Modelo chega com tela de retina e custa mais de R$ 10 mil.

Quem estiver disposto a pagar pouco mais de R$ 10 mil, poderá ter o novo MacBook Air com tela retina e Touch ID da Apple. O modelo com tela de 13,3 polegadas e alta resolução conta com design renovado e muitas novidades tecnológicas. O lançamento aconteceu nesta última terça-feira, dia 30 de outubro, e a nova geração do MacBook Air é um notebook ultrafino, que vem atraindo o interesse de quem é apaixonado por tecnologia.

O leitor de impressões digitais Touch ID foi muito elogiado por quem já testou o equipamento, assim como o áudio, que teve importantes melhorias. Esta é a primeira vez que o modelo usa tela Retina. Todas as novidades foram comemoradas pelos consumidores, afinal, desde 2012 que o laptop não passava por uma atualização e a Apple vinha sendo bastante cobrada, pois nos últimos anos, apenas os processadores tiveram upgrade.

Mas um dos principais destaques é a portabilidade, pois segundo a empresa, a nova versão do MacBook Air foi totalmente montada sobre uma carcaça de alumínio reciclado, pesando 1,25 quilos e tendo 15,6 milímetros de espessura, lembrando que o modelo anterior era de 17,3 milímetros. Alguns detalhes vieram dos outros Macs, por exemplo, a logo sem iluminação que fica na tampa e algumas poucas portas, sendo uma entrada de 3,5 mm para quem desejar usar fones de ouvido e tem outras duas USB-C.

Uma opção que já está presente em outros Macs recém lançados, é a possibilidade de entrar no macOS e usar o Apple Pay para efetuar pagamentos através do leitor de impressões digitais Touch ID, que é comandado por um chip Apple T2.

Com Force Touch, o trackpad está cerca de 20% maior e contando com teclado moderno de 3ª geração, que vem com mecanismo borboleta completamente renovado, não tendo o Touch Bar. Os alto-falantes estão com 25% a mais de volume e o microfone também melhorou.

Um detalhe que pode ser problema para quem precisa sair com o equipamento é a bateria. O laptop continua com sua bateria, que oferece 12 horas de navegação no Wi-Fi, o que é tempo suficiente para uns, mas pode não ser para outros. Cada um terá que analisar seu dia a dia, como e onde irá usar o aparelho, para ver se será ou não suficiente.

O processador do novo MacBook Air é um Intel Core i5 dual-core de 1,6 GHz de oitava geração com GPU integrada. É muito poder, mesmo para quem precisa executar arquivos mais pesados, pois o processador ainda contará com o suporte de 8GB de memória RAM, mais 128 GB de memória flash. E se o usuário achar pouco e quiser ter uma versão ainda mais potente, poderá elevá-lo para até 16 GB de memória e 1,5 TB de armazenamento. Outra boa opção para quem trabalha com fotos e vídeos é poder usar a porta Thunderbolt 3 para exibir as imagens em um monitor 5K.

Desde o dia 30 de outubro que o modelo está em pré-venda nos Estados Unidos, mas será entregue ao consumidor somente a partir do próximo dia 7. Aqui no Brasil, ainda não há previsão de quando será lançado, mas já é certo que o preço ficará em R$ 10.399 para o modelo mais simples e R$ 11.999 para o mais avançado.

O novo MacBook Air com tela retina e Touch ID da Apple de fato é um equipamento com tecnologia de ponta e que tem muito a oferecer, mas o consumidor brasileiro precisará avaliar bem se compensa investir este dinheiro na compra de um. O primeiro passo é definir o perfil, saber o que realmente precisa e depois fazer um levantamento dos equipamentos disponíveis no mercado que possam atender suas necessidades. Por fim, comparar os preços.

A Apple investiu pesado e finalmente trouxe as atualizações tão esperadas. O novo MacBook Air realmente melhorou, só que será preciso pagar um preço alto para contar com todas as novidades.

Por Russel


Novo Macbook Pro tem barra touch e leitor de digitais.

A Apple anunciou o lançamento do novo Macbook Pro. Entre as novidades, está o painel touch (que substitui a linha de caracteres F1, F2, F3, F4…) e o leitor de digitais para desbloqueio e personalização do aparelho.

A novidade do painel touch havia sido divulgada anteriormente por engano. A atualização apareceu em imagens de uma apresentação das configurações recentes do sistema operacional da Apple: Mac OS.

O novo Macbook Pro terá duas versões completas e uma intermediária. As versões completas poderão ser encontradas com telas de 13 polegadas e 15 polegadas. O valor, respectivamente, será de US$ 1,8 mil e US$ 2,4 mil. Nos Estados Unidos, a previsão é que as primeiras entregas sejam efetuadas ainda no mês de Novembro. Para o Brasil ainda não há data definida e nem preço para o novo Macbook Pro.

A versão intermediária conta com as mesmas configurações de hardware e software das versões completas, no entanto, a barra touch e o leitor de digitais foram suprimidos dessa versão. A retirada dessa tecnologia deixa o preço do aparelho um pouco mais barato: US$ 1,5 mil para o modelo de 13 polegas.

Conforme divulgado pela Apple, a barra touch terá inúmeras funcionalidades nos aplicativos e poderá ser configurada de acordo com cada funcionalidade. Segundo a empresa, é possível fazer alteração de destino para cada um dos botões, o que será bastante útil para definir funções e agilidade na navegação de alguns aplicativos.

O leitor de digitais serve como segurança e personalização do Mac quando o mesmo é utilizado por mais de uma pessoa – a exemplo irmãs e irmãos, famílias, entre outros. No momento em que você acende o dispositivo com sua ID, ele já saberá quem está usando o aparelho e direcionará os arquivos e configurações de modo personalizado.

O lançamento do Macbook Pro nos Estados Unidos irá convergir com o lançamento do iPhone 7 no Brasil. O novo smartphone da Apple ainda não possui preço definido aqui em território verde-amarelo, mas já possui data para o início das vendas. A estimativa é que o iPhone 7 esteja nas prateleiras do Brasil no dia 11 de Novembro.

Matheus Griebeler


A nova patente da Apple promete transformar o trackpad dos Macbooks em algo inovador. A companhia registrou a patente em um escritório nos Estados Unidos e em breve poderá sair do papel e ser estudada detalhadamente. A patente irá substituir os cliques por novos sensores de força, que podem ser utilizados tanto para clicar como para arrastar e segurar.

O documento foi feito ainda no ano de 2009, por oito inventores que trabalharam juntos. A tecnologia inventada incorpora ao trackpad quatro sensores, um em cada canto. Estes irão detectar a força que o usuário fez sobre eles. Com esse mecanismo, não há necessidade de utilizar botões mesmo quando for necessário. Segundo os desenhos do projeto, haverá uma grande mudança no controle do mouse no Macbook.

Estes sensores possuem a capacidade de calcular melhor o que o usuário pretende fazer, somente pelo modo de como ele passa seu dedo em cima do trackpad. Desse modo, ações de soltar e arrastar serão facilitadas. Com os quatro sensores que serão incorporados, o nível de sensibilidade aumenta, possibilitando o usuário controlar o mouse com maior precisão. O trackpad irá emitir alertas vibratórios, como por exemplo, avisar o usuário quando uma mensagem for recebida.

A ideia da empresa é facilitar a usabilidade do trackpad. Este irá economizar espaço no interior do aparelho, deixando os Macbooks ainda mais finos. Ao tocar nele, os sensores dariam uma resposta com uma vibração. Ele ainda permite que o usuário controle a sensibilidade dos sensores, dando funções específicas aos toques mais leves e mais fortes. O controle da barra de rolagem, função complicada de realizar segundo usuários, será bastante facilitada.

A tecnologia não ficará restrita somente nos Macbooks, mas também poderá ser incorporada nas telas dos iPads e iPhones. Mesmo com a patente já registrada no escritório, não há previsão de quando a nova tecnologia será implantada nos produtos da Apple.

Por Danilo Gonçalves


A conferência anual da Apple, a WWDC, está chegando e diversos rumores vêm surgindo. Agora foi a vez do Macbook Air ser alvo dos boatos. Segundo informações, o notebook da Maçã poderá receber uma atualização de processador durante o evento que acontecerá em junho.

Já era previsto que a Apple iria atualizar sua linha de computadores portáteis com processadores da Intel de quarta geração, mas só agora começou a surgir informações dos comerciantes americanos confirmando que os últimos modelos já estão sendo eliminados. O primeiro a receber o upgrade deverá ser o Macbook Air 13.

Além do processador, ainda há dúvidas a respeito do que a Apple pretende fazer exatamente em sua linha de computadores portáteis. Um ponto que vem sendo bastante discutido é a implantação da tela de Retina nos Macbooks. Porém, a novidade iria aumentar ainda mais o custo do produto, o que acaba não sendo tão interessante para o consumidor final.

Falta pouco tempo para a WWDC 2013 e logo os fãs da companhia poderão saber o que de fato ela preparou. Além da atualização dos notebooks, acredita-se que ainda será apresentada uma versão nova do Mac OS, a OS X 10.9, que contará com uma interface mais integrada com o iOS, deixando os dois sistemas da empresa mais unificado. 

Por Felipe Santos Bonfim


Recentemente, surgiram informações de que os famosos Macbooks da Apple podem receber novos modelos ainda em 2013.

Essa informação foi divulgada na internet como dados obtidos de fontes anônimas e próximas aos fornecedores taiwaneses que são parceiros da Maçã.

Conforme o boato, no mês de junho deste ano devem chegar novas versões do Macbook Air e do Macbook Pro. Os novos aparelhos virão com grandes mudanças estruturais, porém, sem ter muita alteração no seu design.

Ainda há outros rumores de que os Macbooks Air também ganharão um processador novo, para melhorar a parte gráfica e o desempenho de energia dos computadores. Já os Macbooks Pro não tiveram muitas informações divulgadas, mas a expectativa é que o hardware também sofra alterações.

Entretanto, a informação mais comentada foi divulgada pelo DigiTimes, que fala sobre os preços dos dispositivos. De acordo com o site, a Apple baixará o preço dos Macbooks Air um pouco antes de anunciarem os novos modelos, o que seria algo “polêmico”, já que a Maçã dificilmente procede desta forma.

A Apple, como de costume, não se pronunciou sobre as informações e isso com certeza vai gerar novos rumores. Para ter certeza dos lançamentos, é só acompanhar os grandes eventos da empresa para ver se serão lançados ou não os novos Macbooks.

Por Guilherme Marcon


Há certo tempo surgiram alguns rumores de que a Apple estaria pensando em aplicar uma tecnologia própria de processadores nos seus iMacs e MacBooks, tal qual já é feito no seu smartphone (o iPhone) e no seu tablet (o iPad).

De acordo com novos boatos, algumas fontes próximas à Apple informaram que a empresa está buscando formas para aplicar seus processadores nas suas linhas de notebooks e PCs. Além disso, essas fontes afirmaram que os novos processadores já serão utilizados nas próximas remessas de aparelhos com a marca da Maçã.

Desde 2005, a Apple utiliza a tecnologia da Intel em seus processadores, porém, com o passar do tempo os computadores cada vez mais se parecem com smartphones e tablets. Nesse ramo, a Maçã possui muita experiência, além de tecnologia própria, o que poderia impulsionar a criação de tecnologias para os iMacs e MacBooks também. Tendo em vista que a Apple já cria chips com arquitetura ARM, a necessidade seria importa-los aos outros aparelhos.

Além disso, se a Maçã de fato tomar essa atitude, é muito provável que diversas outras empresas também comecem a desenvolver seus próprios processadores, pois a Apple é com certeza uma empresa “formadora de mercado”.

Sobre os rumores, o representante da empresa, Bill Evans, recusou-se a comentar, seguindo a política da companhia de não “responder” nenhum boato.

Por Guilherme Marcon


Após atualizar a EFI (Extensible Firmware Interface) do MacBook com tela de retina, diversos consumidores da Apple relataram em fóruns que houve uma queda na performance do equipamento.

Segundo os consumidores, depois de atualizar o aparelho e realizar tarefas que exigem maior desempenho gráfico o sistema começou a apresentar diversas quedas na taxa de quadros por segundo.

As EFI dos MacBooks são iguais as BIOS dos computadores e, da mesma forma que acontece nas máquinas que trabalham com sistema Linux e Windows, elas servem para regular o funcionamento de diversos hardwares e diretrizes básicas.

O problema que os consumidores da Apple estão enfrentando é com a relação entre o chipset gráfico e a atualização. O bug tem maior frequência nos modelos com tela de retina e processador GeForce GT 650M. O problema acontece geralmente quando os usuários tiram o aparelho do modo de hibernação, usam o Windows em Boot Camp ou jogam games.

Até o momento, não existe nenhum parecer da Apple em relação ao assunto, mas alguns sites, como por exemplo o Electronista, revelam que este problema pode ser proposital. O site alega que a Apple estaria pensando em diminuir o poder dos chips para conseguir baixar a temperatura dos computadores quando os mesmos estão realizando trabalhos mais pesados. Outra teoria revela que a nova EFI não se comunica direito com os sensores térmicos e que por esse motivo eles são desacelerados na hora errada.

Por Felipe Santos Bonfim


A Apple acaba de liberar um update para os MacBooks que foram fabricados este ano. Desde o meio do ano, a companhia não lança nenhuma atualização para seus notebooks. A nova versão do sistema traz correções para as falhas e apresenta melhorias no desempenho gráfico do sistema operacional. Além disso, ela oferece maiores possibilidades de comunicação através de aparelhos USB.

A companhia não revelou quais foram os motivos para que ela lançasse esta atualização, porém, recentemente vários consumidores começaram a relatar problemas com a tela, que começava a piscar na hora de iniciar o sistema.

Sendo assim, é recomendado que todos os consumidores que possuem um MacBook fabricado em 2012 façam o download do update.

A atualização já está disponível através do "Apple Software Update" e do "Apple Support Downloads".

Recomenda-se fazer um backup de todo os arquivos do computador antes de prosseguir com a atualização do sistema.

Por Felipe Santos Bonfim


Uma versão do Macbook Pro com tela de retina de 13,3 polegadas irá ser lançado em breve. Segundo o site CNET, a Apple tem planos de lançar, nos Estados Unidos, a nova edição de seu notebook e espera que isso aconteça até o final do ano, a tempo do natal e ano novo.

Rumores apontam que a versão do MacBook Pro com tela de 13,3 polegadas está sendo fabricada para o quarto trimestre.

Ainda de acordo com os boatos, alguns apontam para o anúncio do computador após a revelação do iPad Mini, a nova versão com tela menor do novo iPad. No que diz respeito as especificações técnicas a única informação é que o produto terá resolução de 2560×1600, muito mais pixels se comparado a versão atual.

Da mesma forma que aconteceu com o Macbook Pro de 15 polegadas, a Apple deverá vender o novo modelo com um preço bem diferente ao cobrado pela versão tradicional, que não conta com tela de Retina.

Alguns sites afirmam que a produção do Macbook Pro com tela de  13 polegadas está sendo feita a todo vapor, para conseguir garantir a entrega do aparelho no prazo estabelecido.

Até o momento, a Apple não se pronunciou sobre o assunto, por esse motivo nada a respeito do produto foi confirmado ainda.

Por Felipe Santos Bonfim


Durante a WWDC (Worldwide Developers Conference) 2012, a Apple apresentou os novos Macbooks Air que continuam ultraleves, mas agora capazes de competir frente a frente com os ultrabooks que estão surgindo no mercado.

Além deles, também foram anunciados os novos Macbooks Pro, que chamaram muita atenção por agora possuírem a famosa tela Retina Display.

Detendo essa tecnologia, a super-resolução do novo iPad passará para o notebook da Apple, chegando a 2880 x 1800 pixels. O aparelho também apresenta a exuberante densidade de 220,5 pixels por polegada, o que representa 5,1 milhões de pixels. E, para dar conta de tal resolução, a Apple também anunciou novas versões para alguns de seus aplicativos, como o Final Cut, o iPhoto, o navegador Safari e o Mail.

Tanto a resolução como a densidade de pixels do novo Macbook Pro ultrapassam os valores encontrados nos melhores aparelhos do mercado, como o Asus Zenbook Prime e o Sony Vaio Z 13.1.

O novo Macbook Pro já está sendo vendido nas lojas dos Estados Unidos pelo valor de US$ 2.199, mais ou menos R$ 4.400 sem impostos. Ainda não há informações sobre o seu lançamento no Brasil.

Por Guilherme Marcon


Segundo o site 9to5Mac, a assistente pessoal Siri, presente no iPhone 4S da Apple, será lançada para os notebooks da empresa e poderá ser acionada através da combinação de algumas teclas. Porém, o código que foi encontrado na nova versão do sistema operacional da Apple mostra que a ferramenta ainda está em fase de testes, o que mostra que nada foi confirmado ainda pelos desenvolvedores da companhia.

Ao contrário da Siri do iPhone, que oferece diversas funções aos usuários, o recurso que estaria presente no OS X Mountain Lion teria apenas a função de ditado, ou seja, ao pressionar as teclas seria possível ditar no lugar de escrever. Além disso, rumores ainda apontam que os novos notebooks chegarão ao mercado com tela de retina, para atrair os consumidores que buscam imagens perfeitas, o que seria uma estratégia para que os donos atuais de Macbooks viessem a comprar os novos modelos.

Até o momento, nenhuma informação sobre configurações, preço e data de lançamento foram reveladas pela Apple, sendo assim, só resta esperar que a empresa faça algum pronunciamento oficial confirmando ou não os rumores.

Por Guilherme Marcon


Quando os novos Macbook Air foram lançados houve muito alvoroço por parte da imprensa e dos consumidores. Steve Jobs, a anunciá-los falou que eles são os notebooks do futuro. Mais finos e leves do que nunca, os novos modelos ganharam vários recursos como o Facetime e uma loja de aplicativos. Outro destaque ficou por conta do preço. O modelo de 11 polegadas sairá nos EUA por apenas 999 dólares.

No entanto, toda essa leveza apregoada pela Apple tem seu preço. Quem optar por comprar um Macbook Air de 11 polegadas terá em mãos um netbook com desempenho de tablet. É isso mesmo. O resultado foi obtido ao se medir a velocidade no software GeekBench 2.

O modelo com processador Intel Core 2 duo de 1.4 Ghz só não perdeu em desempenho para o iPad. Enquanto o tablet fez 453 pontos, o Macbook Air fez 2026 pontos.

Por Maximiliano da Rosa


Fino, elegante, prático e potente e com uma boa capacidade de memória e uma excelente carga de bateria, assim são os novos notebooks da Apple da linha Macbook Air lançados nesta semana pelo presidente da empresa, Steve Jobs, em evento realizado nos Estados Unidos.

O conceito aplicado pela empresa na criação destes novos modelos foi a aproximação do notebook à algumas características do recém lançado Ipad, tais como longa duração da bateria, praticidade e leveza. E a Apple atingiu este objetivo. Os novo modelos são finos e leves. O modelo de 13 polegadas de tela, fechado tem apenas 1,7 centímetros na sua parte mais espessa e sua bateria pode durar sete horas em uso de internet sem fio e surpreendentemente em stand by a carga das baterias pode durar até trinta dias.

O modelo menor possui tela de 11,6 polegadas e o irmão maior vem com a citada tela de 13 polegadas. Para o menor a capacidade de espaço em disco pode ser de 64 GB ou 128 GB e para o Macbook Air maior, o espaço pode ser de 128 ou d256 GB. Quanto a configuração ela é igual para os dois: processador Core 2 Duo, memória RAM de 2GB, webcam e placa de vídeo Nvidia GeForce 320m. Outro destaque destes notebooks é o disco tipo SSD, sem partes móveis,  operacionalmente mais rápidos e resistentes. Estes novos modelos já virão com o iLife´11 instalado.

A previsão de venda dos novos modelos no Brasil é de estarem a disposição nos próximos 15 dias, mas devendo em primeiro momento estarem a venda somente na loja on line da Apple. Para se ter uma ideia do preço o modelo menor, tanto em termos de tela (11,6 polegadas), quanto em armazenamento (64GB), a sugestão é de R$ 3.199.

Por Mauro Câmara

Fonte: Tecnologia Terra


Steve Jobs anunciou no evento Back to the Mac as novas versões dos seus notebooks. Além do modelo tradicional, com tela de 13,3 polegada o Macbook Air ganhou também um modelo com tela de 11,6 polegadas, muio mais leve e fino.

O novo Macbook Air de 13,3 polegadas pesa 1,3 kg, tem espessura de 2,7 milímetros, e é construído numa peça só. Sua tela tem resolução de 1440X900 pixels e ele vem com placa de vídeo GeForce 320M, além de contar com processador Intel Core 2 Duo. A memória RAM é de 2 GB, sem direito à drive óptico ou disco rígido, apenas memória Flash de até 128 GB.

Ele também conta com suporte ao novo FaceTime para Mac, tem entrada para cartão de memória, e sua bateria promete aguentar 7 horas de navegação na rede sem fio. Seu preço é a partir de 1299 reais.

Por Maximiliano da Rosa


Depois de batizar seus sistemas operacionais com nomes de grandes felinos como Tiger, Leopard e Snow Leopard, um comunicado enviado aos principais sites de notícias tecnológicas causou uma certa agitação entre os fãs do OS X. A imagem trazia a logomarca da Apple com uma foto de um leão ao fundo junto aos dizeres “Back to the Mac” (“De volta ao Mac”).

Trata-se de um convite para o evento anual de desenvolvedores da Apple que acontece, excepcionalmente no dia 20 de outubro de 2010. Normalmente, a data escolhida para este evento é em junho. Para trazer maior visibilidade ao evento, talvez, o anúncio de uma nova versão do sistema operacional foi uma boa jogada.

O evento deve trazer novidades sobre os produtos da Apple e ainda lançamentos importantes para quem está pensando em comprar o seu primeiro Mac.

Por Luísa Barwinski


A última semana de setembro foi acompanhada de uma notícia bastante empolgante para os fãs dos notebooks da Apple. A integração da tecnologia de internet móvel aos já superequipados MacBooks parece algo que deve se concretizar muito em breve.

O anúncio dessa patente foi feita pelo site Patently Apple, que divulga as patentes registradas pela empresa. A tecnologia usada é a mesma presente nas antenas dos iPhone 4 e, por isso, causa algumas desconfianças por parte dos usuários.

A antena do iPhone 4 recebeu críticas logo após o lançamento do aparelho. Ainda assim, resta a nós todos aguardar a chegada do possível MacBook 3G às lojas para conferir se a tal antena recebeu a atenção merecida para ser utilizada em um dos carros-chefe da linha de produtos de Steve Jobs.

Por Luísa Barwinski


Enquanto alguns proíbem o uso de notebooks em sala de aula, outros exigem o contrário. Nos Estados Unidos a escola Bervely Hills quer que todos os alunos tragam seus próprios notebooks para a sala de aula. E não pode ser qualquer notebook, a exigência é que sejam modelos Macbook da Apple.

A justificativa do superintendente da escola de Ensino Médio é que os cerca de 1200 alunos terrão acesso à rede sem fio para poderem usar o que ele chama de aprendizado colaborativo. O problema é que notebooks baseados em outras plataformas não seriam compatíveis com a rede interna da instituição de ensino.

É claro que muitos pais, que não têm condições de comprar o computador, reclamaram. Afinal, são cerca de 900 dólares para desembolsar. E ao contrário do que muita gente pensa, muitas famílias não possuem condições para isso.

Nesse caso, a escola afirmou que alunos carentes poderão usar computadores emprestados. E haverá também um plano para adquirir o Macbook com prestações bem acessíveis.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: Terra





CONTINUE NAVEGANDO: