O Facebook decidiu dar fim às incômodas solicitações de jogos que os usuários recebem.

Sabe aquelas solicitações de jogos extremamente irritantes do Facebook? Se você é um daqueles que odeia receber esse tipo de solicitação dos seus amigos,  pode comemorar, pois o Facebook decidiu dar fim às solicitações.

Ainda não existe uma data para o fim definitivo das solicitações, e segundo o próprio Mark Zuckerberg, em um programa de perguntas e respostas do Instituto Indiano de Tecnologia em Delhi, essa era uma das mudanças mais solicitadas pelos usuários.

“Ainda não tínhamos trabalhado para acabar com os convites porque tínhamos outras prioridades. Mas se é algo que incomoda as pessoas, vamos priorizá-lo. Então, é o que estamos fazendo”, explicou Mark, que disse em seguida: “Então, eu enviei uma mensagem à pessoa responsável pelo desenvolvimento de nossa plataforma e disse que é bom que esse problema seja solucionado logo”.

Embora exista a opção de desativar tais solicitações, mas o método é pouco utilizado pelos usuários da rede social. O fato é que as tradicionais reclamações por causa daquele seu amigo que vivia lhe enviando solicitações para jogar os jogos da rede social irão acabar e o Facebook poderá se focar em outras melhorias pedidas pelos usuários.

Tais solicitações eram utilizadas pelas empresas de jogos para atrair mais usuários para seus produtos através dos próprios usuários, oferecendo sempre brindes para quem conseguisse trazer mais amigos para o jogo em questão, o que fazia com que os jogadores acabassem enviando diversas solicitações seguidamente para seus amigos. Não é raro encontrar relatos na rede social, até mesmo de gente que, acabou discutindo com colegas graças ao envio seguido de solicitações.

Com a mudança, as empresas deverão encontrar outros meios para atrair usuários para seus jogos, resta saber se o Facebook vai dar uma ''ajudinha'', retirando as solicitações de jogos por outro meio de talvez, incomodar os usuários na tentativa de alavancar o número de adeptos de um aplicativo ou jogo, ou se a partir de agora as empresas terão de gastar um pouco mais com o trabalho publicitário.

Por Gabriel Mazzo Cândido

Solicitação de jogos no Facebook


Os chamados gifs poderão ser adicionados nas fotos de perfil do Facebook dos usuários.

Quando a foto adicionada pode ter movimento isso facilita ver os detalhes das mercadorias, ou seja, permitirá observar em diferentes ângulos as imagens de pessoas e produtos. Empresas e alguns indivíduos mostram no Facebook produtos interessantes que serão vendidos posteriormente. Uns vendem joias e outros mostram roupas das lojas, enquanto as grandes empresas deixam fotos que abrem o apetite dos consumidores.

O movimento nas fotos dinamiza o acesso nas páginas do Face. A criatividade de muitas pessoas estará presente nesses movimentos das fotos. Em cada estação do ano,é possível escolher uma foto em uma posição diferente que retrate a maravilhosa época do ano em que vivemos. Esse movimento dará vida para as fotos de perfil e certamente as páginas do Facebook serão ainda mais acessadas.

Segundo informações do site O Dia, inicialmente serão realizados movimentos em curtos períodos de tempo. Os chamados gifs são as imagens que se movem, por exemplo, nas fotos de perfil.

Os interessados em fazer parte do Facebook devem completar o cadastro com os dados pessoais contendo um nome e senha, dentre outros.

Uma opção para quem gostaria de colocar uma foto comum na página mas não possui máquina fotográfica é o site Pixect. Nele é possível tirar fotos utilizando apenas notebook, internet e câmera. Após tiradas as fotos, elas devem ser salvas no computador e colocadas no Facebook, clicando no ícone Foto/Vídeo.

As experiências vivenciadas em determinadas situações agora podem ser compartilhadas em movimento nas páginas individuais do Facebook. É importante notar que é fácil utilizar e acrescentar fotos, vídeos e status no Face e essa novidade será mais um motivo para que várias pessoas coloquem muitas novidades para o público.

Atualmente é possível ver e ouvir o som dos vídeos que são colocados e surgem muitos comentários, dependendo do conteúdo  e da pessoa que o fez. Algumas páginas são mais atraentes e mostram materiais mais apropriados. Tudo depende também da idade, pois cada pessoa possui interesse por determinados assuntos próprios do sexo e faixa etária delas.

O Facebook tem sido útil para pessoas de diferentes idades, pois revela o universo particular dos vizinhos, amigos e pessoas conhecidas. Podem ser acrescentadas várias fotos na linha do tempo e geralmente as imagens são bem nítidas. Desse modo, algumas pessoas realizam festas e viagens e colocam tudo isso nos vídeos para serem compartilhadas com os amigos e o público em geral.

As fotos em movimento representam uma novidade dentre muitas outras que poderão surgir. É momento de acompanhar esses incríveis lançamentos de ideias no Facebook. Nessa página temos os Favoritos com o feed de notícias e eventos, além disso, também encontramos os aplicativos com jogos, cutucadas, fotos, feed de jogos, sugestão de edições e outros. Esses e os demais ícones possibilitam mostrar um pouco do mundo de cada um, o que pode ser muito interessante.

É notável como os fundadores do Facebook têm se destacado pela qualidade e criatividade das páginas produzidas.

Por Mary Barbela

 

Facebook


Muitas pessoas ainda têm dúvidas se a nossa privacidade é mesmo mantida na internet e nas redes sociais. No caso do Facebook, por ser uma página visada e com exigências de cumprir acordos, ela é obrigada a manter a privacidade de seus usuários. Isso porque a Federal Trade Comission (FTC), agência do governo americano que fiscaliza a área do mercado, enunciou uma nota oficial à maior rede social do mundo dizendo que o Facebook tem o compromisso de usar os dados dos usuários de forma correta e dar privacidade a eles.

Como se sabe, o Facebook já prometeu guardar os dados de seus usuários e resguardar a segurança deles e, para reafirmar o compromisso a agência americana enviou o documento à rede social esta semana. O comunicado, que tem quatro páginas, está acessível na página online oficial da agência. A diretora da divisão de proteção ao consumidor da FTC, Jessica Rich, oficializa ao Facebook que as regras de proteção ao usuário devem ser cumpridas. Rich encaminha a carta diretamente à diretora de privacidade da rede, Erin Egan e, como não poderia ser diferente, envia à conselheira geral do WhatsApp, Anne Hoge, aplicativo de mensagens que foi incorporada ao grupo Facebook.

Em uma parte da nota oficial, a diretora da agência americana diz que “O WhatsApp fez várias promessas sobre a natureza de dados que coleta, guarda e compartilha. Todas elas são mais restritivas do que as usadas pelo Facebook. Queremos tornar claro que é importante que, independente da aquisição, o WhatsApp siga honrando suas promessas aos consumidores”.

O comunicado tem o objetivo de reiterar a promessa que as duas empresas fizeram de resguardar a privacidade de seus usuários. A carta inclui várias declarações feitas pelos representantes das companhias WhatsApp e Facebook sobre a questão da segurança e intimidade dos usuários. A FTC quer deixar claro que as empresas terão atenção da agência para que cumpram suas palavras, ainda mais depois do acordo bilionário feito entre as duas organizações.

A nota fecha dizendo: “Centenas de milhões de usuários confiaram informações pessoais ao WhatsApp. A equipe do FTC vai continuar a monitorar as práticas da companhia para garantir que Facebook e WhatsApp honrem as promessas que fizeram aos usuários”.

Por Carolina Miranda


O Facebook possui atualmente mais de um bilhão de usuários ativos e, mesmo sendo a maior rede social do planeta, ainda tem muitas baixas em alguns grupos em todo o mundo. Nos Estados Unidos, por exemplo, alguns jovens estão diminuindo o uso da rede ou estão excluindo o perfil para usar as redes móveis.

A verdade, não são apenas os jovens que estão deixando a página social, mas pessoas de várias idades. O primeiro motivo, e talvez o principal, é por conta da privacidade. As críticas de que há uma grande complexidade para privar alguns espaços nas configurações nos dados pessoais ainda são frequentes. A única forma evidente de ficar com o perfil fechado a certas pessoas é por meio do bloqueio.

Outra situação que acaba fazendo com que as pessoas abandonem o Facebook é a dependência que ele pode causar. Um estudo da Universidade de Gotemburgo concluiu que o uso frequente da rede pode ocasionar um vício. Segundo a Escola, as mulheres passam em média 81 minutos diários online na Página, já os homens ficam 64 minutos.

Na hora de procurar um emprego, é possível que o selecionador vá buscar o seu perfil no Facebook para te conhecer melhor. O monitoramento já se transformou em uma rotina para os recrutadores em todo o mundo. Um levantamento feito por uma empresa constatou que 69% das empresas já descartaram candidatos por causa do conteúdo visto nos perfis.

Muitas pessoas se apegam às postagens dos amigos virtuais. Os contatos que publicam fotos na praia ou em qualquer outra diversão causam um grande desconforto para quem ficou em casa. E para quem quer postar tudo o que faz na vida, a tarefa ficou mais complicada ultimamente. Isso porque todos os parentes próximos já fazem parte da rede. Eles estão acompanhando tudo o que cada um faz, além de comentar todos os posts que um publica no Facebook.

As Universidades alemãs Humboldt e Darmstadt concluíram em uma pesquisa que há uma grande inveja na rede social. Os amigos que publicam corpos belos, em praias paradisíacas, com bons empregos e em férias causam um grande ressentimento para quem não tem alguma ou nenhuma dessas opções na vida. 600 pessoas foram entrevistadas e, pelas respostas, quem está na faixa dos 30 anos tem maior propensão a invejar a felicidade da família.

Outra coisa que incomoda muitos usuários é o excesso de propaganda. Se um usuário curte uma página, o Facebook fica mostrando insistentemente anúncios patrocinados de produtos parecidos. Agora, um lançamento feito em dezembro pela rede social mostra anúncios em vídeo que começam automaticamente com o play ativado.

O Facebook reúne muitos contatos interligados, mas poucos são amigos de verdade. Com o tempo, as pessoas acabam cansando de se manter informados sobre a vida de pessoas que pouco conhecem e que não possuem quase nenhuma relação.

Por fim, com assuntos que estão atuais na mídia, como pena de morte, reforma política e redução da maioridade penal, o desanimo é grande: são muitas pessoas radicais com posts agressivos sobre esses e outros assuntos com textos intolerantes. 

Por Carolina Miranda

Deletar Facebook

Foto: Divulgação


Ao digitar nos buscadores de pesquisa a expressão “bullying Facebook” é possível deparar-se com inúmeros casos que já se tornaram públicos. As reclamações têm aumentado num ritmo constante e, dessa forma, a rede social criada por Mark Zuckerberg investiu em uma nova estratégia de suporte para facilitar as denúncias dos usuários contra os vários tipos de bullying detectados no Facebook.

Trata-se de uma área localizada na sessão “Configurações da Conta”, intitulada "Support Dashboard", a qual permite que os internautas acompanhem se a reclamação já foi lida pelos responsáveis do Facebook e quais são as respostas para a mesma.

Conforme o site TechTudo, o Cyberbullying é uma das principais preocupações de Mark Zuckerberg e sua empresa. De acordo com um estudo realizado pelo Consumer Reports, mais de um milhão de crianças passaram por isso entre os meses de junho de 2010 e junho 2011, especialmente no Facebook.

A iniciativa, materializada no "Support Dashboard", pode ser vista como um importante passo para incentivar que as pessoas denunciem quando sentirem-se ofendidas, além de servir de alerta aos internautas que estejam pensando em praticar esse tipo de agressão.

Por Rafaela Fusieger





CONTINUE NAVEGANDO: