Nova linha começou a ser comercializada no Brasil e preços podem chegar a R$ 17.199.

Na última quarta-feira, dia 28, a Apple começou a comercializar no Brasil a última linha de iMacs. Os valores variam entre R$ 8.199 e R$ 17.199. A nova linha chama atenção pelo brilho de sua tela com 500 nits, um aumento de 43% em relação a geração anterior, conseguindo reproduzir 1 bilhão de cores.

São dois modelos diferentes. Sendo o iMac básico com 21,5” chip gráfico do modelos Intel Iris Plus 640. Possui tela 4K com placa de vídeo modelo AMD Radeon Pro 555, memória RAM de 8 GB, disco rígido de 1 TB e processador Intel Core i5. A tela tem resolução Full HD com 1920 por 1080 pixels. O iMac agora suporta até 32 GB de memória RAM.

A versão que possui tela com 27″ e resolução 5K custa R$ 17.199, com placa de vídeo modelo Radeon 570-575-580, 8 GB de memória, processador com frequência de 4,2 GHz, placa de vídeo com 8GB, modelo Radeon Pro 580 e drive que suporta 2 TV. O display é enorme com resolução 5K de resolução 5120 por 2880 pixels e 27 polegadas. O iMac de 27” é ainda mais robusto e suporta 64 GB de RAM.

Além dos recursos que estão disponíveis nos modelos de fábrica, ainda foi destacado pelos representantes da marca durante a WWDC17, que os computadores são personalizáveis.

Esta geração 2017 dos aparelhos da Apple contam com duas portas USB-C, a qual aos poucos vem se popularizando. Estas portas também são compatíveis com Thunderbolt, tecnologia desenvolvida pela Intel, que permite transmitir dados em uma maior velocidade, atingindo 40 Gb/s, representando quatro vezes mais do que o visto na versão USB 3.1.

Um modelo novo de teclado começou também a ser comercializado pela marca e possui botões numéricos, além de teclas de função e de letras. O aparelho é indicado para os indivíduos que trabalham com números frequentemente, como profissionais de finanças, designers, arquitetos e contadores.

O dispositivo é comercializado por R$ 899 e a fabricante ainda continua utilizando o layout dos EUA, isto é, o teclado não tem o padrão ABNT brasileiro, não possuindo a tecla “ç”.

Por Filipe Silva

iMac 2017


Relatório State of the Internet mostrou que a media global de velocidade da internet é de 5Mbps, porém a média do Brasil ficou em 3,6Mbps.

O site Exame.com teve acesso a um relatório trimestral da Akamai, que mostra dados das velocidades médias da internet em diversos países. O relatório é chamado de State of the Internet e mostra que a média global de velocidade da internet é de 5Mbps.

A notícia ruim é que a média do Brasil é de 3,6Mbps, o que lhe dá a 90º posição no ranking mundial e representa um índice de 28% abaixo da média mundial – houve uma melhora na nossa média global – ano passado foi de 2,9Mbps. Nossos vizinhos Argentina e Uruguai têm surpreendentes 4,7Mbps e 5,9Mbps, respectivamente.

A Akamai considera internet “banda larga” 25 Mbps, isso significa que, em um primeiro momento, nenhum país oferece banda larga até o momento, quem chega bem perto é a Coreia do Sul, com 23,1 Mbps.

Mas, considerando os picos de velocidade, o Brasil subiu no ranking, de 82º para 80º lugar. No ano passado eram registrados 20Mbps e neste ano, no mesmo período, registrou-se 27Mbps. O maior pico ficou com o Uruguai, com 47,7Mbps e a 33ª colocação. Em picos de velocidade a média mundial é de 32,5 Mbps.

Como se chegou a esses dados:

O estudo tomou como base os dispositivos que são responsáveis por 30% do fluxo mundial e que se conectaram a 140 mil servidores da Akamai, em 242 países. É importante observar que não foram consideradas as conexões móveis.

Quais são os países com as melhores médias?

Os três primeiros lugares ficam cm Coreia do Sul, Hong Kong e Japão, com  23,1 Mbps, 17 Mbps e 16,4 Mbps,  respectivamente.

Os três países vêm seguidos por  Suécia  com 16,1 Mbps, Suíça com 15,6 Mbps,  Países Baixos  com 15,6 Mbps, Noruega com 14,3 Mbps, Letônia com  14,2 Mbps, Finlândia com 14  e República Tcheca com  13,9 Mbps.

Sobre a Akamai:

A Akamai é uma empresa de internet americana, com sede em Cambridge. Tem entre seus serviços o armazenamento de imagens e vídeos e atende sites de grande porte como Facebook, Netflix e outros. É também monitora global de tráfego de dados e distribui tecnologias para videos em streaming.

Por Elia Macedo

Internet


Na manhã do dia 11 de março a Amazon divulgou o seu serviço de nuvem para os usuários brasileiros, o chamado Amazon Cloud Drive. O aplicativo disponibiliza armazenamento e visualização de vídeos, imagens e documentos pelo desktop e de aparelhos móveis, de acordo com a preferência do cliente. O destaque é que a possibilidade do sistema é gratuita, além de que a nuvem é compatível com todos os navegadores quem rodam em PCs e Macs e está disponível em aplicativos para iOS, Android e Kindle. A primeira vez em que o usuário acessa o aplicativo, já é concedido a ele 5 GB gratuitos de arquivamento para documentos, fotos e vídeos.

O sistema, que roda tanto em Android quanto em iOS, permite o armazenamento e visualização de imagens e vídeos em alta resolução e de qualquer lugar que o usuário acessar. Além dessas prioridades relevantes, o serviço ainda tem um diferencial em celulares e tablets, o Amazon Cloud Drive Photos, que oferece o upload automático dos arquivos de fotos, como backup.

Segundo o vice-presidente da Amazon AppStore, Jogos e Cloud Drive, Mike George, os usuários não precisam mais se ​​atentar em situações em que há perdas de arquivos importantes quando o funcionamento do HD falhar. "O Cloud Drive armazena arquivos digitais, como fotos, vídeos e documentos em um só lugar que é facilmente acessível a partir dos dispositivos preferidos pelos clientes, assim, o usuário não precisa se preocupar em momentos em que o HD der algum tipo de problema", afirma.

Desde às 9h desta terça-feira, no Brasil, os usuários já podiam usufruir do serviço do Amazon. As pessoas que também usam outros serviços da empresa também conseguem entrar com o mesmo login e senha usados no cadastro de cliente varejista, por exemplo.

No dia 10/03 o serviço estava disponível apenas nos Estados Unidos e em alguns outros países. Os brasileiros que queriam acessar o sistema usavam uma conta da Amazon.com internacional. Agora, é possível criar uma conta local. Contudo, é ainda possível que um brasileiro queira usar sua conta internacional.

Por Carolina Miranda

Amazon Cloud Drive

Foto: Divulgação


A Asus lança dois modelos de ultrabooks para o mercado brasileiro, o UX301 e o UX302.

Os ultrabooks destacam-se pelo design e o acabamento em vidro presentes na tampa e ao redor. A tecnologia é a Native Damage Resistance com material é semelhante ao Gorila Glass 3, desenvolvido pela Samsung e que apresenta grande resistência, sobretudo a arranhões.

Há também uma moldura metálica lateral. O aparelho apresenta duas opções de cor, uma azul com acabamento fosco no vidro e ao redor do teclado e outra branca brilhante. Apesar de ser de vidro, os ultrabooks dão uma aparência sólida, contudo fina e leve. Cada um possui 1,55 cm de altura e peso de apenas 1,2 quilos.

As configurações também são surpreendentes, o UX301 vem equipado com processador Intel Core i7 Haswell, além de tela LCD IPS de 13 polegadas com resolução WQHD (2560×1440) e touch. O modelo possui 8 GB de RAM, duas unidades SSD de 256 GB e gráficos integrados Intel Iris Graphics 5100. O UX301ainda possui conexões Wi-Fi e Bluetooth, portas USB 3.0 e saídas HDMI.

O modelo UX302 possui um processador Intel Core i5, 4 GB de RAM mais HD de 512 GB, Cache SSD de 16 GB. A tela é de 13 polegadas, com resolução de 1920 x 1080 e uma GPU Nvidia GeForce GT730M que proporciona 2 GB de memória de vídeo. Os valores dos modelos variam entre R$ 6.999 a R$ 9.999, na configuração mais elevada. 

Asus UX301

Por Robson Quirino de Moraes


 “O Brasil ainda é um mercado em ascensão para os tablets”, é o que afirma Pedro Hagge, analista do IDC, responsável pela pesquisa que listou os computadores pessoais mais vendidos no país. Para comprovar, o estudo do instituto revelou que a venda desses dispositivos ultrapassaram as de desktops e ocuparam o segundo lugar na lista. São 35% de participação no mercado, perdendo apenas para os notebooks. De todos os pesquisados, 95% possuem Android, e os mais vendidos foram os mais baratos, de valor até R$ 500.

Acredita-se que o Brasil ainda está sensível ao preço. Mas isso não é motivo para não ter expectativas, muito pelo contrário, para o ano de 2013 espera-se que o aumento seja de 120% do que o registrado em 2012. Só no primeiro trimestre deste ano, a projeção era de 5,9 milhões de unidades para os 12 meses.

O analista do IDC também revela que esse é um bom momento para a Microsoft entrar no mercado com o Windows para acelerar a adoção desses dispositivos pelas empresas. A ideia seria que o tablet torna-se um item de trabalho tanto remoto quanto no próprio escritório.

Por Jaime Pargan


PS4Preços de consoles lançados tendem a sofrer um relativo aumento com a carga de impostos cobrada no Brasil. O resultado são vendas abaixo do esperado e migração, dos compradores em potencial, para outros tipos de mercados, como a venda em camelôs, onde os consoles não têm a mesma garantia comercial e podem se transformar em verdadeiros problemas ao comprador.

Por causa da carga tributária nacional, executivos da Sony estudam meios de lançar o PS4 pelo mesmo valor que nos EUA (cerca de US$ 399,00), o que seria uma catapulta de vendas do console em lojas, aumentando o faturamento e em alguns casos, até na demanda de geração de emprego e renda.

Segundo Jack Tretton, CEO da Sony Computer Entertainment of America, a Sony estuda formas de sugerir preços abaixo de R$ 1.000,00 para que o console tenha o número de vendas esperado.

Com a pré-venda, o preço chegou a R$ 1.600,00 em alguns sites, sem contar o preço do frete.

Espera-se que em outubro, durante a Brasil Game Show, seja anunciado o início das vendas do console no mercado nacional, assim como os títulos mais aguardados do ano.

Por Junior Almeida


Vendas do iPad Mini no BrasilFinalmente o iPad Mini será lançado no Brasil. No próximo dia 25 o tablet da Apple estará à venda nos sites da Saraiva e Fnac, segundo os anúncios feitos pelas duas empresas. Porém, os brasileiros terão que ter um pouco de paciência para saber o preço pelo qual o aparelho será vendido no país, uma vez que ainda não há nenhuma informação a respeito deste assunto.

O tablet foi homologado em novembro do ano passado e foi autorizado pela Anatel para ser produzido pela Foxconn em Jundiaí, no interior de São Paulo. Ainda não se sabe quais edições do aparelho estarão disponíveis para venda.

Os Estados Unidos recebeu o iPad Mini em outubro do ano passado, por US$ 329, aproximadamente R$ 660, mas no mercado nacional o modelo não deverá ser vendido por menos de R$ 1 mil.

Os grandes atrativos desta versão são suas dimensões, com tela de 7,9 polegadas, seu design 23% mais fino e também seu peso 53% mais leve que o modelo tradicional. Sua câmera faz vídeos em alta definição e videochamadas em HD. O aparelho não conta com tela de Retina como o iPad 4, o que deixou os consumidores um pouco desapontados. 

Por Felipe Santos Bonfim


Nexus 10 no BrasilCom o nome de GT-P8110, o Nexus 10 foi homologado pela Anatel cerca de 6 meses após seu lançamento. A homologação permite que o modelo possa ser comercializado no Brasil sem problemas junto à agência reguladora.

O Nexus 10 foi produzido em parceria com a Samsung e apresenta 2 GB de memória RAM, além do processador Cortex A-15 Dual-Core de 1.7 GHz. A tela de alta resolução (2560 x 1600 pixels) permite uma densidade de pixels de 264 ppp. Com 10 polegadas, a tela apresenta uma sensibilidade incrível, proporcionando uma ótima experiência ao usuário.

O ponto negativo do modelo homologado pela Anatel é a conectividade, já que ele não apresenta suporte para conexão 3G. Somente é possível se conectar utilizando Wi-Fi.

Ainda não há informações se o modelo será apresentado aqui como Nexus 10, nem seu valor ou mesmo quando será lançado.

Resta aos brasileiros esperar pelo Google e se ele irá dar seu nome ao produto.

Vale lembrar que há pouco tempo foi lançado o Nexus 7 e houve problemas entre a fabricante e a varejista que comercializou o aparelho no Brasil.

É necessário aguardar o posicionamento da empresa para avaliar qual será a estratégia adotada aqui.

Por Robson Quirino de Moraes


O Série 5 Ultra Touch é o primeiro ultrabook com tela touchscreen lançado no país. Contendo o Windows 8 como sistema operacional, o modelo é o mais fino entre os modelos lançados pela Samsung.

Dentre as principais características do modelo estão o processador Intel Core 5, o espaço de 500 GB de armazenamento e 4 GB de memória RAM. Outro diferencial do produto é a autonomia da bateria, quando está carregada pode durar ate 7 horas, tornando o produto um dos modelos com maior autonomia.

O Série 5 Ultra Touch tem a menor espessura e peso da categoria. Ele apresenta 1,9 cm e pouco mais de 1,6 kg. A parte externa é feita com alumínio metálico escovado e fibra de vidro, o que garante maior segurança a impactos que o ultrabook venha a sofrer. A tela do ultrabook apresenta 13,3 polegadas. A tecnologia usada é a SuperBrigth e Image Enhacer, o que permite 40% de ganho em brilho.

O ultrabook ainda apresenta conexão Wi-Fi e teclado iluminado, que identifica quando o ambiente não tem iluminação suficiente. O modelo estará nas lojas a partir da segunda metade de abril e o valor irá girar em torno de R$ 2.999,00.

Por Robson Quirino de Moraes


A Dell lança o primeiro tablet que utiliza o sistema operacional Windows 8 no Brasil, o tablet recebeu o nome de Latitude 10. É um aparelho capaz de rodar os aplicativos do mais novo sistema operacional da Microsoft de forma eficiente.

O Latitude 10 vem em três versões: Standard, Essentials e Enhanced Security.

O Latitude Standard tem processador dual-core Atom Z27760, 2 GB de memória RAM, 128 GB de armazenamento SSD, tela MultiTouch 10,1 com resolução de 1366×768 com revestimento Gorilla Glass e ainda duas câmeras, uma na parte da frente e outra na parte de trás. Também possui slot para o cartão SD e pesa 658g.

A versão Essentials vem com conexão 3G e o Enhanced Security vem com leitor biométrico. Uma das versões deste aparelho promete uma bateria capaz de aguentar 20 horas de uso, uma versão com saída HDMI, conectividade 3G e caneta Wacom.

Já chegaram ao Brasil as três versões do tablet. O Latitude 10 Standard custa na faixa de R$ 2.598 e as outras versões os preços são mais elevados. 

Por Mariana Rodrigues


Recentemente, a Tecnomania, famosa pelas câmeras Tekpix, lançou seu primeiro tablet no mercado nacional.

O aparelho, batizado de Tekpix i-WF7A-4.0, possui plataforma Android da Google e configurações bem simples, mas com preço bem alto, R$ 2.999 para a versão mais modesta e R$ 3.499 para a versão com TV digital. O valor é quase o dobro do valor do iPad 4, que comprado na loja oficial sai por R$ 1.749, a versão mais simples.

O tablet possui tela de 7 polegadas, Android 4.0 e câmera 0,3 megapixel. Não há como justificar o valor cobrado pela fabricante, tendo em vista que o único diferencial que o produto apresenta é o acesso à TV digital.

Segundo a companhia, os destaques do aparelho são o sensor de gravidade, que é apenas uma forma diferente de chamar o acelerômetro, encontrado em grande partes dos tablets vendidos no mercado, e a entrada para cartão microSD, recurso que também está presente em vários modelos. Outro ponto que assusta, é o cartão de memória de 2 GB para o dispositivo que é vendido por R$ 300.

No site da Tecnomania, o aparelho que é apresentado como o lançamento mais aguardado do ano e como o tablet que tem tudo o que os usuários necessitam, com certeza deixa a desejar no quesito inovação.

Por Felipe Santos Bonfim


No final do mês de janeiro, a Dell anunciou que entrará no mercado de tablets com Windows 8 no mercado brasileiro. O primeiro gadget que chegou ao nosso território é o Latitude 10, que roda o Windows 8 Pro.

O novo dispositivo possui display com 10.1 polegadas e resolução de 1366 x 758 pixels, processador da Intel com dois núcleos no modelo Atom Z2760, capacidade de armazenamento interno de até 128 GB e memória RAM de 2 GB. Além disso, ele conta com uma câmera na parte da frente e outra na parte traseira, saída micro HDMI, conectividade 3G e entrada para SD card, pesando somente 658 gramas.

Para incrementar sua entrada no mercado de tablets com a plataforma da Microsoft, a Dell vai lançar o Latitude 10 em três modelos, sendo eles: Enhanced Security, Essentials e Standard – que é a versão mais básica. Este modelo básico já pode ser comprado pelo valor de R$ 2.598, porém os demais ainda não tiveram seus preços revelados.

No mercado norte-americano, o Latitude 10 é vendido e seus modelos custam entre US$ 579 e US$ 775, o que equivale a R$ 1.180 e R$ 1.600. O preço alto é justificado pelo foco do aparelho ser executivos de empresas.

Por Guilherme Marcon


Finalmente o Google Nexus 7 pode chegar ao Brasil. Em entrevista ao site Ztop, Hugo  Barra, diretor de produtos móveis da Google, disse que o tablet desenvolvido em parceria com a Asus chegará ao mercado nacional ainda este mês. 

No exterior o Nexus 7 é vendido por US$ 199 e virá ao Brasil importado pela Asus sem nenhum subsídio da Google. Por essa razão, o tablet chega ao país custando R$ 1.299 na versão com Wi-Fi e 16 GB de armazenamento interno.

Apesar do preço do tablet ser um tanto “salgado”, nem tudo promete ser decepção na chegada dos aparelhos da linha Nexus ao território nacional.

De acordo com Hugo Barra, ainda no primeiro semestre de 2013 será lançado o LG Nexus 4 no Brasil, mas desta vez com subsídios da Google. Podendo ser vendido pelo preço original de US$ 299, aproximadamente R$ 605.

O Nexus 7 conta com tela de 7 polegadas, sistema operacional Android na versão 4.2, 16 GB de armazenamento interno e processador quad-core Tegra 3.

A linha Nexus está conquistando o público ao redor do mundo por contar com especificações técnicas atraentes e potentes com bons preços. 

Por Felipe Santos Bonfim


As vendas de tablets continuam subindo no Brasil, mas muitos clientes se atentam apenas ao valor do produto sem se preocupar com as diferenças sobre as configurações.

Não é só a memória do aparelho que conta. Quem pretende usar a internet também precisa se atentar aos tipos de conexão.

Os tablets mais baratos se conectam à internet apenas via Wi-Fi, para poder conectar será necessário estar em ambiente com rede.

Quem é cliente de operadoras de telefonia móvel e quer usar o pacote de dados no tablet precisa comprar aparelhos com conexão 3G, porém, não são todos os modelos que vêm com este tipo de acesso.

Uma recente pesquisa da GFK Consultoria comenta que aparelhos com conexão 3G custam em média R$ 350 a mais que os modelos que só conectam via Wi-Fi.

Para se ter uma ideia, o iPad 4 com acesso 3G e Wi-Fi custa R$ 2.100,00, o modelo com apenas Wi-Fi custa R$ 1.750,00.

A diferença de preço na produção do aparelho é o que faz com que os modelos mais vendidos no Brasil sejam os com conexão Wi-Fi. Os modelos brasileiros que possuem as duas alternativas de conexão com a internet custam em média R$ 1.400,00, com apenas Wi-Fi o aparelho sai por R$ 620.

Por Leiliane Lopes


A Amazon chegou ao Brasil e vai investir com força total, isso ninguém duvida. E para alimentar ainda mais esse fato, vazaram imagens que exibem o Kindle com textos em português.

No site oficial da Amazon no Brasil (amazon.com.br) já constam informações sobre o e-reader Kindle, porém nada é dito a respeito de quando será lançado, apenas consta uma mensagem para as pessoas deixarem o nome na lista de espera que ele “logo” chegará.

As imagens que vazaram foram encontradas nos servidores da Amazon pelos sites Blog do JC e Gizmodo. No total, são quatro fotografias que ilustram a versão brasileira do e-reader, além de exibir o logotipo brasileiro da empresa. Nas imagens, podemos ver menus traduzidos para o português, além das abas de promoções, que contêm e-Books por menos de R$ 5.

Tudo indica, conforme o site Gizmodo, que as negociações com as empresas e os fornecedores já foram finalizadas e que o lançamento de um dos e-readers mais famoso do mundo não passará de dezembro. O aparelho já tem o seu preço divulgado pela Amazon: R$ 299.

Por Guilherme Marcon


Chegou ao Brasil a primeira linha de ultrabooks da Qbex com dois modelos, o Qbex UX640 e o Qbex UX620.

Os dois aparelhos possuem processadores Intel, 4 GB de memória RAM, armazenamento de arquivos em disco rígido e em SSD e bateria com autonomia de até 6 horas.

Além da parte técnica, as medidas de ambos os modelos são iguais, 19 mm de espessura e 1,8 KG de peso. A diferença entre os dois ultrabooks é que o UX640 possui tela touchscreen, uma característica bem comum entre os aparelhos da nova geração graças ao Windows 8.

O ultrabook UX640 é  muito mais fino, leve, prático e inovador e a fabricante afirma que essas são apenas algumas das características do novo modelo. O aparelho conta com monobloco feito em alumínio, bateria de alta autonomia, teclado chocolate e velocidade impressionante, capaz de iniciar o sistema em apenas sete segundos.

É importante lembrar que a Qbex é uma companhia nacional criada em 2000 e que se firmou no mercado brasileiro por produzir dispositivos de baixo custo com boa qualidade. Além disso, a fabricante é conhecida por apoiar projetos de inclusão social usando a informática. Além dos novos ultrabooks, a empresa vende notebooks, netbooks, tablets, all-in-one e desktops.

Por Felipe Santos Bonfim


Finalmente o iPad 4 e o iPad Mini receberam a autorização para serem comercializados no mercado brasileiro.

A liberação da Anatel para os tablets da Maçã saiu esta semana, mesmo com o modelo de 7,9 polegadas já sendo comercializado em diversas lojas do país, claro que de forma não oficial.

As versões que foram homologadas pela Anatel são para os modelos sem 3G do iPad Mini e do iPad 4.

Ainda não há informações se os aparelhos que possuem conexão 4G conseguirão se conectar a esta rede no país.

O iPad Mini já está sendo vendido em algumas lojas de tecnologia e em leilões no Brasil com valores que variam de R$ 1.300 a R$ 1.700, dependendo da forma de pagamento que o consumidor escolher, lembrando que a opção de parcelamento faz com que o tablet fique mais caro.

Por se tratar de aparelhos importados, a expectativa é que a Apple apresente preços mais atraentes para o público.

Vale lembra que assim como os tablets, a Anatel também homologou o iPhone 5. O processo de homologação foi encerrado em outubro, porém o smartphone ainda não está sendo vendido oficialmente nas lojas do país. 

Por Felipe Santos Bonfim


A Microsoft deverá investir cerca de R$ 200 milhões em pesquisa e desenvolvimento no Brasil.

O anúncio, que foi realizado no início de novembro deste ano, visa o investimento em uma série de iniciativas para promoção da pesquisa no país. A maior parte dos investimentos será destinada ao estabelecimento de um Laboratório de Tecnologia Avançada da Microsoft Research.

O laboratório será a quarta unidade mundial com o objetivo de aumentar a produção nacional de conhecimento, através da combinação da capacidade local de inovação tecnológica e engenharia avançada com o conhecimento em pesquisa aplicada.

Nesse mar de novidades também está a criação de uma empresa de investimentos no Brasil, além da fundação de uma aceleradora de negócios focada em startups de tecnologia e a abertura de um centro de desenvolvimento da Bing, a plataforma de busca da grande Microsoft.

O presidente da Microsoft, Michel Levy, acredita que as ações da empresa dialogam com a intenção do governo brasileiro de estimular a geração de oportunidades na área de Tecnologia da Informação.

Não podemos negar que essa “parceria” irá contribuir muito para tornar o nosso Brasil uma referência em tecnologia e inovação

Por Dayane Garcia


O novo MacBook Pro da Apple foi anunciado no dia 11 de junho, segunda-feira, durante a Worldwide Developers Conference 2012, em São Francisco, e já está disponível para compra na Apple Store brasileira. O problema disso é que o novo aparelho pode chegar a quase R$ 16 mil em suas configurações máximas, o que se torna algo extremamente caro para o mercado brasileiro.

O preço inicial do novo MacBook Pro com configurações mais básicas é US$ 2.199 (cerca de R$ 4.400) nos Estados Unidos, sendo que no Brasil o mesmo modelo sai por R$ 9.999.

Logicamente, por mais que seja extremamente caro, o modelo do novo notebook da Apple em suas configurações mais avançadas chama muita atenção, pois ele vem com tela com Retina Display de 15 polegadas, capacidade de armazenamento em SSD de 768 GB, processador Intel Ivy Bridge Core i7 com quatro núcleos e 2.3 GHz, processador gráfico NVIDIA GeForce GT 650M e Intel 4000 com 1 GB de memória GDDR5, e memória RAM de 8 GB. Além dessas configurações, o novo MacBook Pro ainda vem com bateria que dura até 7 horas, slot para cartão SD, conexões HDMI, Thunderbolt e USB 2.0 e 3.0, compatibilidade com Bluetooh 4.0 e Wi-Fi 802.11n.

Independente do modelo escolhido do novo notebook na Apple Store, o frete é grátis para os consumidores brasileiros.

Por Guilherme Marcon


Os ultrabooks, nome dado pela Intel para os notebooks finíssimos, top de linha e com menor consumo de bateria, já estão presentes no Brasil. Algumas das marcas que disponibilizaram seus ultrabooks no mercado brasileiro, como a Asus, Dell, Acer, HP e a Samsung, sofrem muito com as altas tributações do governo brasileiro, o que resulta em aparelhos muito mais caros para os consumidores. E mesmo que o Brasil seja o terceiro maior mercado de computadores do mundo, ainda há muita dificuldade em se popularizar os ultrabooks no nosso país.

Além disso, outras fabricantes de ultrabooks também estão de olho no mercado brasileiro, como a Megaware, Sony, CCE, Toshiba, LG e a Positivo, pois, mesmo com os altos valores, o Brasil é um mercado promissor para os notebooks top de linha.

Conforme o presidente da Intel, Fernando Martins, há uma grande expectativa para o ramo de ultrabooks no mercado brasileiro, pois haverá a diminuição das taxas aplicadas em cima destes aparelhos com a sua produção sendo feita dentro do país. Além disso, estudos estão em andamento para providenciar a substituição do alumínio por plásticos mais desenvolvidos e para a fusão de drives SSD com HDs físicos, o que diminuiria o custo final dos ultrabooks.

Com certeza isso é algo que deixará os consumidores brasileiros muito contentes, pois cresce cada vez mais o interesse por ultrabooks, principalmente no quesito segurança. Isso, porque os ultrabooks contam com tecnologias de proteção de conteúdo e seu funcionamento só ocorre mediante impressão digital.

Por Guilherme Marcon


Conforme divulgação oficial da TIM, a terceira geração do iPad será lançada no Brasil muito em breve, no dia 11 de maio. Com isso, a TIM se adiantou quanto às outras operadoras e foi a primeira a fazer o anúncio. Apesar disso, ainda não foram divulgados os valores que o aparelho custará no Brasil e a Apple não confirmou essa data de lançamento para o mercado brasileiro. Enquanto isso, a Claro afirmou que já está fazendo negociações para comercializar o tablet e a Vivo até o momento não possui informações a respeito. A Oi não se manifestou.

Nos EUA, o novo iPad custa US$ 500 na versão de 16 GB, US$ 600 na versão de 32 GB e US$ 700 para a de 64 GB. Sendo que para os tablets com 4G, os valores ficam, respectivamente, US$ 630US$ 730 e US$ 830.

O novo tablet da Apple possui tela Full HD com 9.7 polegadas, resolução de 2048 x 1536 pixels, câmera de cinco megapixels, 9.4 mm de espessura e 652 gramas (na versão de Wi-Fi) – a versão com 4G pesa 662 gramas.

No mercado brasileiro, o iPad começou a ser vendido em dezembro do ano retrasado, sendo que havia sido lançado em janeiro do mesmo ano. Já o iPad 3 foi lançado em março deste ano.

Por Guilherme Marcon


Com a popularização dos tablets, a cada dia que passa mais aparelhos chegam as lojas buscando conquistar uma fatia deste mercado.

Os modelos encontrados nas lojas, vão desde o popular iPad (da Apple), até modelos genéricos fabricados na China. Com tantos modelos disponíveis no mercado, resolvemos listar aqui os principais tablets encontrados no Brasil.

Confira abaixo a lista dos tablets (com suas principais características e preço):

iPad 2 (da Apple): Lançado em maio deste ano, o aparelho é considerado o melhor tablet a venda. Ele possui processador dual-core de 1GHZ, tela touchscreen de 9.7 polegadas, sistema IOS e duas câmeras (uma frontal e outra traseira). Com relação ao preço, o tablet é encontrado por valores que partem de R$1.649.

Galaxy Tab de 10 Polegadas (da Samsung): O aparelho até o momento é um dos principais concorrentes do iPad. Ele possui tela touchscreen de 10.1 polegadas, processador dual-core, 16 GB de memória, memória RAM de 1GB, câmera frontal e traseira e sistema Android. O aparelho custa R$1.999.

Galaxy Tab de 7 Polegadas (da Samsung): O aparelho é considerado um dos menores tablets do mercado. Ele utiliza sistema Android e possui tela touchscreen de 7 polegadas, TV digital, GPS e duas câmeras (frontal e traseira). O aparelho é encontrado no mercado a partir de R$900.

Xoom (da Motorola): Apesar de não ter caído nas graças do público quando foi lançado nos EUA, o Xoom possui características de peso, como por exemplo: Processador Dual-Core de 1 GHZ, Memória RAM de 1GB, sistema Android, GPS e duas câmeras (frontal e traseira). O tablet pode ser encontrado pelo preço de R$1.600.

V9 (da ZTE): O tablet chinês chegou ao mercado para concorrer diretamente com o Galaxy Tab. O aparelho possui tela touchscreen de 7 polegadas, sistema Android, câmera de 3.2 MP e memória de 4GB. O aparelho é encontrado por R$899.

STI MyPad MP 1003G (da Toshiba): O aparelho vem com sistema Android, tela touchscreen de 10.1 polegadas, processador dual-core (Nvidia Tegra 2), câmera frontal e 16 GB de memória. O aparelho pode ser encontrado por R$1.000.

Life (da Multilaser): O tablet é considerado o mais barato do mercado. Ele possui tela touchscreen de 8 polegadas, processador de 1.2GHZ, memória RAM de 512 MB, sistema Android e 4 GB de memória. O aparelho custa R$699.

Eee Pad (da Asus): O grande atrativo deste tablet é a possibilidade de transformá-lo em um netbook (conectando o acessório Eee Station nele). O aparelho apresenta processador de 1GHZ, sistema Android, 16GB de memória, tela touchscreen de 10.1 polegadas e duas câmeras (frontal e traseira). O preço do Eee Pad é de R$1.499.

Iconia Tab A500 (da Acer): Este é um dos últimos modelos lançados no Brasil. O principal diferencial do tablet está na presença de portas USB. Além disso, o aparelho conta com tela touchscreen de 10.1 polegadas, sistema Android, processador dual-core, memória de 16 GB e duas câmeras (frontal e traseira). O aparelho custa cerca de R$1.400.

S7 (da Huawei): O tablet tem tela touchscreen de 7 polegadas, sistema Android, é capaz de realizar ligações (como celular), tem duas câmeras (frontal e traseira) e sua memória é de até 32GB (dependendo do cartão de memória utilizado pelo usuário). O tablet custa R$899.


Finalmente o iPad chegou oficialmente ao Brasil. O lançamento ocorreu a 0h desta sexta feira – dia 03 de dezembro – e rendeu filas enormes na frente da loja FNAC em São Paulo.

Apesar das portas só serem abertas a meia noite a fila começou a ser montada já às 22 horas. Os clientes tentaram reservar por telefone, mas como a venda só poderia ser concretizada pessoalmente a única forma de obter em primeiríssima mão (pelo menos oficialmente em uma loja brasileira, porque o IPAD já vem sendo vendido a meses) era indo pessoalmente a loja.

É muito provável que o produto esgote rapidamente, mas a boa novidade é que agora não será preciso mais encomendar pela internet ou comprar fora do país; o tablet já pode ser adquirido em lojas brasileiras. E sem filas de agora em diante.

Por Teresa Almeida


Lançado em abril de 2010, o iPad da Apple continua despertando o desejo dos consumidores brasileiros. A chegada do tablet está demorando, apesar de algumas operadoras de telefonia anunciarem o início das vendas no começo de dezembro.

De olho na demanda, algumas lojas já possuem cadastro de reserva de aparelhos. Segundo algumas lojas, o tablet da Apple chegará no dia 2 de dezembro. O preço será entre R$1,6 mil e R$2,5 mil, dependendo das configurações do aparelho.

O iPad de 16 GB e com Wi-Fi será o mais barato. O com 64 GB, 3G e Wi-Fi será o mais caro. A Apple não confirma o início das vendas para o dia 2, mas pelo o que parece, os brasileiros não aguentam mais esperar.

Por Camila Porto de Camargo

Fonte: G1





CONTINUE NAVEGANDO: