O preço dos produtos  Apple nunca foi um atrativo, sobretudo no Brasil. Anunciados recentemente os novos MacBook Pro podem chegar até R$ 12.999, isso mesmo quase 13 mil reais. E o que ele oferece para justificar esse valor?

O preço da versão mais simples, ainda é salgado, mais não assuta tanto. O modelo de 13 polegadas com as configurações mais básicas da linha custa R$ 5.999. O modelo vem equipado com a última geração do processador Intel Core i5, 4GB de memória para processamento e 128 GB de armazenamento.

O grande diferencial é a tela Retina, conhecida nos iPad e iPhones com uma resolução que é realmente incrível e enche os olhos do usuário. O Design também deve agradar, a fabricante sempre teve um cuidado especial nesse quesito e com o MacBook air não deve ser diferente, seguindo a identidade visual já consolidada pelos produtos da linha.

Muitos usuário fiéis da Apple juram que o investimento vale a pena, ainda assim as vendas por aqui devem ser pouco expressivas pois a maior parte dos usuários com o poder aquisitivo para tal aquisição  costumam viajar com frequência para o exterior e costumam trazer os seus de lá. 

Foto: Divulgação

O modelo mais caro, aquele de quase 13 mil, é de 15 polegadas, e vêm equipado com processador Intel Core i7, 16 GB de RAM e 512 GB e é equipado com uma placa de vídeio NVIDIA GeForce que promete uma impecável performance.

Achou caro? No fim do ano começa a ser comercializados no Brasil os Mac Pro e o modelo top desta nova linha vai custar quase 18 mil Reais. E você achando o novo PlayStation caro!

Longe dos holofotes há um modelo de MacBook sem tela retina, que também é muito bom e custa R$ 4.799 sendo vendido no meio destes monstros da nova geração. Vai encarar algum deles?

Por Bruno Hardt


O ano passado foi sem dúvidas um ótimo ano para a Apple, que veio mostrando muita disposição em seus lançamentos.

A última notícia é que, de acordo com algumas fontes ligadas às fabricantes taiwanesas contratadas pela Maçã, os Macbooks poderão receber versões novas este ano. Tudo leva a crer que em junho o mercado receberá as novas versões dos Macbooks Air e Pro.

Os novos notebooks terão mudanças bem importantes na parte estrutural, mas talvez não ganhem uma reformulação em seus designs.

As informações que foram reveladas são que os Macbooks Air ganharão um processador novo, o que significa que teremos um aproveitamento energético e gráfico dos aparelhos muito maior ao apresentado atualmente. Já os Macbooks Pro não possuem grandes informações sobre as novidades que trarão, mas é bem provável que apresentem mudanças no hardware, possivelmente uma substituição da GPU. Mas a maior novidade, e sem dúvida a mais polêmica, está relacionada ao valor que será cobrado pelas versões atuais. De acordo com o site DigiTimes, alguns meses antes de apresentar oficialmente a nova versão dos notebooks, a Apple poderá baixar os preços da versão atual do Macbook Air. 

Por Felipe Santos Bonfim


Pouco tempo após o lançamento da primeira geração do ModBook Pro (que é um tablet baseado no MacBook Pro), a sua fabricante já divulgou que será lançado um novo modelo do aparelho, que terá até duas vezes mais memória RAM e capacidade de armazenamento interno.

Conforme a divulgação da ModBook Inc, o novo aparelho possui até 480 GB de capacidade para armazenamento de dados (o valor primário é 120 GB) e até 16 GB de memória RAM (neste caso, o valor inicial é 8 GB). O resultado desse upgrade do tablet é proveniente de negociações que a fabricante realizou com os fornecedores, permitindo que a atualização fosse lançada pelo mesmo preço que o modelo primário custava.

A principal novidade da nova versão do ModBook Pro é a caneta, chamada Wacom, que possui 1024 níveis de pressão, proporcionando alta precisão na utilização dos apps instalados. O processador é um Core i7 ou i5 da Intel, o chip gráfico é um Intel HD Graphics 4000 e o sistema operacional é o Mountain Lion OS X. Outras configurações incluem drive de DVD, conexão com Ethernet, portas USB 3.0 e Thunderbolt, slot para cartão SD e compatibilidade com Bluetooth 4.0 e Wi-Fi.

 O gadget custa US$ 3.500 e pode ser adquirido em lojas online. O valor é bem alto para um tablet, porém, é justificado por ser baseado em um MacBook Pro.

Por Guilherme Marcon


No dia 23 de outubro, a Apple anunciou o seu mais novo MacBook Pro com tela de 13 polegadas. O peso do aparelho é de aproximadamente 1.6 kg e sua arquitetura é 20% menor que a outra versão com o mesmo tamanho, mas sem Retina Display.

A tela da nova versão possui 227 pixels por polegada e 2560 x 1600 pixels de resolução, que é uma das principais características do aparelho. Em questão de configurações, algumas delas são semelhantes ao MacBook Pro com 15 polegadas e Retina Display, como por exemplo, o design fino (omitindo o driver óptico).

O painel é um modelo IPS com 178º de inclinação, 300 nits de brilho, 75% menos reflexos e taxa de contraste de 29% a mais do que seu irmão. Além disso, mesmo possuindo um tamanho reduzido se comparado ao seu irmão mais velho, o novo MacBook possui duas portas USB 3.0, entrada HDMI e entradas Thunderbolt, como o MacBook com 15 polegadas. Não bastasse isso, a câmera do novo aparelho é uma FaceTime HD, com resolução de 720p para gravações de vídeos, speakers estéreos e dual microfone.

Entretanto, não há uma placa gráfica potente por causa do tamanho menor, o que pode causar dificuldades ao usuário. Além disso, não há memória RAM de 16 GB com processador de quatro núcleos, sendo que a versão mais barata do MacBook Pro com 13 polegadas possui processador de dois núcleos com memória RAM de 8 GB.

Os preços do novo notebook da Apple iniciam em US$ 6.999, na versão com processador Intel Core i5 (com dois núcleos e 2.5 GHz) e 128 GB de capacidade de armazenamento. Já o modelo com 256 GB sai por US$ 8.299.

Por Guilherme Marcon


No início do mês de outubro, a Apple lançou uma nova versão do seu MacBook Pro, que veio em homenagem a Steve Jobs, pois seu falecimento ocorreu há um ano.

A versão limitada do MacBook Pro é toda feita na cor preta e foi colocada no símbolo da Apple a silhueta de Steve Jobs. Por ser uma versão limitadíssima, somente três unidades do ultrabook foram confeccionadas. As três foram desenvolvidas pelo designer Jonathan Mak, que assina cada unidade. Além da assinatura do designer, os três modelos limitados possuem certificados de autenticidade numerado, localizados na parte inferior do produto.

As características dessa versão em homenagem ao fundador da Apple são: memória RAM de 16 GB, capacidade de armazenamento interno de 750 GB, processador com 2.7 GHz e tela com tecnologia Retina Display. As três unidades produzidas dessa versão limitada nem serão enviadas às lojas e todo o valor da venda será doado para organizações do Terceiro Setor escolhidas pela Maçã.

A princípio os três MacBooks Pro serão vendidos na Europa, mas qualquer comprador de qualquer local do mundo pode adquiri-los. O valor é bastante alto, sendo de 9.500 euros, o equivalente a mais ou menos R$ 25.100.

Por Guilherme Marcon


Uma versão do Macbook Pro com tela de retina de 13,3 polegadas irá ser lançado em breve. Segundo o site CNET, a Apple tem planos de lançar, nos Estados Unidos, a nova edição de seu notebook e espera que isso aconteça até o final do ano, a tempo do natal e ano novo.

Rumores apontam que a versão do MacBook Pro com tela de 13,3 polegadas está sendo fabricada para o quarto trimestre.

Ainda de acordo com os boatos, alguns apontam para o anúncio do computador após a revelação do iPad Mini, a nova versão com tela menor do novo iPad. No que diz respeito as especificações técnicas a única informação é que o produto terá resolução de 2560×1600, muito mais pixels se comparado a versão atual.

Da mesma forma que aconteceu com o Macbook Pro de 15 polegadas, a Apple deverá vender o novo modelo com um preço bem diferente ao cobrado pela versão tradicional, que não conta com tela de Retina.

Alguns sites afirmam que a produção do Macbook Pro com tela de  13 polegadas está sendo feita a todo vapor, para conseguir garantir a entrega do aparelho no prazo estabelecido.

Até o momento, a Apple não se pronunciou sobre o assunto, por esse motivo nada a respeito do produto foi confirmado ainda.

Por Felipe Santos Bonfim


Com o lançamento do novo MacBook Pro dotado de tela de Retina, muitas pessoas foram rápidas ao adquirir um modelo do aparelho. Porém, o problema é que várias delas começaram a reclamar que o display apresenta uma “falha com sombras”. Isso, porque quando o usuário utiliza apps que precisam de alto contraste, após fechá-los, fica uma espécie de sombra na tela representando os contornos do aplicativo encerrado, que só desaparece após cinco minutos.

O novo dispositivo foi lançado há apenas duas semanas e já foram feitas várias reclamações sobre essa sombra que permanece.

O site Apple Insider fez um comentário sobre o problema afirmando que pode ser que ele esteja presente em muito mais máquinas, mas que nem todo mundo percebe, pois em vários casos a sombra é tão sutil que passa despercebida.

Um usuário postou um vídeo no YouTube mostrando o problema acontecendo no seu MacBook Pro. Os relatos de vários consumidores são de que, ao procurar a assistência técnica da Apple, eles receberam um aparelho novo em troca, o que mostra que a empresa está ciente do que vem acontecendo.

Por Guilherme Marcon


O novo MacBook Pro da Apple foi anunciado no dia 11 de junho, segunda-feira, durante a Worldwide Developers Conference 2012, em São Francisco, e já está disponível para compra na Apple Store brasileira. O problema disso é que o novo aparelho pode chegar a quase R$ 16 mil em suas configurações máximas, o que se torna algo extremamente caro para o mercado brasileiro.

O preço inicial do novo MacBook Pro com configurações mais básicas é US$ 2.199 (cerca de R$ 4.400) nos Estados Unidos, sendo que no Brasil o mesmo modelo sai por R$ 9.999.

Logicamente, por mais que seja extremamente caro, o modelo do novo notebook da Apple em suas configurações mais avançadas chama muita atenção, pois ele vem com tela com Retina Display de 15 polegadas, capacidade de armazenamento em SSD de 768 GB, processador Intel Ivy Bridge Core i7 com quatro núcleos e 2.3 GHz, processador gráfico NVIDIA GeForce GT 650M e Intel 4000 com 1 GB de memória GDDR5, e memória RAM de 8 GB. Além dessas configurações, o novo MacBook Pro ainda vem com bateria que dura até 7 horas, slot para cartão SD, conexões HDMI, Thunderbolt e USB 2.0 e 3.0, compatibilidade com Bluetooh 4.0 e Wi-Fi 802.11n.

Independente do modelo escolhido do novo notebook na Apple Store, o frete é grátis para os consumidores brasileiros.

Por Guilherme Marcon


Durante a WWDC (Worldwide Developers Conference) 2012, a Apple apresentou os novos Macbooks Air que continuam ultraleves, mas agora capazes de competir frente a frente com os ultrabooks que estão surgindo no mercado.

Além deles, também foram anunciados os novos Macbooks Pro, que chamaram muita atenção por agora possuírem a famosa tela Retina Display.

Detendo essa tecnologia, a super-resolução do novo iPad passará para o notebook da Apple, chegando a 2880 x 1800 pixels. O aparelho também apresenta a exuberante densidade de 220,5 pixels por polegada, o que representa 5,1 milhões de pixels. E, para dar conta de tal resolução, a Apple também anunciou novas versões para alguns de seus aplicativos, como o Final Cut, o iPhoto, o navegador Safari e o Mail.

Tanto a resolução como a densidade de pixels do novo Macbook Pro ultrapassam os valores encontrados nos melhores aparelhos do mercado, como o Asus Zenbook Prime e o Sony Vaio Z 13.1.

O novo Macbook Pro já está sendo vendido nas lojas dos Estados Unidos pelo valor de US$ 2.199, mais ou menos R$ 4.400 sem impostos. Ainda não há informações sobre o seu lançamento no Brasil.

Por Guilherme Marcon


Qualquer criança sabe: a 100 graus Celsius a água ferve. Mas desta vez o que ferveu foi algo muito mais sofisticado: um processador Intel Core i7. O problema teria ocorrido depois que um dos novíssimos notebooks MacBook Pro da Apple foram submetidos a duros testes de desempenho executados por um software de desempenho.

Os testes foram feitos por um site australiano. O estranho é que o notebook de outra marca, a Fujitsu foi submetido à mesma avaliação e a temperatura em seu interior chegou a apenas oitenta graus. O problema com o modelo da Apple pode estar ligado à sua construção toda em alumínio, que pode não estar fazendo a dissipação do calor de forma adequada.

A verdade é que há várias notícias envolvendo problemas com os Macbook Pro. Uma delas diz respeito a oscilações na tela quando o sistema operacional alterna entre as duas placas de vídeo utilizadas pelo notebook.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: MacMagazine





CONTINUE NAVEGANDO: