercado da empresa em smartphones é menor, sobretudo pela concorrência mais acirrada. A empresa pretende comercializar 500 mil unidades dos cinco modelos da linha atual.

Por Robson Quirino de Moraes


A Lenovo é a maior fabricante de computadores do mundo. A empresa chinesa se manteve em primeiro, contudo, apresentou uma queda nas vendas na China, seu principal mercado. Os dados foram divulgados pela empresa de pesquisa em tecnologia Gartner.

Os números não são nada animadores, pois a empresa teve uma queda de 8,6% nas vendas de PCs no terceiro semestre, mostrando quanto as vendas de tablets tem se mostrados superiores.

A divisão de PCs da Lenovo renderam US$ 80,3 milhões no último trimestre. Os valores podem ser altos, mas representam números parecidos com o ano de 2008, mesmo com a temporada de volta às aulas, período em que as vendas crescem.

Na Europa, África e Oriente Médio, a queda foi de 13,7%. Já na Ásia, a queda foi de 11,2%. Somente nos Estados Unidos houve crescimento de 3,5%, ocasionado pelos baixos estoques e pelos novos chips da Intel.

Apesar do retrospecto negativo, as vendas elevadas na Europa e nos Estados Unidos mantém a Lenovo no topo das empresas que atuam com PCs. Em 2012, a empresa teve aumento de 2,8% nas vendas, num total de 17% do mercado mundial de seu segmento. 

Por Robson Quirino de Moraes


 “O Brasil ainda é um mercado em ascensão para os tablets”, é o que afirma Pedro Hagge, analista do IDC, responsável pela pesquisa que listou os computadores pessoais mais vendidos no país. Para comprovar, o estudo do instituto revelou que a venda desses dispositivos ultrapassaram as de desktops e ocuparam o segundo lugar na lista. São 35% de participação no mercado, perdendo apenas para os notebooks. De todos os pesquisados, 95% possuem Android, e os mais vendidos foram os mais baratos, de valor até R$ 500.

Acredita-se que o Brasil ainda está sensível ao preço. Mas isso não é motivo para não ter expectativas, muito pelo contrário, para o ano de 2013 espera-se que o aumento seja de 120% do que o registrado em 2012. Só no primeiro trimestre deste ano, a projeção era de 5,9 milhões de unidades para os 12 meses.

O analista do IDC também revela que esse é um bom momento para a Microsoft entrar no mercado com o Windows para acelerar a adoção desses dispositivos pelas empresas. A ideia seria que o tablet torna-se um item de trabalho tanto remoto quanto no próprio escritório.

Por Jaime Pargan


Microsoft SurfaceA empresa fundada por Bill Gates emitiu um comunicado na última semana se dizendo insatisfeita com o desempenho de vendas que o seu tablet Surface vem alcançando nos últimos meses.

A empresa não quis revelar o número exato de tablets comercializado até o momento. No entanto, relatórios fornecidos aos órgãos fiscais dos Estados Unidos apontam que a linha de tablets gerou um montante que chega à casa dos US$ 860.000.000,00, somente em vendas do produto, descartando outras fontes de capital que o tablet gerou. Vale ressaltar que embora o valor seja exorbitante é muito provável que a insatisfação da Microsoft se deva ao fato dela não ter lucrado com essas vendas, afinal esse é um valor bruto que não desconta custos de envio e nem os de manutenções.

Outro fator que também desanima diante do valor exorbitante é que os US$ 860 milhões são um acumulado que vem desde outubro do ano passado até o dia 30 de junho de 2013 e que o valor ainda engloba tanto a versão RT quanto a versão PRO.

A mídia especula que ao menos 900 mil unidades foram encaminhadas às lojas somente nos primeiros 3 meses deste ano.

Por Fernando Setoue


Vendas do iPad Mini no BrasilFinalmente o iPad Mini será lançado no Brasil. No próximo dia 25 o tablet da Apple estará à venda nos sites da Saraiva e Fnac, segundo os anúncios feitos pelas duas empresas. Porém, os brasileiros terão que ter um pouco de paciência para saber o preço pelo qual o aparelho será vendido no país, uma vez que ainda não há nenhuma informação a respeito deste assunto.

O tablet foi homologado em novembro do ano passado e foi autorizado pela Anatel para ser produzido pela Foxconn em Jundiaí, no interior de São Paulo. Ainda não se sabe quais edições do aparelho estarão disponíveis para venda.

Os Estados Unidos recebeu o iPad Mini em outubro do ano passado, por US$ 329, aproximadamente R$ 660, mas no mercado nacional o modelo não deverá ser vendido por menos de R$ 1 mil.

Os grandes atrativos desta versão são suas dimensões, com tela de 7,9 polegadas, seu design 23% mais fino e também seu peso 53% mais leve que o modelo tradicional. Sua câmera faz vídeos em alta definição e videochamadas em HD. O aparelho não conta com tela de Retina como o iPad 4, o que deixou os consumidores um pouco desapontados. 

Por Felipe Santos Bonfim


Mesmo com o atraso na chegada do Galaxy Note 8 nas lojas aqui do Brasil, ele  chega agora com uma grande força ao nosso mercado.

Já é possível encontrar o aparelho em várias lojas online, como a Lojas Americanas, que vende a versão mais básica por R$ 1.169 à vista e R$ 1.299 comprando a versão com Wi-Fi a prazo. O mesmo preço se mantem em lojas como a Saraiva e Submarino.

Na loja Kabum por sua vez, é possível adquirir o novo tablet da Samsung pelo valor de R$ 1.104,90 para pagamentos feitos à vista. Essa média de preço é uma boa novidade para os brasileiros, já que o preço sugerido pela própria Samsung é de R$ 1.599 para o modelo que possui suporte ao 3G e R$ 1.299 para a versão com Wi-Fi.

O novo Galaxy Note 8 conta com uma tela de 8 polegadas, processador quad-core de 1,6 GHZ, armazenamento interno de 16 GB e a versão do Android 4.1. Mesmo com uma configuração robusta, o novo tablete da empresa não conseguiu superar em questão de desempenho no Galaxy Note 2, modelo de phoblet da empresa.

Por Henrique Nicolau

Galaxy Note 8


No último dia 8 de abril a Apple começou a vender pela primeira vez em sua loja online oficial iMacs com tela de 27 polegadas remodelados.

A novidade chegou após quatros meses do lançamento dos modelos originais. A empresa também anunciou que as unidades terão 15% de desconto.

A grande alteração feita nos novos iMacs é o processo novo de laminação da tela para poder mantê-la ainda mais fina e com grande qualidade de imagem, mesmo ela sendo grande.  A loja online conta com vários modelos e os consumidores terão descontos de US$ 270 a US$ 400, aproximadamente R$ 540 e R$ 800 respectivamente, por produto.

A versão mais poderosa, e mais cara, conta com processador de 3.4 GHz, memória RAM de 8 GB e HD de 1 TB. Para completar, o modelo ainda carrega uma placa de vídeo NVidia GeForce proporcionando uma ótima qualidade de imagem e vídeo. Esta versão é vendida no site por US$ 1.900, algo em torno de R$ 3.800. O tempo de entrega dos aparelhos para os compradores dos Estados Unidos é de apenas três dias úteis.

Por Felipe Santos Bonfim


Com o crescimento contínuo do mercado de tablets, é bem possível que em breve eles ultrapassem até mesmo os computadores completos.

Isso deve acontecer porque a performance de um tablet tem sido tão satisfatória quanto a de um notebook, por exemplo. Até mesmo podemos ver que estão sendo lançados acessórios que complementam os tablets e os deixam próximos aos notebooks, como podemos ver com o Surface, da Microsoft.

Além disso, em questão de números de vendas, os tablets têm se aproximado dos computadores, sendo que a venda dos gadgets gira em torno de 60 milhões de unidades, enquanto que o número de vendas de computadores é de 80 milhões de aparelhos vendidos.

Há algumas informações circulando na internet de que em alguns meses os tablets superarão o número de vendas bimestrais dos computadores, o que com certeza causará grande mudança no mercado tecnológico, fazendo com que computadores e notebooks precisem se adequar e se reciclar, devido a essa mudança.

Para os consumidores há uma grande divisão, pois alguns preferem aparelhos portáteis e menores, como smartphones e tablets, já outros preferem os computadores, mais robustos e potentes.

Resta ver a movimentação do mercado e os lançamentos que serão feitos em breve para confirmar se as informações são reais ou não.

Por Guilherme Marcon


No Japão, o iPad perdeu a liderança pro Nexus 7, fruto de uma parceria entre a Google  e a Asus. O tablet conseguiu atingir bons números de vendas ultrapassando o modelo da Apple, a líder do segmento mundial.

O jornal Nikkei publicou uma pesquisa em que 2,4 mil pessoas participaram, o resultado foi que 44,4% dos entrevistados escolheram o Nexus 7 contra 40.1% do iPad. O Nexus 7 conta com o preço baixo como ponto forte, custando US$ 130 a menos que o iPad Mini, o tablet mais barato da Apple.

Vale lembrar que a pesquisa não levou em consideração  que o iPad mini se esgotou no Japão no final do ano passado, o que pode justificar a queda da popularidade do dispositivo. O site PCMag publicou em agosto do ano passado que para cada cada tablet com sistema Android em todo o mundo, há 6,6 iPads.

Porém, este resultado foi divulgado um pouco tempo depois da chegada do Nexus 7 ao mercado. Sendo assim, não foi considerado a queda do marketshare da Maçã por conta do tablet da Google. O Brasil receberá o Nexus 7 em breve, ao menos é o que afirma o diretor de produtos móveis da Google, Hugo Barra. O modelo chega ao mercado nacional importado pela Asus sem nenhum subsídio da Google, elevando o preço para o consumidor final para R$ 1.299.

Por Felipe Santos Bonfim


Finalmente o Google Nexus 7 pode chegar ao Brasil. Em entrevista ao site Ztop, Hugo  Barra, diretor de produtos móveis da Google, disse que o tablet desenvolvido em parceria com a Asus chegará ao mercado nacional ainda este mês. 

No exterior o Nexus 7 é vendido por US$ 199 e virá ao Brasil importado pela Asus sem nenhum subsídio da Google. Por essa razão, o tablet chega ao país custando R$ 1.299 na versão com Wi-Fi e 16 GB de armazenamento interno.

Apesar do preço do tablet ser um tanto “salgado”, nem tudo promete ser decepção na chegada dos aparelhos da linha Nexus ao território nacional.

De acordo com Hugo Barra, ainda no primeiro semestre de 2013 será lançado o LG Nexus 4 no Brasil, mas desta vez com subsídios da Google. Podendo ser vendido pelo preço original de US$ 299, aproximadamente R$ 605.

O Nexus 7 conta com tela de 7 polegadas, sistema operacional Android na versão 4.2, 16 GB de armazenamento interno e processador quad-core Tegra 3.

A linha Nexus está conquistando o público ao redor do mundo por contar com especificações técnicas atraentes e potentes com bons preços. 

Por Felipe Santos Bonfim


O tablet Nexus 10 logo que foi lançado se esgotou na Google Play e desde então não havia voltado a loja para revenda. Agora, o aparelho está voltando a ser comercializado e já pode ser encontrado em algumas lojas onlines e físicas dos Estados Unidos.

De acordo com o Electronista, o tablet ficou disponível por pouquíssimo tempo na versão digital da Staples, mas ainda pode ser encontrado no Walmart. O aparelho foi construído pela Samsung e tem como principal objetivo ser o rival do iPad, contando com uma tela de 10 polegadas e uma resolução incrível de 2560 x 1600 pixels capaz de reproduzir 300 pixels por polegada, superando a tela de Retina do tablet da Apple, com apenas 264 pixels por polegada.

Os consumidores que optarem por comprar o aparelho no Walmart, a loja oferece a opção do consumidor recebê-lo direto em sua residencia ou até retirá-lo em uma loja mais próxima de sua residência (está opção vale a penas para os consumidores americanos). O modelo mais fácil de se encontrado é a versão com 32 GB de armazenamento, que no território norte-americano é vendido por 499 dólares.

Por Felipe Santos Bonfim


Responsável por 5% das vendas em 2011 e 10% em 2012, os dispositivos móveis estão em alta no Brasil. O barateamento desses dispositivos está fazendo com que as pessoas passem a utilizá-los mais no dia-a-dia, inclusive nas compras online.

De todas as compras realizadas por dispositivos móveis, o iPad (da Apple) é responsável por 51%. Já o seu "companheiro" iPhone é responsável por 20%. Todos os outros dispositivos somados são responsáveis por 29% das compras.

Com um faturamento de R$ 3,1 bilhões no Natal de 2012 (segundo a Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico), obteve-se um aumento de R$ 500 milhões entre 2011 e 2012.

Eletrodomésticos, Saúde, Beleza e Medicamentos são os produtos mais comprados pela internet no Brasil. Com destaque para produtos de Moda e Acessórios, Jornais, Revistas e produtos da área de informática. 

A Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico estima que haja cerca de 43 milhões de consumidores online no Brasil. Os R$ 22 bilhões estimados de faturamento é "culpa" dos 20% de crescimento esperado para o ano.

Apesar da tecnologia de internet móvel ainda estar engatinhando no Brasil (ainda não há o serviço 4G), os brasileiros estão aprendendo a comprar mais através da telinha de seus tablets e smartphones. O setor de informática no Brasil (assim como em muitos outros países) caminha a passos largos no desenvolvimento por causa da baixa regulação do Governo no setor.

Por Bruno Rafael da Silva


Finalmente o iPad 4 e o iPad Mini receberam a autorização para serem comercializados no mercado brasileiro.

A liberação da Anatel para os tablets da Maçã saiu esta semana, mesmo com o modelo de 7,9 polegadas já sendo comercializado em diversas lojas do país, claro que de forma não oficial.

As versões que foram homologadas pela Anatel são para os modelos sem 3G do iPad Mini e do iPad 4.

Ainda não há informações se os aparelhos que possuem conexão 4G conseguirão se conectar a esta rede no país.

O iPad Mini já está sendo vendido em algumas lojas de tecnologia e em leilões no Brasil com valores que variam de R$ 1.300 a R$ 1.700, dependendo da forma de pagamento que o consumidor escolher, lembrando que a opção de parcelamento faz com que o tablet fique mais caro.

Por se tratar de aparelhos importados, a expectativa é que a Apple apresente preços mais atraentes para o público.

Vale lembra que assim como os tablets, a Anatel também homologou o iPhone 5. O processo de homologação foi encerrado em outubro, porém o smartphone ainda não está sendo vendido oficialmente nas lojas do país. 

Por Felipe Santos Bonfim


Com o lançamento do iPad Mini e do iPad 4, a Apple conseguiu atrair muitos consumidores, além dos “applemaníacos”. No primeiro final de semana de venda dos novos tablets, a Apple conquistou a marca de 3 milhões de unidades vendidas juntando os dois aparelhos.

O número alcançado foi divulgado oficialmente pela própria Maçã e mostra um número de vendas similar à quantidade vendida do Novo iPad, que vendeu 1.5 milhões de unidades no primeiro final de semana de vendas, em março de 2012.

Mesmo com as inúmeras críticas do preço alto do iPad Mini e do espaço de tempo muito curto entre o lançamento do Novo iPad e do iPad 4, o início de vendas de ambos os aparelhos foi um grande sucesso. Inclusive, a Maçã foi surpreendida pelo fato de que a quantidade de compras do iPad Mini excedeu a oferta inicial.

O iPad Mini vem nas cores preta e branca e com especificações como tela de 7.9 polegadas, conexão Wi-Fi e capacidade de armazenamento de 16 GB. O iPad 4 é duas vezes mais veloz que o Novo iPad e conta com 16 GB de armazenamento.

Até então somente modelos com conectividade Wi-Fi estão sendo vendidos, porém, a Apple prometeu que os aparelhos com 4G serão vendidos muito em breve.

Por Guilherme Marcon


O ritmo acelerado das vendagens do tablet no mercado nacional tem chamado a atenção de empresas no exterior e companhias nacionais que querem fabricar o produto. Segundo informações divulgadas pela GfK Consultoria, entre o mês de janeiro e agosto do ano de 2012, as vendas deste tipo de equipamento cresceram 267% quando comparadas com o mesmo período de 2011.

Isso ocorre devido ao aumento na demanda de usuários que, cada dia mais, estão interessados na portabilidade que a prancheta eletrônica possibilita, além das opções de modelos com valores abaixo do iPad, produto da Apple e líder de mercado.

Atualmente, uma versão básica de um tablet da Apple sai por 1.299 reais. Porém, o mercado brasileiro tem várias opções como o Samsung Galaxy Tab 2, de 8 gigabytes, com preço de R$ 699.

Há também o Ypy, da marca Positivo. De acordo com a GfK, em pesquisa feita no mês de agosto, o preço médio do produto no País é de 968 reais. No ano passado, no mês de dezembro, este valor estava em mais de dois mil reais. Com mais opções para o mercado, a venda do tablet tende a aumentar e, além disso, faz com que os usuários com poder aquisitivo mais baixo também possam portar a prancheta eletrônica.

Por Marcelo Araújo


Após o lançamento do novo iPad Mini da Apple, no dia 23 de outubro, o tablet da Google com 8 GB de armazenamento, o Nexus 7, teve suas vendas suspensas na loja da gigante das buscas.

Na Play Store a mensagem que pode ser vista na página do Nexus 7 com 8 GB é a de “em breve”, porém, sem possibilidade de sequer encomendá-lo. Conforme informações do site Android Central, o aparelho foi retirado de vendas pelo fato de que a versão com 16 GB será lançada com o mesmo preço da com 8 GB, que era de US$ 199 (mais ou menos R$ 400 sem impostos). Junto da disponibilização de vendas do Nexus 7 com 16 GB, será disponibilizado o novo Nexus com tela de 10 polegadas produzido pela Samsung.

Entretanto, vale lembrar que para os brasileiros a Google Play Store ainda não está disponível, então não é possível acessar qualquer dispositivo Nexus para compra no território brasileiro. Além disso, não há previsão para chegada dos tablets Nexus ao Brasil, nem o lançamento da loja da gigante das buscas.

Os novos dispositivos, como o Nexus com tela de 10 polegadas, foram apresentados no evento que aconteceu no dia 29 de outubro. De fato a briga entre Apple e Samsung + Google fica cada dia mais intensa.

Por Guilherme Marcon


Há vários concorrentes do iPad no mercado, mas sem nenhuma dúvida o Nexus 7 da Google é o que mais conseguiu se destacar dentre eles. Para confirmar essa informação, David Change (CFO da Asus) deu sua declaração ao “The Wall Street Journal” e falou que por mês são vendidos aproximadamente 1 milhão de aparelhos no mundo todo.

O CFO disse que no início eram vendidos cerca de 500 mil aparelhos Nexus 7, depois passou para 600 mil, depois 700 mil e no mês passado o tablet atingiu a marca de quase 1 milhão de aparelhos vendidos. Ainda que o tablet esteja longe de conseguir chegar aos números do iPad, a informação revela claramente que diversos consumidores estão dispostos a gastar seu dinheiro em outros aparelhos e não só nos da Apple como acontecia antigamente.

O Nexus 7 vem fazendo tanto sucesso que na última terça-feira (dia 30 de outubro) a fabricante revelou que pretende aumentar consideravelmente o número de unidades do tablet que ela envia aos fornecedores e isso acontecerá já no terceiro trimestre de 2013. Mesmo a Google não revelando o total de unidades vendidas oficial, o mercado espera que a produção do aparelho suba para 200% comparado ao segundo trimestre do ano comercial.

Por Felipe Santos Bonfim


Se você não quer esperar os lançamentos das novas tecnologias em dispositivos móveis chegarem ao Brasil, você pode encontrar modelos de tablets com Android à venda em diversas lojas, tanto convencionais, quanto virtuais. Encontramos algumas opções dos melhores produtos da linha Google:

Galaxy Note 10.1 – Este tablet tem função Multi Screen, vem com Caneta S Pen com nível de sensibilidade bastante preciso, para escrita e desenho com excelente exatidão de 0.5 mm, permitindo um trabalho bem detalhado. Para quem gosta de trabalhar com imagens e fotos, o Galaxy vem com Adobe® Photoshop® Touch que permite buscar imagens no Google, fazer uma combinação de textos e efeitos visuais. O preço custa 1.900 reais.  

Motorola Xoom 2 –  Produto bastante leve e fino, tela de 10,1” com alta definição. Vem com processador dual-core de 1,2 GHz que aumenta a velocidade em 20 por cento. O Motorola Xoom 2 é vendido em duas versões, 3G e Wi-Fi, e custa 1.700 reais.  

Sony Tablet – Vem com memória RAM de 1 GB, é um tablet bastante potente no que se refere à capacidade de armazenamento, suporta até 32 GB. O Sony Tablet foi desenhado  ergonomicamente para se adaptar confortavelmente à mão. O sistema operacional do produto é o Android 4.0.3, o mais recente até o momento. Aqui no Brasil, o Sony Tablet custa 1.400 reais.  

Asus Transformer Pad T300G – Este produto ainda é indefinido no Brasil, no que se refere à preços. Nos Estados Unidos, está à venda por 350 dólares, porém sem o teclado, que pode ser comprado pelo valor de 150 dólares.   

Samsung Galaxy Tab 2 7” –  Este tablet também vem com o sistema operacional Android, o 4.0. A conexão Wi-Fi, Bluetooth e USB permite maior opção e flexibilidade de acesso. O processador de 1 GHZ Dual Core possui maior capacidade de armazenamento inclusive também para músicas, vem com MP3 Player integrado. O Galaxy Tab 2 7’’ custa 900 reais.  

Todos estes produtos podem ser encontrados nas lojas do ramo e também pela internet, nas lojas virtuais.

Por Monique Mota


A briga judicial entre a Samsung e a Apple finalmente acabou, mas as consequências continuam surgindo, influenciando o mercado e o consumidor. No entanto, desta vez, a nova notícia parece que irá agradar aos fãs da Samsung.

Após o julgamento, a empresa havia sido proibida de vender o Galaxy Tab 10.1 nos Estados Unidos, mas agora esta decisão foi revista e o tablet já está sendo vendido em todas as lojas do país.

O aparelho ficou sem ser comercializado nos Estados Unidos durante três meses, mas agora ele finalmente poderá ser vendido por lá.

O fim da proibição das vendas do Galaxy Tab 10.1 no país foi determinado pela juíza Lucy Koh, a mesma que decretou que a fabricante sul-coreana não poderia mais vender o aparelho no país. A decisão foi tomada após a juíza ter visto que das várias quebras de patentes feitas pela Samsung no Galaxy Tab 10.1, a quebra de patente do desing não fazia parte desta lista. Sendo assim, não havia nenhum motivo para manter a proibição.

Não é somente o fato de a juíza ter voltado atrás e ter retirado a proibição de comercialização do dispositivo que impressionou, o que realmente chamou atenção foi que, Lucy Koh ainda decretou que a Apple deve pagar 2,6 milhões para a Samsung, como prejuízo pelo tempo que o tablet ficou sem ser vendido e para cobrir os gastos do processo.

Por Felipe Santos Bonfim


E não é que nem sempre as ações judiciais são provenientes das próprias empresas interessadas? Se o Samsung Galaxy Tab 10.1 depender do mercado alemão para ser um sucesso de vendas, a empresa deve mudar seus projetos urgentemente. É que a Justiça alemã acionou a empresa semana passada, acusando-a de vender um tablet imitador do iPad, da Apple. É isso mesmo: as vendas do Galaxy Tab 10.1 foram proibidas na Europa, pois o design do dispositivo é estranhamente semelhante ao que é fabricado pela empresa de Steve Jobs.

O interessante é que, nesse caso, o motivo do "embargo" não tem muita relação com as conhecidas disputas por quebra de patentes, uso de tecnologia ou de softwares proprietários. A Corte Provincial de Düsseldorf levou em consideração apenas o design do aparelho. Para a justiça alemã, a Samsung desrespeitou a distância que deveria ter do modelo de tablet da maçã, segundo a avaliação sentencial dada pela juíza Johanna Brückner-Hofmann. Para ela, outras empresas levaram em conta essa distância legal (a exemplo da Toshiba) e o Galaxy Tab 10.1 poderia ter passado pelo mesmo processo de "formatação".

A punição terá efeito retroativo, pois o anterior  Galaxy Tab 7.7 também será atingido, ficando proibida a sua comercialização naquele país. A empresa coreana, por enquanto, limitou-se a lamentar.

Por Alberto Vicente Silva


Rumores noticiados esta semana dão conta de que a gigante dos celulares, Samsung, anda tendo problemas com a venda de um dos seus equipamentos mais em voga. Segundo o boato, a Samsung está com os estoques abarrotados de unidades de seu Galaxy Tab e não vem sendo capaz de fazer frente à Apple neste setor.

Analistas apontaram o fato de a empresa ter sofrido uma queda no preço de suas ações, algo que poderia estar forçando a companhia a reduzir o preço do Galaxy para competir com os bons indicadores de vendas do iPad 2.

Entretanto, para James Chung, porta-voz da empresa, tudo isso não passa de uma especulação completamente infundada. E disse mais: a Samsung não se dá ao trabalho de comentar especulações de mercado, uma vez que ela esta preocupada em oferecer uma ampla gama de produtos que permitam ao cliente exercer prontamente o seu direito de escolha.

Polêmicas à parte, os números indicam que a Samsung é uma empresa que tem provado seu poder nesse tipo de produto. Afinal, até agora, mais de 3 milhões de unidades do primeiro Galaxy (o de 7 polegadas) já foram vendidas, desde que foi lançado no final de 2010. Com isso, as perspectivas da empresa são as melhores possíveis, já que os modelos com 8,9 e 10,1 polegadas (mais recentes) têm se caracterizado como sendo até mais competitivos que a versão anterior.

Em  resumo, a Samsung não vê motivos para mudar suas táticas, apenas por causa de análises pessimistas de mercado.

Por Alberto Vicente


A Apple começa a vender o iPad2 em vários países europeus mais o Canadá, México, Austrália e Nova Zelândia nesta sexta-feira, 25 de março, mesmo não tendo estoque o suficiente nos Estados Unidos. Os americanos fazem filas nas lojas e geralmente saem sem o sonhado produto. Quando o pedido é feito pela internet, a espera é de até 5 semanas para se ter um iPad2 em casa.

No entanto, a Apple não abre mão de começar a sua venda internacional, que seguirá o mesmo padrão da americana: as lojas começarão as vendas às 17 horas local de cada país e o iPad custará a partir de US$500.00. Em abril, a empresa pretende comercializar o aparelho na Ásia também, incluindo Coréia do Sul, Hong Kong e Cingapura. O lançamento do Japão estava previsto para o dia 25 também, mas devido ao terremoto e ao tsunami que devastaram o país, ele foi adiado e não há previsão para o acontecimento no país.

No mundo todo, há grandes expectativas com relação ao iPad2, que tem agora duas câmeras, está mais rápido e fino. As pessoas não vêem a hora de ter um em mãos para experimentar essa nova tecnologia da Apple. 

Por Flávia Yoshitani


A partir do dia 27 de março de 2011, estará disponível em lojas americanas uma versão mais barata do tablet da Motorola, o Xoom. Ele irá aparecer sem o mecanismo de conexão 3G, somente com o Wi-fi.

Segundo informações de mercado, o preço estimado que pode ser praticado pelas lojas é o de US$ 599, transformando para a nossa moeda fica em torno de R$ 1 mil reais.

Lojas como Best Buy, Amazon.com, Sam’s Club, Walmart, Staples, entre outras, estarão oferecendo em terras americanas o aparelho com a seguinte configuração: uma tela de 10,1 polegadas no modo widescreen, 32 GB de memória, a comentada conexão Wi-fi, além do sistema operacional Android na sua versão 3.0 (também é conhecida como Honeycomb).

No Brasil, os rumores dão conta que esta versão do tablet da Motorola chegue no mês de maio. 


O tablet Motorola Xoom tem sido apontado como um dos grandes concorrentes do iPad ao lado do Galaxy Tab.

Lançado há poucos dias nos Estados Unidos pela operadora Verizon, o Xoom não tem encontrado a mesma receptividade do tablet da Apple. Segundo analistas as vendas do tablet da Motorola, que tem processador dual-core e roda o Android Honeycoomb, estão apenas engatinhando.

Um levantamento feito em 80 pontos de venda apontou que a média de venda é de 2 unidades por dia. A expectativa é que o Xoom tenha vendas de 300 mil unidades no trimestre.

Para se ter uma ideia da diferença em relação ao iPad 2, espera-se que o tablet da Apple tenha vendido 300 mil unidades em apenas 24 horas no seu lançamento.

Por Maximiliano da Rosa


Clientes americanos fizeram filas nas lojas da Apple para comprar o iPad2 a partir do dia 11 de março. Quem conseguiu adquirir seu equipamento, saiu dando pulos de alegria. Só nos Estados Unidos, são 236 lojas da Apple e mais mil lojas da AT&T, da Target, da Best Buy e do Wal-Mart que também comercializam o produto.

Enquanto fanáticos por tecnologia faziam filas do lado de fora das lojas, funcionários faziam demonstrações de como funciona o novo produto de Steve Jobs. O iPad2 é equipado com processador A5 de 2 núcleos, sendo mais rápido que o primeiro.

Agora, como seus concorrentes, também possui duas câmeras: uma frontal e outra traseira, de alta definição. Ele está 4,6 mm mais fino e com menos 90 gramas. Ele ainda possui três eixos, o chamado giroscópio, que cria uma sensação melhor de movimento, principalmente ao executar jogos. Ele também pode transmitir imagens em alta definição para outros aparelhos e a sua bateria dura 10 horas.

O iPad está sendo vendido por preços que partem de US$499,00 e vão até US$829,00. O lançamento do produto em mais 26 países está previsto para 25 de março, mas, infelizmente, ainda não há previsão para a sua chegada ao Brasil.

Por Flávia Yoshitani


Finalmente o iPad chegou oficialmente ao Brasil. O lançamento ocorreu a 0h desta sexta feira – dia 03 de dezembro – e rendeu filas enormes na frente da loja FNAC em São Paulo.

Apesar das portas só serem abertas a meia noite a fila começou a ser montada já às 22 horas. Os clientes tentaram reservar por telefone, mas como a venda só poderia ser concretizada pessoalmente a única forma de obter em primeiríssima mão (pelo menos oficialmente em uma loja brasileira, porque o IPAD já vem sendo vendido a meses) era indo pessoalmente a loja.

É muito provável que o produto esgote rapidamente, mas a boa novidade é que agora não será preciso mais encomendar pela internet ou comprar fora do país; o tablet já pode ser adquirido em lojas brasileiras. E sem filas de agora em diante.

Por Teresa Almeida


Lançado em abril de 2010, o iPad da Apple continua despertando o desejo dos consumidores brasileiros. A chegada do tablet está demorando, apesar de algumas operadoras de telefonia anunciarem o início das vendas no começo de dezembro.

De olho na demanda, algumas lojas já possuem cadastro de reserva de aparelhos. Segundo algumas lojas, o tablet da Apple chegará no dia 2 de dezembro. O preço será entre R$1,6 mil e R$2,5 mil, dependendo das configurações do aparelho.

O iPad de 16 GB e com Wi-Fi será o mais barato. O com 64 GB, 3G e Wi-Fi será o mais caro. A Apple não confirma o início das vendas para o dia 2, mas pelo o que parece, os brasileiros não aguentam mais esperar.

Por Camila Porto de Camargo

Fonte: G1





CONTINUE NAVEGANDO: