Modelo chega com tela de retina e custa mais de R$ 10 mil.

Quem estiver disposto a pagar pouco mais de R$ 10 mil, poderá ter o novo MacBook Air com tela retina e Touch ID da Apple. O modelo com tela de 13,3 polegadas e alta resolução conta com design renovado e muitas novidades tecnológicas. O lançamento aconteceu nesta última terça-feira, dia 30 de outubro, e a nova geração do MacBook Air é um notebook ultrafino, que vem atraindo o interesse de quem é apaixonado por tecnologia.

O leitor de impressões digitais Touch ID foi muito elogiado por quem já testou o equipamento, assim como o áudio, que teve importantes melhorias. Esta é a primeira vez que o modelo usa tela Retina. Todas as novidades foram comemoradas pelos consumidores, afinal, desde 2012 que o laptop não passava por uma atualização e a Apple vinha sendo bastante cobrada, pois nos últimos anos, apenas os processadores tiveram upgrade.

Mas um dos principais destaques é a portabilidade, pois segundo a empresa, a nova versão do MacBook Air foi totalmente montada sobre uma carcaça de alumínio reciclado, pesando 1,25 quilos e tendo 15,6 milímetros de espessura, lembrando que o modelo anterior era de 17,3 milímetros. Alguns detalhes vieram dos outros Macs, por exemplo, a logo sem iluminação que fica na tampa e algumas poucas portas, sendo uma entrada de 3,5 mm para quem desejar usar fones de ouvido e tem outras duas USB-C.

Uma opção que já está presente em outros Macs recém lançados, é a possibilidade de entrar no macOS e usar o Apple Pay para efetuar pagamentos através do leitor de impressões digitais Touch ID, que é comandado por um chip Apple T2.

Com Force Touch, o trackpad está cerca de 20% maior e contando com teclado moderno de 3ª geração, que vem com mecanismo borboleta completamente renovado, não tendo o Touch Bar. Os alto-falantes estão com 25% a mais de volume e o microfone também melhorou.

Um detalhe que pode ser problema para quem precisa sair com o equipamento é a bateria. O laptop continua com sua bateria, que oferece 12 horas de navegação no Wi-Fi, o que é tempo suficiente para uns, mas pode não ser para outros. Cada um terá que analisar seu dia a dia, como e onde irá usar o aparelho, para ver se será ou não suficiente.

O processador do novo MacBook Air é um Intel Core i5 dual-core de 1,6 GHz de oitava geração com GPU integrada. É muito poder, mesmo para quem precisa executar arquivos mais pesados, pois o processador ainda contará com o suporte de 8GB de memória RAM, mais 128 GB de memória flash. E se o usuário achar pouco e quiser ter uma versão ainda mais potente, poderá elevá-lo para até 16 GB de memória e 1,5 TB de armazenamento. Outra boa opção para quem trabalha com fotos e vídeos é poder usar a porta Thunderbolt 3 para exibir as imagens em um monitor 5K.

Desde o dia 30 de outubro que o modelo está em pré-venda nos Estados Unidos, mas será entregue ao consumidor somente a partir do próximo dia 7. Aqui no Brasil, ainda não há previsão de quando será lançado, mas já é certo que o preço ficará em R$ 10.399 para o modelo mais simples e R$ 11.999 para o mais avançado.

O novo MacBook Air com tela retina e Touch ID da Apple de fato é um equipamento com tecnologia de ponta e que tem muito a oferecer, mas o consumidor brasileiro precisará avaliar bem se compensa investir este dinheiro na compra de um. O primeiro passo é definir o perfil, saber o que realmente precisa e depois fazer um levantamento dos equipamentos disponíveis no mercado que possam atender suas necessidades. Por fim, comparar os preços.

A Apple investiu pesado e finalmente trouxe as atualizações tão esperadas. O novo MacBook Air realmente melhorou, só que será preciso pagar um preço alto para contar com todas as novidades.

Por Russel


Nova linha começou a ser comercializada no Brasil e preços podem chegar a R$ 17.199.

Na última quarta-feira, dia 28, a Apple começou a comercializar no Brasil a última linha de iMacs. Os valores variam entre R$ 8.199 e R$ 17.199. A nova linha chama atenção pelo brilho de sua tela com 500 nits, um aumento de 43% em relação a geração anterior, conseguindo reproduzir 1 bilhão de cores.

São dois modelos diferentes. Sendo o iMac básico com 21,5” chip gráfico do modelos Intel Iris Plus 640. Possui tela 4K com placa de vídeo modelo AMD Radeon Pro 555, memória RAM de 8 GB, disco rígido de 1 TB e processador Intel Core i5. A tela tem resolução Full HD com 1920 por 1080 pixels. O iMac agora suporta até 32 GB de memória RAM.

A versão que possui tela com 27″ e resolução 5K custa R$ 17.199, com placa de vídeo modelo Radeon 570-575-580, 8 GB de memória, processador com frequência de 4,2 GHz, placa de vídeo com 8GB, modelo Radeon Pro 580 e drive que suporta 2 TV. O display é enorme com resolução 5K de resolução 5120 por 2880 pixels e 27 polegadas. O iMac de 27” é ainda mais robusto e suporta 64 GB de RAM.

Além dos recursos que estão disponíveis nos modelos de fábrica, ainda foi destacado pelos representantes da marca durante a WWDC17, que os computadores são personalizáveis.

Esta geração 2017 dos aparelhos da Apple contam com duas portas USB-C, a qual aos poucos vem se popularizando. Estas portas também são compatíveis com Thunderbolt, tecnologia desenvolvida pela Intel, que permite transmitir dados em uma maior velocidade, atingindo 40 Gb/s, representando quatro vezes mais do que o visto na versão USB 3.1.

Um modelo novo de teclado começou também a ser comercializado pela marca e possui botões numéricos, além de teclas de função e de letras. O aparelho é indicado para os indivíduos que trabalham com números frequentemente, como profissionais de finanças, designers, arquitetos e contadores.

O dispositivo é comercializado por R$ 899 e a fabricante ainda continua utilizando o layout dos EUA, isto é, o teclado não tem o padrão ABNT brasileiro, não possuindo a tecla “ç”.

Por Filipe Silva

iMac 2017


Novo Macbook Pro tem barra touch e leitor de digitais.

A Apple anunciou o lançamento do novo Macbook Pro. Entre as novidades, está o painel touch (que substitui a linha de caracteres F1, F2, F3, F4…) e o leitor de digitais para desbloqueio e personalização do aparelho.

A novidade do painel touch havia sido divulgada anteriormente por engano. A atualização apareceu em imagens de uma apresentação das configurações recentes do sistema operacional da Apple: Mac OS.

O novo Macbook Pro terá duas versões completas e uma intermediária. As versões completas poderão ser encontradas com telas de 13 polegadas e 15 polegadas. O valor, respectivamente, será de US$ 1,8 mil e US$ 2,4 mil. Nos Estados Unidos, a previsão é que as primeiras entregas sejam efetuadas ainda no mês de Novembro. Para o Brasil ainda não há data definida e nem preço para o novo Macbook Pro.

A versão intermediária conta com as mesmas configurações de hardware e software das versões completas, no entanto, a barra touch e o leitor de digitais foram suprimidos dessa versão. A retirada dessa tecnologia deixa o preço do aparelho um pouco mais barato: US$ 1,5 mil para o modelo de 13 polegas.

Conforme divulgado pela Apple, a barra touch terá inúmeras funcionalidades nos aplicativos e poderá ser configurada de acordo com cada funcionalidade. Segundo a empresa, é possível fazer alteração de destino para cada um dos botões, o que será bastante útil para definir funções e agilidade na navegação de alguns aplicativos.

O leitor de digitais serve como segurança e personalização do Mac quando o mesmo é utilizado por mais de uma pessoa – a exemplo irmãs e irmãos, famílias, entre outros. No momento em que você acende o dispositivo com sua ID, ele já saberá quem está usando o aparelho e direcionará os arquivos e configurações de modo personalizado.

O lançamento do Macbook Pro nos Estados Unidos irá convergir com o lançamento do iPhone 7 no Brasil. O novo smartphone da Apple ainda não possui preço definido aqui em território verde-amarelo, mas já possui data para o início das vendas. A estimativa é que o iPhone 7 esteja nas prateleiras do Brasil no dia 11 de Novembro.

Matheus Griebeler


Segundo especialistas esse tipo de crime arrecada milhões todos os anos

Recentemente os usuários da Apple foram os escolhidos para serem as novas vítimas de hackers. A titulo de curiosidade essa foi a primeira vez em que os cibercriminosos decidiram enviar algum tipo de software popularmente conhecido como ransomware para as máquinas Mac. Essas observações foram feitas por alguns especialistas e pesquisadores da Palo Alto Networks.

Para entendermos um pouco essa questão temos que considerar alguns aspectos importantes. Um deles é o fato de que os chamados ransomwares tiveram um crescimento significativo nos últimos anos. O golpe por meio do software se dá basicamente usando a criptografia de arquivos em computadores que estejam infectados. Logo após isso aparece um pedido de resgate que pode ser feito por meio de moedas digitais que, por sua vez são difíceis de serem detectadas.

Bom, como para tudo tem a primeira vez hoje o momento foi da Apple.

De acordo com alguns especialistas em segurança essa modalidade criminosa consegue arrecadar anualmente milhões de dólares. Um negócio mais do que lucrativo.

Eles ainda destacam quais são os principais alvos. Entre eles estão os usuários do sistema operacional Windows.

A coisa toda anda na velocidade da luz. Conforme o diretor de inteligência de ameaças virtuais de Palo Alto, o malware chamado KeRanger apareceu na última semana e foi exatamente ele o primeiro ransomware a invadir um PC Mac.

O malware tem suas peculiaridades que chamam muito a atenção. Uma delas é o fato de que além de ser muito bem criptografado ele ainda pede uma quantia de resgate para deixar o PC em paz.

Mesmo assim ainda não há nenhuma informação que aponte com toda certeza como a infecção acabou ocorrendo. No mais ainda há a preocupação de que alguns arquivos do sistema geral possam ter sido comprometidos.

A Apple por meio de um representante da empresa informou que as medidas sobre o problema já foram tomadas.

De qualquer forma há um certo período de tempo durante o qual é possível tomar as ações necessárias. Isso porque os arquivos tinham sido infectados três dias antes. As primeiras vítimas consequentemente vão ver o problema três dias depois.

Por Denisson Soares


Site da Apple sugere que sistema operacional OSX pode ser rebatizado como MacOS

Na última quinta-feira, 14 de abril, a Apple publicou em seu site uma matéria referindo-se ao seu sistema operacional como "MacOS", ao invés de “OS X”, somando evidências de que a Apple tem a intenção de alterar o nome do seu sistema.

O termo pode ser encontrado em uma página de FAQ, dentro do subsite da Apple, na seção de “Meio Ambiente”, especificamente em uma seção que fala sobre gases de efeito estufa e os ciclos de vida dos produtos.

O texto é a única referência direta a esta suspeita que renomeia o OSX por MacOs. O restante do website ainda utiliza o nome antigo do sistema operacional.

No final de março deste ano foi descoberto que um quadro no OSX 10.11.4 existe a referência do "MacOS". Ao ser novamente empregado em uma página da web, voltada ao público da Apple, as suspeitas tornaram-se maiores, pois este fato revela que a menção não foi um erro.

A mudança para o MacOS / MacOS alinharia a marca da plataforma com outros sistemas operacionais da Apple como o iOS , tvOS e watchOS .

É provável que a Apple anunciará qualquer mudança do nome durante “Worldwide Developer Conference” que acontece em junho e o lançamento do novo sistema operacional deve ser realizado apenas no final deste ano.

Apple não parcela mais seus produtos no Brasil

Outra mudança, nada agradável ao consumidor da Apple no Brasil é o cancelamento das opções de parcelamento na compra de qualquer produto da empresa no país. Antes as lojas da Apple no Brasil permitiam o pagamento com 10% de desconto na compra à vista, parcelamento em 12 vezes sem juros ou então parcelamento das compras na loja em 18 ou até em 24 vezes (com juros). Agora, os consumidores da marca que pretenderem adquirir um Apple deverão pagar os produtos à vista. Ninguém sabe o motivo da mudança, o fato é que iPhones, iPads, Macs devem ser pagos em uma única parcela, o que dificulta, não só para o consumidor, como também a empresa, já que a quantidade de vendas despencaram em 2016.

Renata Bianco


Atualização corrige problema que danificava a porta Ethernet.

A Apple está no olho do furacão nessas últimas semanas, graças ao processo envolvendo a empresa da Maçã e o FBI, que quer que a empresa ''hackeie'' o iPhone para ajudar em investigações; pelo bug do calendário no iOS, que inutilizava os dispositivos até a Apple corrigir o erro e pela polêmica envolvendo um possível fim de suporte a conserto de terceiros no iPhone, algo também resolvido. Agora, o problema da vez é uma atualização no sistema operacional para computadores e notebooks da empresa, o OS X.

A empresa americana havia lançada um novo update para o OS X na semana passada, atualização a qual acabou danificando e inutilizando a porta Ethernet dos dispositivos que realizaram o update disponibilizado pela empresa, deixando os usuários sem Internet em seus dispositivos.

O erro acabou deixando diversos usuários assustados, já que o erro que danifica a porta Ethernet poderia ser definitivo e sem volta. Porém, a empresa foi ágil e já disponibilizou aos usuários uma nova atualização que corrige esse erro para os usuários que acabaram tendo sua porta Ethernet momentaneamente inutilizada.

Para os usuários que seguem conectados a rede, graças ao Wi-Fi, a atualização será recebida automaticamente, corrigindo o erro anterior e tranquilizando os usuários mais pessimistas. Já caso você esteja sem conexão com a Internet justamente por causa do erro no sistema da Apple, será necessário reiniciar seu dispositivo no modo de recuperação com a opção "Disk Utility", selecionando o seu drive para posteriormente desbloquear a unidade do dispositivo, em caso de proteção FileVault.

Para tal, é necessário que o usuário siga o caminho "Arquivos" > "Mount" no DU e abrir o "Terminal de Utilitários". Lá é preciso utilizar um código de comando disponibilizado pela Apple para poder desbloquear a unidade. Este código pode ser conferido no site https://support.apple.com/pt-br/HT205956. Feito isso, basta reiniciar seu dispositivo com o OS X.

Após a reinicialização, é esperado que a rede Ethernet já tenha voltado, porém, ainda é necessário inserir mais um código no terminal para depois reiniciar seu dispositivo e finalmente poder fazer uso novamente de seu aparelho da Apple.

O fato da empresa ter respondido rapidamente ao erro, lançando a correção logo em seguida, gerou elogios por parte dos usuários a empresa.

Por João Trajano


Novo tablet deve chegar com tela Ultra HD em sua versão mais cara.

Em meio a notícias de que as vendas do iPhone devem ter sua primeira queda desde 2003, assim como também o fato do crescimento da Apple estar sendo o mais lento desde 2007 e suas receitas estarem caindo, a Apple deve lançar em breve seu novo tablet iPad Air 3, que foi adiado, o que não é comum na Maçã, graças ao lançamento do iPad Pro.

A tendência, segundo informações do site Tudo Celular, é que o novo tablet seja lançado ainda no primeiro semestre desse ano. E agora, com a possível proximidade do lançamento do dispositivo, os rumores acerca de suas configurações começam a surgir.

As informações são do site Digitimes, que também afirma que o tablet chegará ao mercado antes do final desse semestre. O site afirma ainda que todo o trabalho da Apple no aparelho já teria sido finalizado com sucesso e, agora, a empresa trabalha na produção em massa do dispositivo para poder lançá-lo no mercado o mais breve possível. Entre as especulações que já vinham sendo vinculados a respeito do novo iPad, estão a ''confirmação'' do Digitimes de que o dispositivo deve chegar com com uma tela Ultra HD, o que deve agradar e muito aqueles que adoram ler livros e ver filmes no aparelho, vide a grande qualidade já existente das telas da Apple, além de 4 GB de RAM.

Ainda segundo o site, apenas a versão mais completa do tablet virá com essas especificações, o que nos leva a crer que as demais versões (com menos memória) tenham de 2GB a 3GB de memória RAM, além de possivelmente mais uma ou outra limitação imposta pela Apple para valorizar seu modelo mais caro.

Tal fato é uma novidade nos aparelhos da Apple, que costuma manter a mesma configuração em todas suas versões, com variantes apenas na memória interna do dispositivo.

Finalizando, o site também garante que o novo tablet deve chegar com uma troca da bateria, do Apple A8 para o A9X 14nm, que devem aumentar ainda mais a duração da bateria do iPad Air 3.

O iPad Air 3 deve chegar junto também do novo iPhone de 4 polegadas.

Por Isis Genari.


Comunicação utilizada pela Apple em propagandas é diferente da utilizada por outras empresas.

Muitas marcas tendem a passar a informação sobre seus produtos de forma simples, sem que isso cause uma inspiração no seu cliente para que ele venha a comprar os produtos da companhia da maneira que se espera. Muito dinheiro é investido pelas empresas dos mais diversos segmentos, nas campanhas publicitárias, porém, a Apple é incontestavelmente a que obtém os melhores resultados através desta ferramenta.

Para perceber a eficiência publicitária da marca da maçã mordida, basta analisar os noticiários logo após o anúncio do lançamento de um novo produto da Apple. Filas e filas são formadas por “Applemaníacos” que tem como desejo serem os primeiros a adquirir o produto, não importando o preço que tenham que pagar por ele.

O que difere duas marcas do mesmo setor, então, pode ser melhor compreendido pela forma que cada uma se comunica com seus clientes. Por exemplo, um resumo de um anúncio clássico de empresas de computadores seria: “nós vendemos computadores, eles possuem as melhores configurações que a tecnologia presente pode fornecer, adquira um de nossos computadores”. Claramente percebemos que a informação é transmitida de uma forma que não traz ao consumidor nenhuma inovação ou diferenciação publicitária tão convidativa.

Agora se você analisar as propagandas da Apple você perceberá o padrão que promove a diferenciação na hora de se comunicar com o cliente. Para exemplificar melhor a ideia acompanhe um exemplo: “Nós desafiamos você a pensar de uma forma diferente, trazendo para você produtos com um design detalhadamente planejado e simples de ser utilizado, o que os qualifica como ótimos computadores, você quer comprar um?”.

Esse padrão consiste em mostrar ao cliente, primeiramente, o porquê a empresa desenvolve o produto, depois como o produto é desenvolvido e por último eles anunciam o que estão vendendo.

Com isso a Apple consegue se diferenciar de todas as outras marcas concorrentes, tornando o anúncio muito mais inspirador, cativando não apenas compradores, mas também criando fiéis seguidores da marca.

Por Igor Furraer


O pacote Office, suíte de aplicativos de escritório da Microsoft, é um dos principais programas da companhia. Recentemente, foi anunciado que os usuários de iPad finalmente poderiam utilizar o Word, Excel e PowerPoint em seus dispositivos portáteis. Entretanto, especialistas dizem que o anúncio foi feito bastante tarde, o que resultou em uma perda considerável clientes em potencial, já que diversos outros apps semelhantes e de qualidade já dominam as lojas de aplicativos tanto da Apple quanto do Google. Um dos motivos para essa demora seria o temor de oferecer um programa que até então era exclusivo apenas para dispositivos Windows, desde o seu lançamento.

A grande verdade é que a Microsoft jamais se preocupara em criar um pacote Office exclusivo para a nova geração Multi Touch. Mesmo após o surgimento do Windows 8 e dos dispositivos Surface, o Office se manteve basicamente inalterado em termos de design e facilidade de uso em telas sensíveis ao toque. Esse detalhe pode parecer irrelevante, mas a geração atual praticamente obriga que os aplicativos sejam facilmente controlados por toque, apesar de o mouse continuar sendo bastante útil em alguns casos.

A Microsoft ainda não revelou oficialmente quando o novo Office deve chegar para o Windows. Sabe-se, porém, que a data deve estar bastante próxima já que a CEO Satya Nadella disse que os usuários do Windows irão saber mais sobre os planos da empresa para o Office “Touch” na conferência para desenvolvedores que acontece nesta semana em São Francisco, Califórnia. Outro assunto importante que deve fazer parte da empresa são os planos de assinatura e utilização da nuvem por aplicativos da companhia. Atualmente o Office está disponível para iPad através de uma assinatura anual U$ 99 e passa a ser gratuito em Tablets Android.

Com a novidade, a Microsoft visa desbancar o domínio de outros serviços, principalmente o Google Docs, que oferece uma ótima suíte de aplicativos de escritório tanto para tablets quanto para smartphones.

Por Ebenezer Carvalho

Pacote Office para iPad

Foto: Divulgação


Na última quinta-feira (27) a Apple obteve uma patente de Smart Covers com teclado que pode colocar a marca em franca disputa mercadológica com a Microsoft. Esta já possui a linha de tablets Surface, com esse tipo de teclado, contudo a Apple quer ir além: vai investir nesses recursos extras para capas oficiais para o iPad com comandos de multitoques e ainda ser controlados por gestos.

Os modelos de Smart Cover atuais trabalham com uma conexão sem fio. A Apple quer lançar um produto do mesmo modo e ainda capaz de detectar os toques como os usados em display de touchscreen. A marca quer criar uma versão em que o usuário possa utilizar a Smart Cover personalizada como um meio de “segundo plano” de aproveitamento com o tablet, levando um conforto para o consumidor na hora da utilização, com a opção de colocar o iPad sobre a mesa e usá-lo como um computador.

Apple pretende pegar recursos de outros modelos já existentes e colocar em um produto só, com sua marca. O item, por exemplo, para identificar os comandos do usuário mesmo ele não tocando nas teclas – recurso parecido ao usado no Samsung Galaxy S4, o Air Gestures – é um dos desejos da Apple. E, segundo a patente, o usuário poderá também ativar e desativar a função sensível ao toque a qualquer momento, de acordo com a vontade do utilizador.

Os sensores do novo gadget poderão ir além, com configurações avançadas e de tecnologias inovadoras capazes de interações capacitivas, ópticas, resistivas, indutivas, acústicas, químicas, mecânicas ou eletromagnéticas como opções de sugerir a localização do toque no corpo do teclado.

A data de quando essa tecnologia estará disponível para os consumidores da marca Apple ainda não está disponível, nem mesmo como está o desenvolvimento de todo esse avanço. A marca aplicou essa patente em 2012, mas só agora foi concedida, por isso não há prazo para que isso tudo fique pronto para o mercado.

Por Carolina Miranda

Apple teclado gestual para iPads

Foto: Divulgação/Fujitsu


Quando pensamos em um tablet que pode unir design moderno e tecnologia avançada um nome forte é o iPad2 que consegue reunir essas características e logo ao primeiro instante uma das maiores dúvidas é qual a melhor cor para adquirir, ou seja, o preto ou senão o branco.

Independente da sua opção ele disponibiliza dois modelos onde um é Wi-Fi e o outro já apresenta Wi-Fi + 3G. Esses modelos contam com altura de 241,2 mm, largura de 185,7 mm e espessura de 8,8 mm, mas quando falamos de peso o primeiro modelo possui 601 g e o segundo já conta com 613 g.

Com relação ao armazenamento a capacidade desses modelos é correspondente a 16G com tecnologia Bluetooth 2.1  + EDR  em uma tela Multi-Touch de 9,7 polegadas que é retroiluminada por LED e apresenta tecnologia IPS.  Já a resolução fica em 1024×768 pixels, onde são 132 pxels por polegadas (ppp) e como os demais modelos dessa categoria não deixaria de contar com revestimento que preservar o aparelho de marcas de impressões digitais e também de manchas decorrentes de oleosidade.

O chip instalado é o famoso A5 dual core e também possui duas câmeras instaladas:

***uma na parte frontal que realiza gravações de vídeo, além do VGA que apresenta até 30 quadros por segundo e com uma câmera estática com essa mesma qualidade VGA, além da detecção de rostos;

*** e a outra câmera é na traseira que realiza a gravação em vídeo HD em 720p e também conta com os mesmos 30 quadros por segundo, só que com um detalhe muito significativo, o  zoom digital acaba sendo aumentado em até 5x.

A energia e a bateria estão voltadas para durarem em período compreendido dentro de 9 até 10 horas, dependendo do tipo de tarefa que realiza, seja via Wi-fi ou senão utilizados via web usando rede de dados celular.

Conta com três tipos de sensores que são o Acelerômetro, o Sensor de luz ambiente e também o Giroscópio, além do Sistema Operacional iOS 7 e do seus APPs.

Ficou interessado? Procure por maiores informações no http://www.apple.com/


A nova patente da Apple promete transformar o trackpad dos Macbooks em algo inovador. A companhia registrou a patente em um escritório nos Estados Unidos e em breve poderá sair do papel e ser estudada detalhadamente. A patente irá substituir os cliques por novos sensores de força, que podem ser utilizados tanto para clicar como para arrastar e segurar.

O documento foi feito ainda no ano de 2009, por oito inventores que trabalharam juntos. A tecnologia inventada incorpora ao trackpad quatro sensores, um em cada canto. Estes irão detectar a força que o usuário fez sobre eles. Com esse mecanismo, não há necessidade de utilizar botões mesmo quando for necessário. Segundo os desenhos do projeto, haverá uma grande mudança no controle do mouse no Macbook.

Estes sensores possuem a capacidade de calcular melhor o que o usuário pretende fazer, somente pelo modo de como ele passa seu dedo em cima do trackpad. Desse modo, ações de soltar e arrastar serão facilitadas. Com os quatro sensores que serão incorporados, o nível de sensibilidade aumenta, possibilitando o usuário controlar o mouse com maior precisão. O trackpad irá emitir alertas vibratórios, como por exemplo, avisar o usuário quando uma mensagem for recebida.

A ideia da empresa é facilitar a usabilidade do trackpad. Este irá economizar espaço no interior do aparelho, deixando os Macbooks ainda mais finos. Ao tocar nele, os sensores dariam uma resposta com uma vibração. Ele ainda permite que o usuário controle a sensibilidade dos sensores, dando funções específicas aos toques mais leves e mais fortes. O controle da barra de rolagem, função complicada de realizar segundo usuários, será bastante facilitada.

A tecnologia não ficará restrita somente nos Macbooks, mas também poderá ser incorporada nas telas dos iPads e iPhones. Mesmo com a patente já registrada no escritório, não há previsão de quando a nova tecnologia será implantada nos produtos da Apple.

Por Danilo Gonçalves


Há exatos trinta anos atrás, Steve Jobs apresentava o Macintosh. Desde aquela época, já era possível se ter uma visão revolucionária do que viria a ser a Era Digital e também o início do grande sucesso da Apple.

Na época, o preço do Macintosh chegava a US$ 2.495 (mais em conta que seu antecessor Lisa, que chegava a absurdos US$ 10.000).

O modelo, com design super quadrado (inclusive referindo se ao mouse), tinha nove polegadas, entrada para disquete e pesava pouco menos de oito quilos. Apesar da grande novidade na época, sua produção foi sessada um ano depois, em Janeiro de 1985. 

A versão "compacta" do Lisa foi apresentada ao lado do diretor executivo da Apple naquela época, John Sculley. Os doze meses de produção, assim como os seus reparos, eram feitos em San Diego, na Califórnia. Segundo pessoas próximas a Jobs, o gênio com visual hippie e muito jovial nunca se importou tanto com a opinião dos consumidores em relação aos componentes do Macintosh e trabalhava em prol da adaptação ao uso do mouse, já que muitos usuários não tinham o costume de utilizá-lo mesmo sendo parte importante da nova invenção.

O Macintosh tinha uma ferramenta exclusiva que convertia texto em voz, um verdadeiro paradoxo na época. A primeira frase que deu "start" na função era composta por uma breve apresentação da máquina, que ainda relatava ser muito bom ter saído da "maleta" e que não estava acostumado a falar com o público. A máquina ainda disse para os presentes do auditório nunca confiarem em um computador que não pudessem levantar ou ser carregado, em alusão as máquinas da concorrente IBM, como o IBM PC, que também foi lançado em 1984.

O auditório Flint, local que a "máquina falante" se apresentou, foi tomado por diversos comentários e segundo o autor da Biografia de Steve Jobs, Walter Isacson, fez com que o ilustre gênio retribuísse apenas com um sorriso sensato que aguardou cerca de cinco minutos até que pudesse dar continuidade na sua apresentação.

Por Luciana Ávila


Ele vai chegar para integrar o time dos super tablets. Tudo porque terá uma tela de resolução tão poderosa, que no ano de 2014, será o item de cobiça para quem atua no universo empresarial ou no segmento educacional. Trata-se do iPad 12,9”, o super computador de tela LED que é a promessa da Apple para 2014.  

A resolução da sua tela será de 2048 x 1536 pixels, associado a todos os aplicativos que os usuários irão precisar para trabalhar ou se entreter, com toda a leveza do mais novo lançamento da Apple. Une-se a esses atributos, o design sempre inovador que faz parte da geração de super tablets da companhia americana.

A noção de preço ainda é um mistério, já que está agendado para o final de 2014 o lançamento do iPad 12,9” da Apple, no entanto, já começaram as expectativas para quem gosta de tecnologia e gosta de usá-la para desenvolver todos os segmentos da vida.

Para os curiosos, a boa notícia é de que já circulam pela grande rede mundial imagens de outros grandes lançamentos da Apple como o iPad 5 e o mini 2. Ao menos é um consolo para saber o que aguardam, para o próximo ano, os loucos por tecnologia.  

Não se pode esquecer que as concorrentes não ficarão paradas, vendo a Apple avançar, o que deixa a entender que a Samsung, entre outras companhias, também prometem lançar moderníssimos tablets. A expectativa mesmo é que a Samsung lance em 2014, o seu tablet com tela flexível, câmera frontal de 3 megapixels e até 32 GB de memória. O preço dele também é um mistério ainda, o que atiça ainda mais a ansiedade de compradores de tecnologia.

Mas, o ano novo está chegando, é só aguardar as novidades que vêm por aí e que chegarão ao Brasil com todo o vapor.

Por Michelle de Oliveira

iPad 12,9 polegadas

Foto: Divulgação


O iPad 2 é um dos principais tabletes do mercado, que conta com ferramentas potentes e recursos para facilitar o dia a dia. Ele se destaca pela leveza, design e praticidade, sendo ideal para quem procura um aparelho de alto desempenho aliado a custo benefício. Ele possui o processador A5 Dual Core, Wi-Fi e compatibilidade com Bluetooth, que é ideal para quem gosta de estar conectado a internet e fazer compartilhamento de dados de forma rápida e simples.

O iPad 2 tem tela de 9,7 polegadas, sendo resistente a impressões digitais e oleosidade. Desta maneira, garante uma imagem nítida e livre de imperfeições. Além disso, este aparelho conta com duas câmeras, para que o usuário possa bater fotos ou gravar vídeos de maneiras diferentes.

O tablet possui uma espessura de apenas 8,8 mm e pesa aproximadamente 601 g. Desta maneira, ele pode ser transportado com facilidade em bolsas, mochilas ou qualquer outro compartimento, pois ocupa um espaço mínimo.

A bateria tem duração de 10 horas, assim a pessoa pode aproveitar o máximo dos recursos sem se preocupar em ligá-lo na tomada.

O aparelho foi desenvolvido com sistemas tecnológicos avançados, para que o usuário possa aproveitar ao máximo seus recursos, ou seja, jogar jogos interativos de forma rápida, navegar na internet com facilidade, entre outras facilidades que o iPad 2 fornece.

Dentre alguns recursos, destacam-se o acelerômetro interno (que tem a finalidade de reconhecer os movimentos internos e externos), o giroscópio, a bússola digital (em que o computador consegue reconhecer a direção e ainda entende os movimentos em 360º).

Por meio deste aparelho, podem ser feitos vídeos em HD (720p) ou a pessoa pode aproveitar para tirar fotos de qualidade e contar com um excelente zoom digital de 5X. Além disso, a câmara secundária proporciona a facilidade para fazer conversas em vídeos através do aplicativo FaceTime.

Portanto, o iPad 2 conta com vários benefícios para quem procura um tablet leve, bonito, compacto e fabricado com as principais tecnologias do mercado.  

Por Babi


Talvez você ainda não tenha ouvido falar da GT Advanced Technologies, mas em futuros dispositivos da Apple, a empresa ocupará espaço mais notável no mundo das tecnologias.

A empresa, que fornece cristal e materiais para indústria eletrônica, entre outras indústrias, anunciou no dia 5 de novembro que está assinado um acordo de fornecimento com a Apple para fornecer materiais de safira.

A safira tem aparecido com destaque em produtos mais recentes da Apple – o iPhone 5S com leitor  identificador de impressão digital apresenta um corte na tampa de cristal confeccionado em safira e o iPhone 5 foi o primeiro a apresentar uma lente de cristal de safira.

Os comentários agora são que a Apple poderá usar o material reluzente em touchscreens futuros e os rumores são de que esta inovação seja vista já no iPhone 6, previsto para 2014. A Apple também poderá estender o revestimento de safira a suas outras linhas de produtos, incluindo o próximo iPad.

Como parte do acordo, entre a GT e Apple, GT vai possuir e operar o equipamento necessário para a produção de safira em uma nova fábrica da Apple, no Arizona, que contará com fornos de capacidade para proporcionar baixo custo, alto volume de fabricação de materiais de safira.

A Apple, em contrapartida, teria acesso às cargas deste material por um preço mais acessível, o que tornará ideal a produção em massa de milhões de celulares, tablets e muito mais.

O negócio entre a GT Advanced Technologies e Apple ainda é novo, e com o iPhone 5S, iPhone 5C, iPad Air e iPad Mini 2 com tela de Retina recém-anunciados, é muito provável que vejamos a safira com material de confecção nas próximas gerações de produtos da marca.

Aos tecnomaníacos resta aguardar mais esta inovação prometida no mercado tecnológico. Isso é a Apple buscando impressionar cada vez mais seu público exigente por qualidade e  desempenho.

Por Jaime Pargan

iPhone 6

Foto: Divulgação


A Apple sempre foi pioneira em lançar novidades que realmente atraem e despertam a vontade do consumidor.

Uma das revoluções da companhia foi o iPad que viria a revolucionar o mercado de eletrônicos no mundo todo. Apesar de já existirem há um bom tempo, a Apple renovou o conceito e criou uma maneira nova e intuitiva para a leitura. Com a criação do primeiro iPad Mini, a companhia procurou atingir um público mais diversificado, com um produto similar ao original e menor, capaz de ser algo mais portátil. Agora o gadget da companhia americana está próximo de chegar à sua segunda versão.

Dentre as novidades, a nova tela de Retina é talvez a mais aguardada, já que a concorrência tem investido forte em resoluções cada vez maiores em seus tablets.

iPad Mini 2

Foto: Divulgação

O Nexus 7, do Google, e o Kindle Fire HDX, da Amazon, já possuem, por exemplo, telas de 1920 x 1200 enquanto o tablet da Apple ainda permanece com display obsoleto de 1024 x 768.

As mudanças de cores também são muito aguardadas. Segundo rumores na web, o aparelho deve seguir a mesma tendência do iPhone e ter uma versão dourada exclusiva. Ainda nessa tendência, um leitor de  digitais e um processador de 64-bits A7 também deve estar presente, já que a tecnologia foi muito bem aceita no iPhone 5S.  

Resta agora apenas aguardar para ter certeza de que realmente as expectativas do público sejam comprovadas.

Por Ebenézer Carvalho


A americana Apple começou a enviar os convites para o evento que a empresa irá realizar no dia 22 de outubro de 2013. Durante o evento, é esperado que a companhia apresente as novas versões do iPad e iPad Mini, contudo, não foi informado o motivo da convocação, mesmo coincidindo com o período parecido com que a empresa apresentou as últimas versões do tablet mais famoso do mundo.

A data é parecida com a que foi apresentada a 3ª geração dos tablets da empresa, entretanto, espera-se ainda mais da companhia de Steve Jobs. Os mais esperançosos acreditam que seja lançado também o novo notebook Mac Pro e uma versão atual do OS X Mavericks.

Não se sabe muito sobre o novo tablet da Apple, entretanto, as expectativas são de um modelo mais fino, com design renovado, câmera mais potente e chip de 64 bits A7. Novidades que devem aumentar o interesse do público, já que as vendas dos tablets com Android superaram as do iPad, porém, é uma concorrência desleal, tendo em vista o número de fabricantes que usam o sistema operacional livre do Google.

O evento ocorrerá na cidade de São Francisco, nos EUA, no Yerba Buena Center for the Arts e é aguardado não só pelos jornalistas como também pelos fãs da marca. Vale ressaltar que no mesmo dia a Nokia também programou um evento onde irá apresentar os lançamentos da empresa, o primeiro depois que foi adquirida pela gigante Microsoft por pouco mais de US$ 7 bilhões.

Por Robson Quirino de Moraes


A Apple fez história no mundo da tecnologia com o lançamento do primeiro iPad há quatro anos. Agora, o aparelho já está quase na sua quinta geração e algumas novidades devem agradar os fãs da marca. A Apple deve fazer um evento no dia 22 de outubro para anunciar seu mais novo tablet e também divulgar a versão “mini” do aparelho.

Segundo informações do analista Ming-Chi Kuo da empresa KGI Securities, a Apple tem uma nova tecnologia de hardware e deverá utilizá-la nas próximas versões de seus dispositivos. Uma das principais apostas de quem entende do assunto é que o dispositivo terá uma tela de retina melhorada, com capacidades 30% a 40% melhores que as atuais. Kuo também cogita que a empresa poderá lançar um novo MacBook Air com 12 polegadas no terceiro ou quarto bimestres do ano que vem.

MacBook Air 12 polegadas

MacBook Air

Foto: Divulgação

Apesar das informações serem empolgantes, são somente rumores que devem ou não se confirmar ainda neste mês. No entanto, a companhia americana se tornou recentemente a líder em valor de mercado e é uma das mais confiáveis do consumidor. Portanto, a inovação sem dúvida deve ser a prioridade no lançamento e podemos aguardar algo bastante interessante por aí. Agora só nos resta aguardar o dia 22 de outubro para ver como será a próxima geração de tablets da companhia.

Por Ebenézer Carvalho


O mercado recebe agora uma nova tecnologia para Ipads e apresenta o Ipad com Tela Retina.

Este Ipad possui uma tecnologia que muitos smartphones não possuem, principalmente quando o assunto é definição da imagem, pois a qualidade de imagem deste aparelho é incrível, melhor do que muita TV com tecnologia digital.

Outro detalhe muito importante é que o IPAD com tela de Retina trabalha com o sistema iOS e pertence a uma das empresas mais conceituadas no ramo da tecnologia, que é a Apple.Outro detalhe muito interessante deste IPAD é que é um aparelho muito fino, devido a sua tela retina, que possui uma tecnologia muito avançada.

Dependendo da quantidade de arquivos que o cliente pretende armazenar, há modelos que possuem armazenamento interno de 16GB, 32 GB e para acessar a internet, pode fazê-lo de duas maneiras: através de Wi-fi ou com internet de tecnologia 3G.

O grande diferencial é a sua tela de retina de 9.7 polegadas, que pelo fato de ser feito com um material bem avançado a qualidade da imagem incrível, mas possui a desvantagem de ter uma câmera de somente cinco megapixels, o que é ruim para quem gosta de tirar fotos e o preço de mercado para ter toda esta tecnologia é por volta de R$ 1.700,00 (mil e setescentos reais).

Por Jaime Pargan


Outubro seria o mês de lançamento de mais um tablet da Apple, o iPad Mini 2, mas conforme anunciado por uma analista chinesa, que disse ser a primeira a saber do atraso, o início da fabricação foi adiada para o ano que vem.

De acordo com a analista, o atraso ocorreu por motivos de problemas na produção da tela, que será de retina. O lançamento, segundo informações liberadas pela distribuidora iHS iSuppli, não parece muito certo para acontecer em outubro. O ideal seria aguardar até o início de 2014 e iniciar a fabricação dos novos dispositivos no primeiro trimestre do ano.

Ainda de acordo com a analista, há indícios de que a Apple também pode trazer ao mercado uma versão mais barata do iPad, para compensar e se manter no mercado, mas a informação ainda não foi confirmada, pois a empresa ainda não fez nenhum anúncio sobre os possíveis lançamentos.

Mesmo assim, acredita-se que as novidades não vão interferir na chegada do novo iPad 5, que também está previsto para ano que vem. Para quem não sabe, a companhia tem uma tradição de atualizar os seus produtos anualmente.

Conhecida com uma das maiores fabricantes de aparelhos tecnologicos, a Apple sempre leva centenas de pessoas às portas de lojas de revenda de seus aparelhos.

Por Jaime Pargan

iPad Mini 2


O novo mini iPad chegará em breve e não deverá contar com a tela de Retina. Segundo uma matéria do NPD DisplaySearch, o mini tablet da Apple trará um processador bem mais avançado que o do modelo atual e seu design será bem mais arrojado.

O público espera que o novo iPad Mini chegue ao mercado no segundo semestre deste ano. De acordo com o DisplaySearch, o aparelho manterá a tela de 7,9 polegadas com resolução de 1.024 x 768 pixels. Apesar disso, o tablet virá equipado com o novo iOS 7 e processador A6.

A Apple não descarta o lançamento de um iPad Mini com tela de Retina, mas de acordo com os rumores, deverá ficar para o próximo ano. Primeiro a companhia deverá lançar o iPad Mini com tela comum e o iPad 5 com processador A7.

Ainda segundo a publicação, o tablet deverá compor 60% das vendas da Apple com tablets este ano, mesmo sem o Retina Display. Ou seja, o aparelho com dimensões menores está fazendo muito mais sucesso que o modelo tradicional.

Por Felipe Santos Bonfim


Vendas do iPad Mini no BrasilFinalmente o iPad Mini será lançado no Brasil. No próximo dia 25 o tablet da Apple estará à venda nos sites da Saraiva e Fnac, segundo os anúncios feitos pelas duas empresas. Porém, os brasileiros terão que ter um pouco de paciência para saber o preço pelo qual o aparelho será vendido no país, uma vez que ainda não há nenhuma informação a respeito deste assunto.

O tablet foi homologado em novembro do ano passado e foi autorizado pela Anatel para ser produzido pela Foxconn em Jundiaí, no interior de São Paulo. Ainda não se sabe quais edições do aparelho estarão disponíveis para venda.

Os Estados Unidos recebeu o iPad Mini em outubro do ano passado, por US$ 329, aproximadamente R$ 660, mas no mercado nacional o modelo não deverá ser vendido por menos de R$ 1 mil.

Os grandes atrativos desta versão são suas dimensões, com tela de 7,9 polegadas, seu design 23% mais fino e também seu peso 53% mais leve que o modelo tradicional. Sua câmera faz vídeos em alta definição e videochamadas em HD. O aparelho não conta com tela de Retina como o iPad 4, o que deixou os consumidores um pouco desapontados. 

Por Felipe Santos Bonfim


Cada dia que passa mais rumores sobre o iPad 5 são divulgados na internet. Dessa vez, o boato atual aponta a nova data de lançamento do gadget.

De acordo com o site Digitimes, a Apple provavelmente vai apresentar a nova geração do seu tablet por volta dos meses de agosto e setembro, sendo que a produção deve começar em agosto e as vendas em setembro.

O iPad 5 será ultrafino, tendo cerca de 7 mm de espessura. Além disso, o tablet ganhará uma nova versão com Retina Display e terá uma retroiluminação feita com LEDs menores, mas mais eficientes.

Não bastasse isso, parece que a nova Retina Display vai ser fabricada pela Sharp e terá a mesma tecnologia aplicada no iPad Mini, que é a GF2 Dito. Já a resolução provavelmente será a mesma do iPad atual, de 2048 x 1536 pixels.

Em questão de configurações, um novo processador pode ser aplicado no iPad 5, que é o mesmo que vem sendo especulado para o próximo iPhone, o A7 com quatro núcleos. Este chip será fabricado pela Taiwan Semiconductor, pelo fato de a Samsung ter sido retirada da lista de fornecedores da Maçã.

Mesmo com tanta especulação sobre a nova geração do iPad, a Apple não se pronunciou sobre o assunto e provavelmente nem o fará até o dia do lançamento.

Por Guilherme Marcon


Muito em breve o tablet da Apple passará a ter uma nova versão. Segundo o relatório divulgado pela NPD Research, a empresa pretende lançar o iPad Mini 2 no próximo semestre. A principal novidade do tablet será a presença de uma tela de retina.

A Apple pode usar uma estratégia semelhante à utilizada para o lançamento do iPad 3, quando a empresa lançou na segunda metade do ano um tablet com processador mais potente. No caso do novo modelo, a Apple deve apresentar um tablet de 7,9 polegadas neste ano e no início do ano que vem deverá lançar um novo modelo com alguma novidade.

É válido frisar que a Apple dita as regras de mercado com seus produtos. Primeiro foi com o iPod, que deu origem a inúmeros tocadores de MP3. Depois foi a vez do iPad, que fez com que muitas empresas criassem modelos de tablets semelhantes.

Ainda não há informações sobre as configurações, preços e demais características do iPad Mini 2. A única informação divulgada foi sobre a tela de retina, que apresenta maior resolução e profundidade de pixels.

Agora só resta aos amantes da Maçã esperar pelo lançamento do novo tablet.

Por Robson Quirino de Moraes


O próximo iPad promete trazer grandes novidades em seu design e em sua tela. A ideia da Apple é apresentar seu novo tablet com um corpo muito mais fino, algo em torno de 7 mm, e tela com um novo Retina Display retroiluminado por LEDs pequenas e bem eficientes. A expectativa é que o aparelho tenha uma aparência bem similar à da versão com tela de 7,9 polegadas.

O DigiTimes foi quem conseguiu acesso a todas as informações a respeito do novo tablet e ainda revelou que a tela de Retina será fabricada pela Sharp. A resolução do display será de 2.048 x 1.536 pixels, a mesma resolução usada na geração atual, e ainda contará com a tecnologia do iPad mini, a GF2 Dito, que é capaz de diminuir de forma bem considerável a espessura do painel.

Acredita-se que o novo iPad irá adotar como processador o chip quad-core A7, o mesmo especulado para a próxima geração do iPhone. O chip será produzido pela Taiwan Semiconductor, pois a Samsung, recentemente, foi retirada da lista de fornecedores da Maçã. A produção em massa do tablet começará em agosto, e a promessa é que até setembro, data do lançamento do aparelho, sejam fabricados três milhões de unidades.

Até o momento, a Apple não se pronunciou a respeito do lançamento do iPad 5.

Por Felipe Santos Bonfim


A conferência anual da Apple, a WWDC, está chegando e diversos rumores vêm surgindo. Agora foi a vez do Macbook Air ser alvo dos boatos. Segundo informações, o notebook da Maçã poderá receber uma atualização de processador durante o evento que acontecerá em junho.

Já era previsto que a Apple iria atualizar sua linha de computadores portáteis com processadores da Intel de quarta geração, mas só agora começou a surgir informações dos comerciantes americanos confirmando que os últimos modelos já estão sendo eliminados. O primeiro a receber o upgrade deverá ser o Macbook Air 13.

Além do processador, ainda há dúvidas a respeito do que a Apple pretende fazer exatamente em sua linha de computadores portáteis. Um ponto que vem sendo bastante discutido é a implantação da tela de Retina nos Macbooks. Porém, a novidade iria aumentar ainda mais o custo do produto, o que acaba não sendo tão interessante para o consumidor final.

Falta pouco tempo para a WWDC 2013 e logo os fãs da companhia poderão saber o que de fato ela preparou. Além da atualização dos notebooks, acredita-se que ainda será apresentada uma versão nova do Mac OS, a OS X 10.9, que contará com uma interface mais integrada com o iOS, deixando os dois sistemas da empresa mais unificado. 

Por Felipe Santos Bonfim


O próximo WWDC, evento que a Apple organiza todo ano, já tem data marcada para o mês de maio. Com isso, um novo rumor aponta que a empresa não lançará o novo iPhone e nem o novo iPad, mas sim os seus novos modelos do Macbook.

De acordo com informações divulgadas pelo site Phone Arena, a Apple pode apresentar os modelos do seu novo Macbook Air e do seu Macbook Pro. Entretanto, não espera-se que os novos aparelhos tenham grandes novidades se comparados aos seus antecessores, pois devem ser somente modelos um pouco “atualizados”, como aconteceu com o iPhone 4 e o iPhone 4S.

Já segundo informações de outro site, dessa vez o BGR, a Apple provavelmente apresentará também o seu novo sistema operacional, o iOS 7. Além disso, se esse rumor estiver correto, a nova geração do smartphone da Maçã só deve aparecer em meados do segundo semestre deste ano.

Apesar de diversos boatos, não há nenhuma confirmação oficial do que será exibido durante o WWDC, mas a expectativa é de que a Maçã continue vendendo tanto o Macbook Pro, como o Macbook Pro com Retina (em novas versões), porque estes vêm fazendo bastante sucesso.

Por Felipe Santos Bonfim


Na segunda semana deste mês de abril, a Apple lançou em sua loja online um novo modelo do seu famoso iMac. Dessa vez, o aparelho está sendo vendido com remodelações.

Após terem se passado quatro meses desde o lançamento dos novos iMacs, a Maçã resolveu iniciar as vendas de uma nova versão, remodelada e com 27 polegadas. A principal diferença entre o novo iMac e os lançados há quatro meses é que há uma nova laminação do display que deixa a tela ainda mais fina e com melhor qualidade de imagens.

Além de anunciar a novidade em seu site oficial, a Apple também divulgou que dará descontos de até 15% na compra de novos aparelhos. Com isso, podem ser vistos descontos que variam de US$ 270 a US$ 400, valores que equivalem a R$ 540 e R$ 800, respectivamente.

A versão mais cara do iMac remodelado sai pela quantia de US$ 1.900 (R$ 3.800) e tem memória RAM de 8 GB, processador com 3.4 GHz e placa GeForce da NVIDIA.

Os consumidores que comprarem essa nova versão do iMac terão que esperar somente três dias úteis para a entrega no mercado norte-americano. No Brasil ainda não há informações sobre o lançamento da nova versão.

Por Guilherme Marcon


O novo tablet da Apple, o iPad Mini, que já tem até um hotsite especial no site da Apple Brasil, recebeu uma nova homologação da Anatel em substituição à que foi liberada em novembro.

A nova homologação diz respeito ao local de fabricação do tablet, incluindo a unidade da Foxconn que está localizada em Jundiaí, São Paulo. Além disso, as informações do novo certificado da Anatel apontam o registro do aparelho A1454 por prazo indeterminado e este tablet possui versões com EDGE/GPRS e HSDPA/WCDMA/HSUPA.

Talvez com a inclusão da Foxconn de Jundiaí na lista de possíveis fábricas que produzirão o aparelho, o iPad Mini seja lançado finalmente no mercado brasileiro, já que ele foi homologado há bastante tempo e ainda não foi disponibilizado para venda.

Apesar da notícia boa de que é possível que o iPad Mini seja produzido em território nacional, nada foi informado sobre o lançamento definitivo do aparelho no Brasil. Vale lembrar que a própria Apple já começou a divulgar o gadget para os consumidores brasileiros, mesmo não o colocando à venda.

Por Guilherme Marcon


Vários rumores sobre a chegada de uma nova versão do iPad este mês estão surgindo em todos os meios de comunicação, mas, enquanto isso, o site CNET afirma que a Apple fará grandes mudanças no tablet, tanto na parte interna, quanto na parte externa do aparelho. Ao que tudo indica, a quinta geração do iPad deverá trazer um design parecido com o do iPad Mini, mas não será apenas isso, o aparelho será ainda mais fino e leve do que a versão atual.

Segundo os rumores, o tablet deverá ser bem mais leve e fino devido ao novo tipo de luz de fundo que será utilizado nele, o que ainda tornará o display muito mais eficiente, em partes, graças as LEDs ainda melhores que serão utilizadas. Outro ponto bastante significativo que deverá sofrer uma mudança será o sistema de sensibilidade ao toque, totalmente melhorada nesta nova versão.

Ainda que não exista nenhuma data de lançamento confirmada pela Apple, o mercado espera que o novo iPad seja apresentado ainda em abril, mas já há novos rumores de que a Apple segure o lançamento para o próximo outono do hemisfério norte.

Por Felipe Santos Bonfim


Os futuros computadores da Apple deverão contar com um novo tipo de conexão sem fio. Batizado de 802.11ac ou “5G WiFi”, a conexão é a 5ª geração de padrões Wi-Fi e permite uma velocidade de transferência de dados bem maior do que a atual.

Quem descobriu os planos da Maçã foi uma equipe de desenvolvedores que já está trabalhando com uma versão Beta do Mac OS X Mountain Lion. De acordo com a equipe, uma referência explicita ao padrão 802.11ac Wi-Fi foi encontrada na nova versão do sistema operacional.

No ano passado alguns rumores indicavam uma parceria firmada entre a Apple e a Broadcom, uma empresa de eletrônicos e semicondutores norte-americana, para incluir uma conexão nova nos futuros Macs, e essa notícia vem apenas para confirmar os boatos.

O padrão novo se mostrou bem mais robusto e rápido que seu antecessor, 802.11n. Segundo a Broadcom, o 5G WiFi permitirá um alcance bem maior, com uma velocidade de transmissão que pode chegar a 1.3Gbps e ainda oferecer um consumo de energia menor.

Ainda que seja bastante inovador, os computadores da Apple não são os primeiros a contar com esta tecnologia. Em junho do ano passado, a Asus lançou um laptop e um roteador com o 5G Wi-Fi.

Por Felipe Santos Bonfim


No último dia 8 de abril a Apple começou a vender pela primeira vez em sua loja online oficial iMacs com tela de 27 polegadas remodelados.

A novidade chegou após quatros meses do lançamento dos modelos originais. A empresa também anunciou que as unidades terão 15% de desconto.

A grande alteração feita nos novos iMacs é o processo novo de laminação da tela para poder mantê-la ainda mais fina e com grande qualidade de imagem, mesmo ela sendo grande.  A loja online conta com vários modelos e os consumidores terão descontos de US$ 270 a US$ 400, aproximadamente R$ 540 e R$ 800 respectivamente, por produto.

A versão mais poderosa, e mais cara, conta com processador de 3.4 GHz, memória RAM de 8 GB e HD de 1 TB. Para completar, o modelo ainda carrega uma placa de vídeo NVidia GeForce proporcionando uma ótima qualidade de imagem e vídeo. Esta versão é vendida no site por US$ 1.900, algo em torno de R$ 3.800. O tempo de entrega dos aparelhos para os compradores dos Estados Unidos é de apenas três dias úteis.

Por Felipe Santos Bonfim


A mundialmente famosa Apple lançou essa semana o iPad 4. A nova versão do já consagrado tablet da maça chegou ao mercado apenas 7 meses após o lançamento do iPad 3. Poucas modificações no entanto foram feitas em relação a seu antecessor. A capacidade de processamento foi ligeiramente ampliada e a câmera contará com a tecnologia iSight, prometendo uma ligeira ampliação na qualidade (5 Megapixes).

O diferencial deste equipamento continua sendo a resolução da tela, chamada de tela Retina de 9,3polegadas, já presente no iPad 3, que apresenta uma definição de cores e imagem superior a grande maioria dos dispositivos disponíveis no mercado. Os concorrentes ainda não conseguiram lançar algo semelhante com preços competitivos. O sistema de som, apesar da pouca potência, apresenta nitidez e qualidade de sobra.

O sistema operacional continua o iOS 6. Há poucas diferenças que justifiquem a compra deste aparelho em detrimento do anterior, talvez só os mais fanáticos adoradores da maça queiram fazer a troca. O preço será de aproximadamente R$ 1.750,00 na versão com 16GB de armazenamento, seu irmão mais velho pode sair por até R$ 300,00 mais em conta.

Por Bruno Hardt


No final de fevereiro, o site Mashable divulgou uma notícia informando que o Instituto Brasileiro de Direito da Informática (IBDI) entrou com um processo contra a Apple referente ao iPad 3.

Apesar de a quarta geração do iPad ter agradado muita gente, muitos consumidores brasileiros ficaram descontentes com o anúncio do iPad 4 em outubro do ano passado. Isso, porque o lançamento aconteceu apenas sete meses depois de o iPad 3 ter sido anunciado.

Por isso, o IBDI resolveu processar a Maçã tendo em vista a obsolescência supostamente programada do iPad 3. De acordo com o Mashable, o Instituto Brasileiro afirma que a Apple deveria ter disponibilizado as atualizações liberadas no iPad 4 já no iPad 3 e por não ter feito isso acabou usando de uma forma desleal de negócio.

Segundo o que foi divulgado pelo advogado do IBDI, os consumidores compraram o iPad 3 tendo em mente que ele era um tablet de ponta, mas na verdade já era uma versão obsoleta, pois o iPad 4 provavelmente já estava com seu desenvolvimento bem avançado para ter sido lançado em outubro.

Se a Apple perder essa ação judicial, pode ser que pessoas que compraram um iPad 3 na época recebam alguma indenização ou bonificação para adquirir um iPad 4.

Por Guilherme Marcon


Segundo fornecedores de peças da Apple, o iPad 5 chegará ao mercado até junho deste ano, com um design renovado, parecido com o iPad mini. A informação sobre o novo visual do tablet vieram através de Steve W, da empresa MiniSuit, que cria cases para gadgets , que já está até criando uma capa exclusiva para o novo tablet.

Segundo a fonte, o iPad 5 será mais fino e mais leve do que o iPad 4 e uma tela de 9,7 polegadas com tecnologia Retina.

O novo iPad será apenas uma atualização do tablet da Apple, a novidade mais significativa da  empresa neste segmento foi com a chegada do iPad mini ao mercado, lançado ano passado, que conta com um aparência nova e tela de apenas 8 polegadas.

A Apple lança com muita rapidez novos modelos de tablets que apresentam poucas modificações no hardware, e isso vem causando problemas para a companhia. Quando a Apple lançou o iPad 4, vários usuários reclamaram por ele ter chegado ao mercado pouquíssimo tempo depois do lançamento do iPad 3. Recentemente, a Maçã foi processada  por prática de obsolescência programada com seus tablets.

Por Felipe Santos Bonfim


Apesar de ter sido lançado há pouco tempo, o iPad Mini já é alvo de algumas especulações com relação a sua nova geração, o iPad Mini 2.

Conforme o site CNET, um relatório de fornecedores de Taiwan da Maçã aponta que a AU Optronic já está produzindo a nova tela do iPad Mini 2 e ela teria uma resolução bem superior a do iPad 4.

Isso pode acontecer pelo fato de que surgiram diversas críticas ao iPad Mini, por ele integrar a linha de aparelhos iPad 4 e iPhone 5 e ter uma densidade de pixels de apenas 163 ppi. Assim, a Apple pode ter decidido investir bastante no display da versão mini do seu tablet, que viria com tela de 7.9 polegadas e resolução de 2048 x 1536 pixels, o que equivale ao dobro da primeira geração. Com isso, o iPad Mini 2 teria densidade de 324 ppi, ficando maior até que o recém-lançado iPad 4, que detém 264 ppi, e quase igual a do iPhone 5, que possui 326 ppi.

Apesar de nenhuma confirmação ter sido feita por parte da Apple, esses rumores mostram que a empresa realmente se mantém atenta às suas movimentações de mercado, pois desde que o iPad Mini foi lançado a demanda pelo produto se manteve alta. Assim, o lançamento de um novo tablet com maior resolução vai trazer muito mais sucesso para as vendas.

Por Guilherme Marcon


Segundo um relatório de fornecedores de peças de Taiwan, a próxima geração do iPad mini poderá contar com uma tela de Retina. Os boatos apontam para a AU Optronic como responsável pela fabricação das telas do novo tablet da Apple, que poderá ter uma ótima resolução, melhor ainda do que a do iPad 4.

Por ter sido lançado junto com o iPad 4 e o iPhone 5, ambos trazendo  tela de Retina de alta definição, o iPad mini recebeu diversas reclamações por trazer uma tela com somente 163 pixels por polegada.

Por esse motivo, a Apple teria decidido investir mais pesado na produção das telas do mini tablet, que traria uma tela de Retina de 7,9 polegadas e o dobro de resolução do primeiro modelo.

Com todas essas configurações de hardware, o novo iPad Mini terá densidade de 324 pixels por polegadas, maior do que a do iPad 4 que possui 264 ppi, e próxima à do iPhone 5 que tem 326 ppi.

Ainda que novo mini tablet não tenha previsão de lançamento, a Apple demonstra estar bem ligada na popularidade do aparelho. Desde o lançamento do iPad mini, que aconteceu em novembro do ano passado, a procura pelo produto se mantém bem elevada. Sendo assim, a nova geração do aparelho com uma tela bem melhor tem tudo para dar certo.

Por Felipe Santos Bonfim


De acordo com o site MacRumours, parece que a nova geração do Mac Pro deverá ser lançada no segundo trimestre deste ano. As informações foram transmitidas pela France Systèmes, revendedora francesa da Apple.

Conforme a divulgação, as vendas do Mac Pro serão encerradas no dia 1º de março devido à nova legislação do Regulamento IEC 60950-1, que passa a valer no mesmo dia. Essa legislação, que vale em todo o território da União Europeia, evidencia a maior necessidade com relação ao sistema elétrico dos PCs que são vendidos e o Mac Pro, da Maçã, infelizmente não está de acordo com as novas regras.

Além disso, de acordo com a fornecedora, a Apple estaria tentando alterar o hardware do seu aparelho para conseguir estar de acordo com a legislação o quanto antes. A informação foi repassada em um newsletter. No e-mail, está a afirmação que de a Maçã está desenvolvendo uma nova versão do seu computador e ela será lançada até o mês de julho deste ano.

Quem quiser adquirir o Mac Pro com as configurações atuais, pode fazê-lo via estoques das lojas autorizadas. Porém, espera-se que o PC esteja esgotado em todo o mercado europeu muito em breve.

Por Guilherme Marcon


Enfim foi confirmado a nova versão do iPad 4, da Apple, com capacidade de armazenamento interno de 128 GB. O gadget começou a ser vendido na loja online oficial da companhia.

Não há nenhuma diferença em questão de hardware e também de layout quanto ao iPad 4 de 64 GB ou menos, sendo somente o espaço para armazenamento maior. No mercado norte-americano, o tablet foi disponibilizado em duas versões, uma com apenas Wi-Fi e outra com Wi-Fi e 4G.

Conforme alguns sites na internet, a mudança de capacidade interna é devido à necessidade de especialistas em ter mais espaço para armazenamento de dados, principalmente pelo fato de o iPad ser um aparelho capaz de “aguentar” uma gama imensa de funções e programas que podem ser utilizadas por esses profissionais.

Confirmando os rumores de que a nova versão do dispositivo tem foco em “pessoas de negócios”, Philip Schiller (vice-presidente da Maçã) lançou uma nota oficial dizendo que agora as pessoas poderão utilizar ainda mais o iPad em seus negócios, tendo em vista a maior capacidade do aparelho.

O tablet com 128 GB não está disponível ainda para todos os países nos quais a Apple possui loja online, entretanto, isso deve ser expandido com o tempo. Infelizmente o Brasil é um dos países que ainda não podem comprar o gadget.

Por Guilherme Marcon


Após a Apple anunciar oficialmente o seu novo iPad 4 com capacidade de armazenamento de 128 GB, surgiram informações sobre o iPad 5.

Conforme o site 9To5Mac, que divulgou uma imagem da suposta nova traseira do tablet, o layout do iPad 5 será bastante semelhante ao do iPad Mini, o que confirmaria diversos rumores que vêm circulando na internet. A foto divulgada é supostamente proveniente de uma fabricante chinesa de acessórios para iPad.

Na imagem, podemos ver um design da parte de trás praticamente sem bordas e com um material igual ao do iPad Mini. Além disso, como pode ser observado na foto, há algumas fitas na traseira do suposto iPad 5 e isso pode indicar que há alguma novidade que pode ser lançada junto do aparelho, como algum novo sensor ou um flash diferenciado.

Alguns rumores também indicam que o tablet será bastante leve e fino, mas terá uma câmera mais poderosa que todos os antecessores. Entretanto, não há nenhuma informação concreta sobre o novo gadget, pois sequer sabe-se qual será o nome real do aparelho, tendo em vista que a Apple pode acabar não chamando-o de iPad 5. Mas é certo que a empresa lançará um novo tablet neste ano, provavelmente nos últimos três meses.

Por Guilherme Marcon


Há pouco tempo foram divulgados novos boatos sobre a nova geração do tablet da Apple, o iPad 5, sendo principalmente sobre a sua espessura.

Após o lançamento do iPad Mini, que detém uma tecnologia que permitiu a sua espessura ser menor, as especulações indicam que o iPad 5 poderá ser o tablet mais fino da Maçã até hoje. Isso aconteceria com a utilização da mesma tela aplicada no iPad Mini, a GF2 DITO, conforme informações divulgadas pelo Digitimes.

Além disso, parece que o novo iPad terá display com 9.7 polegadas e um design bastante semelhante ao iPad Mini, tendo em vista que este teve grande sucesso no mercado. As empresas que supostamente serão fornecedoras dos materiais para a nova tela do tablet serão a Nitto e a Nissa Printing. Já o revestimento do tablet será por conta da TPK, enquanto que os painéis serão de responsabilidade da Sharp e da LG.

O problema apontado junto dos rumores é que se a tecnologia for a mesma do iPad Mini, isso pode causar um valor alto a ser cobrado pelo iPad 5. Entretanto, de acordo com o Digitimes, a Apple já teria resolvido isso.

Por Guilherme Marcon


Recentemente, um grande jornal econômico japonês divulgou uma pesquisa que realizou sobre o mercado local de tablets. Conforme a divulgação, o iPad pode ter perdido a liderança do mercado no Japão para o Nexus 7.

De acordo com os resultados da pesquisa, o Nexus 7, tablet fruto da parceria entre Google e Asus, foi muito bem aceito pelos consumidores japoneses e, por isso, 44,4% dos entrevistados apontou que prefere ele e não o iPad, que ficou com 40,1%.

Entretanto, as entrevistas feitas não levaram em conta o iPad Mini, que foi lançado pela Apple no final do ano passado e teve suas unidades disponíveis para venda esgotadas. Ainda assim, uma das principais “características” que dá a preferência ao Nexus 7 é o preço, pois ele custa US$ 130 a menos que o iPad, o que equivale a mais ou menos R$ 260.

Como o Japão é um dos mais fortes mercados, se essa tendência se confirmar nos números de vendas, pode ser que o iPad tenha sua popularidade diminuída também no mundo todo. Porém, todos sabem que a intenção da Apple em lançar o iPad Mini foi a de ter um tablet mais barato e que penetrasse em um nicho um pouco diferente do iPad tradicional, dando uma margem de mercado maior para a Maçã.

O Nexus 7 tem previsão de chegar ao Brasil muito em breve, o problema é que seu preço não sai tão barato por não haver subsídios da Google. Assim, o novo tablet da Asus e da gigante das buscas será vendido por quase R$ 1.300.

Por Guilherme Marcon


Recentemente, surgiram informações de que os famosos Macbooks da Apple podem receber novos modelos ainda em 2013.

Essa informação foi divulgada na internet como dados obtidos de fontes anônimas e próximas aos fornecedores taiwaneses que são parceiros da Maçã.

Conforme o boato, no mês de junho deste ano devem chegar novas versões do Macbook Air e do Macbook Pro. Os novos aparelhos virão com grandes mudanças estruturais, porém, sem ter muita alteração no seu design.

Ainda há outros rumores de que os Macbooks Air também ganharão um processador novo, para melhorar a parte gráfica e o desempenho de energia dos computadores. Já os Macbooks Pro não tiveram muitas informações divulgadas, mas a expectativa é que o hardware também sofra alterações.

Entretanto, a informação mais comentada foi divulgada pelo DigiTimes, que fala sobre os preços dos dispositivos. De acordo com o site, a Apple baixará o preço dos Macbooks Air um pouco antes de anunciarem os novos modelos, o que seria algo “polêmico”, já que a Maçã dificilmente procede desta forma.

A Apple, como de costume, não se pronunciou sobre as informações e isso com certeza vai gerar novos rumores. Para ter certeza dos lançamentos, é só acompanhar os grandes eventos da empresa para ver se serão lançados ou não os novos Macbooks.

Por Guilherme Marcon


O ano passado foi sem dúvidas um ótimo ano para a Apple, que veio mostrando muita disposição em seus lançamentos.

A última notícia é que, de acordo com algumas fontes ligadas às fabricantes taiwanesas contratadas pela Maçã, os Macbooks poderão receber versões novas este ano. Tudo leva a crer que em junho o mercado receberá as novas versões dos Macbooks Air e Pro.

Os novos notebooks terão mudanças bem importantes na parte estrutural, mas talvez não ganhem uma reformulação em seus designs.

As informações que foram reveladas são que os Macbooks Air ganharão um processador novo, o que significa que teremos um aproveitamento energético e gráfico dos aparelhos muito maior ao apresentado atualmente. Já os Macbooks Pro não possuem grandes informações sobre as novidades que trarão, mas é bem provável que apresentem mudanças no hardware, possivelmente uma substituição da GPU. Mas a maior novidade, e sem dúvida a mais polêmica, está relacionada ao valor que será cobrado pelas versões atuais. De acordo com o site DigiTimes, alguns meses antes de apresentar oficialmente a nova versão dos notebooks, a Apple poderá baixar os preços da versão atual do Macbook Air. 

Por Felipe Santos Bonfim


Tratando-se de notebook sofisticado e altamente poderoso, o MacBook Air, da Apple, é qualidade e excelência em inovação e tecnologia. Considerado um dos melhores notebooks do mundo, a Apple não mede esforços em lançar programas e novos designs para a sua refinada linha de computadores.

O MacBook Air é de alta durabilidade e conta com uma potente bateria que funciona perfeitamente o dia todo. É um notebook fino e muito leve, com design arrojado e muito poderoso internamente.

Outras marcas tentam imitar os modelos da Apple, mas o MacBook Air é completo em todos os sentidos e conta com um teclado luminoso, permitindo aos usuários digitar de forma tranquila em lugares com baixa luminosidade e ainda há um sensor que faz mudanças no teclado de acordo com a iluminação do ambiente.

A Apple constantemente modifica o poderoso MacBook Air, ainda mais se tratando de processadores, que conta com o Intel Core i5 e i7, o que evita travamentos desnecessários do sistema.

O MacBook Air possui o sistema operacional mais potente do mundo – OS X Lion – que agora está com mais elegância e organização. Os programas do sistema OS X Lion são ágeis e executam tarefas incríveis, que na maioria das vezes, o usuário não precisa fazer quase nada, e a novidade é que o sistema é compatível com o Windows e também com os programas como: Word, Excel, PowerPoint e outros softwares mais utilizados.

Por Guilherme Paixão Campelo


Há pouco tempo, o site Netkas conseguiu descobrir que a próxima geração do Mac Pro poderá ter suporte para as placas Radeon HD 7000.

A descoberta foi feita por meio dos códigos do Mac OS X 10.8.3, indicando que as placas da AMD estão na listagem de itens de hardware suportados pela plataforma da Maçã. Entretanto, não faz muito tempo que a relação entre a Apple e a AMD ficou enfraquecida, pois aconteceram diversos problemas no fornecimento de hardware por parte da AMD, deixando a Maçã “na mão”, além dos contratempos com peças que superaqueciam. Assim, a empresa de Tim Cook resolveu cortar relações.

Só que com a revelação do suporte, provavelmente a Apple vai oferecê-lo oficialmente para as placas da AMD, dando a possibilidade de os usuários optarem por elas, caso tenham interesse. Mesmo assim, dificilmente a Apple confiará na AMD em questão do desenvolvimento em grande escala.

Conforme o site Softpedia, além da Radeon HD 7000, a lista de itens conta com a Radeon HD 7900 (utilizando a GPU Tahiti), que é, até então, a melhor placa de vídeo disponibilizada pela AMD, o que forneceria alto desempenho aos Macs Pro.

Por Guilherme Marcon


Há certo tempo surgiram alguns rumores de que a Apple estaria pensando em aplicar uma tecnologia própria de processadores nos seus iMacs e MacBooks, tal qual já é feito no seu smartphone (o iPhone) e no seu tablet (o iPad).

De acordo com novos boatos, algumas fontes próximas à Apple informaram que a empresa está buscando formas para aplicar seus processadores nas suas linhas de notebooks e PCs. Além disso, essas fontes afirmaram que os novos processadores já serão utilizados nas próximas remessas de aparelhos com a marca da Maçã.

Desde 2005, a Apple utiliza a tecnologia da Intel em seus processadores, porém, com o passar do tempo os computadores cada vez mais se parecem com smartphones e tablets. Nesse ramo, a Maçã possui muita experiência, além de tecnologia própria, o que poderia impulsionar a criação de tecnologias para os iMacs e MacBooks também. Tendo em vista que a Apple já cria chips com arquitetura ARM, a necessidade seria importa-los aos outros aparelhos.

Além disso, se a Maçã de fato tomar essa atitude, é muito provável que diversas outras empresas também comecem a desenvolver seus próprios processadores, pois a Apple é com certeza uma empresa “formadora de mercado”.

Sobre os rumores, o representante da empresa, Bill Evans, recusou-se a comentar, seguindo a política da companhia de não “responder” nenhum boato.

Por Guilherme Marcon


Com o lançamento do iPad Mini e do iPad 4, a Apple conseguiu atrair muitos consumidores, além dos “applemaníacos”. No primeiro final de semana de venda dos novos tablets, a Apple conquistou a marca de 3 milhões de unidades vendidas juntando os dois aparelhos.

O número alcançado foi divulgado oficialmente pela própria Maçã e mostra um número de vendas similar à quantidade vendida do Novo iPad, que vendeu 1.5 milhões de unidades no primeiro final de semana de vendas, em março de 2012.

Mesmo com as inúmeras críticas do preço alto do iPad Mini e do espaço de tempo muito curto entre o lançamento do Novo iPad e do iPad 4, o início de vendas de ambos os aparelhos foi um grande sucesso. Inclusive, a Maçã foi surpreendida pelo fato de que a quantidade de compras do iPad Mini excedeu a oferta inicial.

O iPad Mini vem nas cores preta e branca e com especificações como tela de 7.9 polegadas, conexão Wi-Fi e capacidade de armazenamento de 16 GB. O iPad 4 é duas vezes mais veloz que o Novo iPad e conta com 16 GB de armazenamento.

Até então somente modelos com conectividade Wi-Fi estão sendo vendidos, porém, a Apple prometeu que os aparelhos com 4G serão vendidos muito em breve.

Por Guilherme Marcon


Após atualizar a EFI (Extensible Firmware Interface) do MacBook com tela de retina, diversos consumidores da Apple relataram em fóruns que houve uma queda na performance do equipamento.

Segundo os consumidores, depois de atualizar o aparelho e realizar tarefas que exigem maior desempenho gráfico o sistema começou a apresentar diversas quedas na taxa de quadros por segundo.

As EFI dos MacBooks são iguais as BIOS dos computadores e, da mesma forma que acontece nas máquinas que trabalham com sistema Linux e Windows, elas servem para regular o funcionamento de diversos hardwares e diretrizes básicas.

O problema que os consumidores da Apple estão enfrentando é com a relação entre o chipset gráfico e a atualização. O bug tem maior frequência nos modelos com tela de retina e processador GeForce GT 650M. O problema acontece geralmente quando os usuários tiram o aparelho do modo de hibernação, usam o Windows em Boot Camp ou jogam games.

Até o momento, não existe nenhum parecer da Apple em relação ao assunto, mas alguns sites, como por exemplo o Electronista, revelam que este problema pode ser proposital. O site alega que a Apple estaria pensando em diminuir o poder dos chips para conseguir baixar a temperatura dos computadores quando os mesmos estão realizando trabalhos mais pesados. Outra teoria revela que a nova EFI não se comunica direito com os sensores térmicos e que por esse motivo eles são desacelerados na hora errada.

Por Felipe Santos Bonfim


A Apple acaba de liberar um update para os MacBooks que foram fabricados este ano. Desde o meio do ano, a companhia não lança nenhuma atualização para seus notebooks. A nova versão do sistema traz correções para as falhas e apresenta melhorias no desempenho gráfico do sistema operacional. Além disso, ela oferece maiores possibilidades de comunicação através de aparelhos USB.

A companhia não revelou quais foram os motivos para que ela lançasse esta atualização, porém, recentemente vários consumidores começaram a relatar problemas com a tela, que começava a piscar na hora de iniciar o sistema.

Sendo assim, é recomendado que todos os consumidores que possuem um MacBook fabricado em 2012 façam o download do update.

A atualização já está disponível através do "Apple Software Update" e do "Apple Support Downloads".

Recomenda-se fazer um backup de todo os arquivos do computador antes de prosseguir com a atualização do sistema.

Por Felipe Santos Bonfim


A Apple está com várias novidades, recentemente ela apresentou diversos aparelhos novos para para seu catálogo. Mas não foram só dispositivos que a companhia revelou, pois a versão mais recente do iOS da Apple ganhou um recurso novo de prevenção a toques ocidentais.

Agora, o sensor do display dos aparelhos da Maçã são capazes de identificar se a pressão sobre a tela é ou não ocidental.

Ao que parece esta alteração foi feita para conseguir atender as características do novo iPad Mini, que conta com uma moldura bem mais fina comparada a moldura da versão padrão, o que aumenta a probabilidade de utilizar as extremidades do display ocidentalmente. No entanto, mesmo com esta nova solução se os usuários segurarem o iPad Mini com os dedos na parte de cima da tela, é possível utilizá-lo sem nenhum problema. Bem diferente do iOS 5, onde o recurso de rolagem era bloqueado.

Foi a equipe do site DownloadBlog que mostrou a novidade. A galera do site comparou dois iPhones, onde um contava com o iOS 5 e o outro com o Ios 6, e afirmou que esta mudança envolve todos os produtos da Maçã.

Por Felipe Santos Bonfim


Junto do lançamento do novo iPad Mini, a Apple surpreendeu e anunciou também uma atualização para o Novo iPad. Esta é a quarta geração do tablet da Maçã, que se manteve com Retina Display e tela de 9.7 polegadas.

A nova geração do Novo iPad seguiu a linha do iPhone 5, com melhor sistema operacional (iOS 6), melhor processador e novo conector. Entretanto, a bateria, o design e a interface do tablet permaneceram iguais à sua terceira geração.

O novo modelo do iPad ganhou o conector Lightning de 8 pinos, processador mais potente (A6X) e compatibilidade expandida com o 4G. Com isso, agora o iPad também é compatível com a rede LTE. Além disso, houve uma atualização na câmera FaceTime que agora possui qualidade HD.

A alteração de conector causa uma grande diferença na utilização dos acessórios, pois anteriormente os aparelhos da Maçã possuíam conector com 30 pinos. Entretanto, os usuários não precisam se preocupar tanto, pois a Apple disponibilizou um adaptador que torna os acessórios compatíveis com o conector de 8 pinos.

O valor da quarta geração do iPad é o mesmo da terceira geração, sendo que o modelo com apenas Wi-Fi sai por US$ 499 e o modelo com LTE custa US$ 629.

O iPad terá sua pré-venda iniciada no dia 26 de outubro.

Por Guilherme Marcon


No dia 23 de outubro, a Apple anunciou o seu mais novo MacBook Pro com tela de 13 polegadas. O peso do aparelho é de aproximadamente 1.6 kg e sua arquitetura é 20% menor que a outra versão com o mesmo tamanho, mas sem Retina Display.

A tela da nova versão possui 227 pixels por polegada e 2560 x 1600 pixels de resolução, que é uma das principais características do aparelho. Em questão de configurações, algumas delas são semelhantes ao MacBook Pro com 15 polegadas e Retina Display, como por exemplo, o design fino (omitindo o driver óptico).

O painel é um modelo IPS com 178º de inclinação, 300 nits de brilho, 75% menos reflexos e taxa de contraste de 29% a mais do que seu irmão. Além disso, mesmo possuindo um tamanho reduzido se comparado ao seu irmão mais velho, o novo MacBook possui duas portas USB 3.0, entrada HDMI e entradas Thunderbolt, como o MacBook com 15 polegadas. Não bastasse isso, a câmera do novo aparelho é uma FaceTime HD, com resolução de 720p para gravações de vídeos, speakers estéreos e dual microfone.

Entretanto, não há uma placa gráfica potente por causa do tamanho menor, o que pode causar dificuldades ao usuário. Além disso, não há memória RAM de 16 GB com processador de quatro núcleos, sendo que a versão mais barata do MacBook Pro com 13 polegadas possui processador de dois núcleos com memória RAM de 8 GB.

Os preços do novo notebook da Apple iniciam em US$ 6.999, na versão com processador Intel Core i5 (com dois núcleos e 2.5 GHz) e 128 GB de capacidade de armazenamento. Já o modelo com 256 GB sai por US$ 8.299.

Por Guilherme Marcon


O dia 23 de outubro foi um momento de vários lançamentos da Apple. No evento realizado nos Estados Unidos, a Maçã apresentou novidades ao mercado mundial. Além do iPad Mini, do iPad de quarta geração, do MacBook Pro de 13 polegadas e do iMac com 5 mm de espessura, a empresa anunciou uma versão atualizada do seu Mac Mini.

A nova versão do Mac Mini trata-se da primeira atualização da linha desde o seu lançamento no ano de 2011. A nova geração conta com processador Ivy Bridge da Intel e seu preço inicial é US$ 599.

O novo Mac Mini foi lançado com o slogan “Ainda mais poderoso. Ainda mais acessível”, pois agora o aparelho está duas vezes mais rápido que sua versão antiga. Além do processador poderoso, o dispositivo possui também entrada Thunderbolt, para conexão de periféricos de alta velocidade, sistema operacional OS X Mountain Lion e o servidor compacto OS X Server. Além disso, qualquer modelo do Mac Mini conta com quatro portas USB 3.0, entrada HDMI e Ethernet, receptor de cabo infravermelho, compatibilidade com Wi-Fi, Bluetooth 4.0 e também a famosa placa gráfica Intel HD Graphics 4000 – tal qual o novo MacBook Pro com 13 polegadas.

Foram anunciados dois modelos para o Mac Mini, que já podem ser adquiridos. A versão mais barata é a que possui processador Core i5 de dois núcleos com 2.5 GHz, 500 GB de capacidade de armazenamento e memória RAM de 4 GB, que sai por US$ 599 (ou R$ 2.499 no Brasil). Já, a versão mais cara sai pelo preço de US$ 999 (ou R$ 3.399 no mercado brasileiro), contando com um processador Core i7 com quatro núcleos e 2.3 GHz, além de dois drives com 1 TB de armazenamento.

Por Guilherme Marcon


No início do mês de outubro, a Apple lançou uma nova versão do seu MacBook Pro, que veio em homenagem a Steve Jobs, pois seu falecimento ocorreu há um ano.

A versão limitada do MacBook Pro é toda feita na cor preta e foi colocada no símbolo da Apple a silhueta de Steve Jobs. Por ser uma versão limitadíssima, somente três unidades do ultrabook foram confeccionadas. As três foram desenvolvidas pelo designer Jonathan Mak, que assina cada unidade. Além da assinatura do designer, os três modelos limitados possuem certificados de autenticidade numerado, localizados na parte inferior do produto.

As características dessa versão em homenagem ao fundador da Apple são: memória RAM de 16 GB, capacidade de armazenamento interno de 750 GB, processador com 2.7 GHz e tela com tecnologia Retina Display. As três unidades produzidas dessa versão limitada nem serão enviadas às lojas e todo o valor da venda será doado para organizações do Terceiro Setor escolhidas pela Maçã.

A princípio os três MacBooks Pro serão vendidos na Europa, mas qualquer comprador de qualquer local do mundo pode adquiri-los. O valor é bastante alto, sendo de 9.500 euros, o equivalente a mais ou menos R$ 25.100.

Por Guilherme Marcon


Mesmo que nada tenha sido confirmado pela Apple sobre o lançamento de uma nova versão de seu tablet, chamada de iPad Mini, várias informações vem sendo divulgadas na internet.

O novo rumor indica que a Apple encomendou 10 milhões de unidades do novo tablet aos seus fornecedores asiáticos. Além disso, conforme o boato, o lançamento da nova versão do iPad deve chegar às lojas no último trimestre deste ano.

Com certeza, se isso for confirmado, será uma chegada triunfal do iPad Mini, tendo em vista que o valor mencionado é o dobro do que a Amazon encomendou com o lançamento do Kindle Fire 2. Assim, pode ser que a Apple esteja certa que irá derrubar seus concorrentes com 7 polegadas de tela.

O jornal The Wall Street Journal tentou contato com a Maçã, porém, a empresa se recusou a dar informações a respeito do novo iPad Mini. Entretanto, com certeza o lançamento desse novo modelo alavancaria as vendas de tablet da companhia e ajudaria a segurar a queda da participação de mercado da Apple no nicho de tablets, que em 2010 era de 84% e agora é de 69,6%.

Por Guilherme Marcon


Um tribunal do reino Unido determinou vitória para a Samsung, em batalha judicial de patentes contra a Apple. A empresa de Steve Jobs acusava a rival de copiar o IPad, ao lançar o tablet Galaxy Tab.

A Alta Corte da Grã-Bretanha se posicionou favorável à Samsung, alegando que apesar das semelhanças, o IPad ainda é bastante diferente do Galaxy, não justificando a denúncia de plágio, tampouco sendo possível confundir os dois produtos das diferentes empresas.

A decisão foi em julho, a Apple entrou com um recurso, e o Tribunal da Grã-Bretanha acaba de a decisão contrária à acusação, instruindo a Apple a publicar, em sites e jornais impressos, a afirmação pública de que a Samsung não plagiou o iPad.

A Samsung se pronunciou com um comunicado, afirmando que segue acreditando que a Apple não foi a primeira empresa a projetar um tablet retangular, com bordas arredondadas.

A decisão é válida não só para o Reino Unido, como em toda a Europa, mas a Apple, bastante apegada às suas patentes e constantemente investindo altas quantias em novos registros, ainda poder recorrer da decisão, para o Tribunal Supremo.

Por Matheus Camargo


Mais uma notícia interessante movimenta o mundo das tecnologias e inovações, pois a Apple (empresa especializada na fabricação e comércio de produtos tecnológicos) parece estar prestes a lançar sua mais nova criação: o iPad Mini.

Estas especulações surgiram porque a Apple enviou um convite à imprensa para um evento especial da organização que irá acontecer no dia 23 de outubro de 2012.

Este evento para apresentar o iPad Mini – com tela de apenas 7,85 polegadas – terá início às 10 horas da manhã, na cidade de San Jose, no estado americano da Califórnia.

A criação deste pequeno tablet pela Apple surge no momento em que estão disponíveis no mercado aparelhos como este mais baratos sendo oferecidos, principalmente pela Amazon e Google. Deste modo, o iPad Mini vem com a missão de acabar com essa possível ameaça ao domínio da Apple no ramo de computadores de mão.

Deste modo, se você deseja obter um tablet com a tecnologia e fama da Apple a preços mais acessíveis, é preciso esperar apenas mais um pouco, já que na próxima semana, o mundo todo conhecerá o iPad Mini que estará nos próximos meses sendo comercializado em todas as lojas de eletrônicos do mundo.

Por Ana Camila Neves Morais


Até o momento a Apple não deu nenhum indício sobre a existência do iPad Mini, mas ao que tudo indica o novo modelo deverá ter um grande lançamento muito em breve.

Segundo fornecedores de peças da Ásia, a Apple teria encomendado 10 milhões de unidades do iPad Mini, que deverá chegar ao mercado no último trimestre deste ano. O número é quase o dobro das encomendas que a Amazon fez para seu novo tablet, o Kindle Fire 2. Isso significa que a fabricante está bem confiante quanto ao sucesso de vendas do produto e de que ele vencerá facilmente seus concorrentes.

Mesmo com a presença de aparelhos como o Nexus 7, tudo leva a crer que será forte a demanda pelo novo modelo do iPad, até mesmo quem não é tão fã dos produtos da companhia de Cupertino deverá ficar encantado com o novo tablet.

Ao ser contatada pelo jornal The Wall Street Journal, a Apple se negou a falar sobre o assunto. A companhia em 2010 dominava o segmento de tablets com 84% da indústria, porém, hoje ela conta com apenas 69,6% das vendas deste tipo de produtos. Com o lançamento do iPad Mini a fabricante deverá conseguir diminuir a queda de sua participação no mercado no segmento de tablets.

Por Felipe Santos Bonfim


Uma versão do Macbook Pro com tela de retina de 13,3 polegadas irá ser lançado em breve. Segundo o site CNET, a Apple tem planos de lançar, nos Estados Unidos, a nova edição de seu notebook e espera que isso aconteça até o final do ano, a tempo do natal e ano novo.

Rumores apontam que a versão do MacBook Pro com tela de 13,3 polegadas está sendo fabricada para o quarto trimestre.

Ainda de acordo com os boatos, alguns apontam para o anúncio do computador após a revelação do iPad Mini, a nova versão com tela menor do novo iPad. No que diz respeito as especificações técnicas a única informação é que o produto terá resolução de 2560×1600, muito mais pixels se comparado a versão atual.

Da mesma forma que aconteceu com o Macbook Pro de 15 polegadas, a Apple deverá vender o novo modelo com um preço bem diferente ao cobrado pela versão tradicional, que não conta com tela de Retina.

Alguns sites afirmam que a produção do Macbook Pro com tela de  13 polegadas está sendo feita a todo vapor, para conseguir garantir a entrega do aparelho no prazo estabelecido.

Até o momento, a Apple não se pronunciou sobre o assunto, por esse motivo nada a respeito do produto foi confirmado ainda.

Por Felipe Santos Bonfim


Recentemente, surgiram mais indícios de que o tão comentado iPad Mini será mesmo revelado nas próximas semanas. Alguns funcionários de fábricas que prestam serviços para a Apple, afirmam que o tablet já está sendo produzido. As informações vieram através do The Wall Street Journal, que ainda afirmou que o dispositivo terá tela de 7,85 polegadas, mas não contará com tela de Retina igual ao novo iPad.

Vários boatos sobre o começo da produção do iPad Mini iniciaram está semana, após o site japonês Macotakara ter revelado que o aparelho está sendo produzido pela fábrica da Foxconn no Brasil. Ao contrário do site japonês, o The Wall Street Journal afirma que o tablet está sendo fabricado na Ásia e não na América do Sul.

Fontes de empresas que estão trabalhando para a Apple na região deram uma entrevista para o jornal e afirmaram que o novo aparelho está mesmo sendo fabricado na Ásia. Além disso, as fontes ainda falaram que os boatos referentes ao tamanho do dispositivo e a qualidade de imagem são mesmo reais.

Alguns rumores apontam que o aparelho será revelado ainda este mês e que todos os convites seriam enviados para os convidados até o dia 11 de outubro. O evento aconteceria no dia 17 de outubro.

Por Felipe Santos Bonfim


De fato o iPad da Apple causa grande movimentação na mídia, sendo que o Novo iPad foi anunciado neste ano, no mês de março, e já ganhou diversos rumores sobre uma nova versão com tamanho reduzido, o iPad Mini. Porém, agora a informação da vez fala sobre a próxima geração do tablet, o iPad 4.

As informações divulgadas especulam algumas características bem interessantes para o novo tablet. Uma delas é um novo display widescreen que possui configuração de 16:9. Essa tela será de qualidade semelhante à do iPhone 5, que são tecnologias utilizadas nas TVs com alta definição.

Outro rumor interessante é que o novo tablet da Maçã teria o corpo feito de fibra de carbono e a tela seria flexível. Isso, porque conforme o site Unwired View, a Apple enviou documentos sobre uma patente de telas flexíveis que possuem reprodutores de áudio. Com relação à fibra de carbono, alguns sites divulgaram que a fabricante do iPad têm encomendado vários componentes feitos em fibra de carbono, que provavelmente será utilizado no iPad 4 ou até no iPhone 6. Mas a possibilidade de a fibra de carbono ser utilizada no iPad 4 é maior, pois em 2010 a Apple registrou patentes que apontam a utilização do composto para deixar o iPad mais resistente e mais leve.

Além disso, há rumores de que já existam até protótipos do iPad 4, criados pela Apple, para testar essas tecnologias. Mas, é claro, ainda é muito cedo para que as informações sejam de fato confirmadas.

Por Guilherme Marcon


Caso existisse um prêmio para segredos mal guardados, a Apple seria a ganhadora em todas as modalidades. Isso foi comprovado em seu último lançamento, o iPhone 5, que teve todas as suas características e design expostos antes do lançamento.

Mantendo essa tradição, a empresa da Maçã deixou escapar novamente imagens de um novo produto, desta vez, do iPad Mini.

Recentemente, o portal Bolopad, da China, postou 3 fotos que seriam do novo aparelho da Apple ou algum tipo de imitação do equipamento.

Segundo alguns portais especializados no segmento, o iPad Mini já estaria sendo fabricado pela Pegatron, companhia localizada em Taiwan.

De acordo com o que se viu nas imagens, o equipamento apresenta tela de 7,85 polegadas e conector de dados Lightning. Fora isso, as fotos mostram um iPad com alguns alto-falantes na parte de baixo, uma câmera frontal e outra traseira. Há ainda o símbolo da Apple impresso na parte de trás. Mais um detalhe observado é que a página inicial do iOS não emite nenhuma luz, o que indica que pode ser uma foto colada no painel. Desta forma, nota-se que alguém pegou apenas os chassis do aparelho e, na tentativa de fazer uma cópia idêntica para distribuir à mídia especializada, fez uma montagem para exibir como seria o iPad Mini com toda a sua configuração.

Por Marcelo Araújo


No começo do mês de agosto, alguns rumores diziam que a Apple iria acrescentar à sua lista de produtos uma versão do MacBook Pro com tela de Retina de 13 polegadas. Agora, novas informações surgiram e pode ser que isso realmente seja verdade.

As novas informações revelam que os displays mais modernos da Apple já estão sendo fabricados junto com a versão menor do notebook da companhia. As novas telas estão sendo produzidas desde o início do terceiro trimestre de 2012 pela LGD, Sharp e Samsung.

O lado bom da tela de Retina é a grande densidade de pixels, que é capaz de reproduzir conteúdos com resolução de 2880×1800. Os resultados são imagens com muito mais nitidez e cores mais vibrantes.

Outro lado positivo é o preço do novo produto. Como era de se esperar, o valor da nova versão do MacBook Pro com tela de Retina deverá ser mais baixo.

Levando em consideração que o produto começou a ser produzido há certo tempo, a expectativa é que a Apple lance a nova versão do notebook entre setembro e dezembro de 2012, inicialmente nos Estados Unidos.

Por Felipe Santos Bonfim


O novo iPad conseguiu bater recordes de vendas nos Estados Unidos e no Brasil e superou até o seu antecessor. Foi pensando em todos os fãs da Apple que adoram as novidades que a Macally, empresa especializada na fabricação de acessórios para smartphones e computadores com designs diferentes, resolveu lançar no mercado nacional a CoverMate, um case desenvolvido para proteger a última versão do iPad.

A capa é feita de um material dobrável que permite que o usuário apoie o aparelho em uma posição mais agradável para assistir filmes, digitar textos e fazer videochamadas. O design do case é totalmente exclusivo e conta com propriedades acústicas com um ótimo amplificador para otimização da saída de áudio do aparelho.

A CoverMate também possui uma base rígida bastante durável,  que oferece maior proteção ao dispositivo  e uma tecnologia que bloqueia o acesso do aparelho quando a capa é fechada e desbloqueia quando ela é aberta. Além disso, o case conta com garantia de 1 ano.

Os produtos da Macally contam com certificado da Apple, o Mad for iPod/iPhone, o que garante que a companhia lance seus produtos quase junto com os dispositivos da Apple.

Por Felipe Santos Bonfim


Desde que o Novo iPad foi lançado, muitas especulações começaram a surgir sobre um suposto iPad Mini. Isso, pelo fato de diversas empresas começarem com estratégias de lançar tablets menores e com preços mais baixos, como o Nexus 7 da Google e o Galaxy Tab da Samsung. Mesmo que muitos veículos da mídia e internet já tenham adiantado que a Apple lançará um novo tablet com 7 polegadas de tela no dia 12 de setembro, na conferência que será realizada, a companhia não se pronunciou sobre as notícias.

Conforme Amit Daryanani, membro do Grupo RBC Capital Markets, os fornecedores da Apple indicam que algum outro produto será lançado junto do iPhone 5 no evento que acontecerá em breve. Mesmo assim, não está claro se realmente será o iPad Mini ou se uma nova versão do iPad atual será anunciada. As informações que têm ganhado força são de que a Apple lançará um tablet custando algo em torno de US$ 300 (R$ 615 sem impostos), pois assim aceleraria a penetração de mercado do iPad.

Porém, recentemente começaram a surgir indícios de que o lançamento de um iPad Mini pode atrapalhar o Novo iPad. Isso, porque o principal impacto negativo do lançamento de uma versão menor e mais barata do produto, é acabar canibalizando a venda do modelo tradicional, que é mais caro.

Com isso, a dúvida sobre o suposto lançamento de um iPad Mini fica ainda mais confusa, tendo em vista que a Apple jamais gostaria que seu produto fosse canibalizado, a não ser que a empresa esteja desenvolvendo uma estratégia muito boa de lançamento.

Por Guilherme Marcon


Muitos usuários dos computadores da Apple ficaram com dúvidas sobre a possível atualização do sistema operacional. Essas dúvidas surgiram devido ao anúncio da chegada da nova versão do Mac OS X, a Mountain Lion.

Agora, para poder responder às dúvidas dos consumidores, a fabricante revelou a lista dos aparelhos compatíveis com a nova versão da plataforma Mac OS X.

Vale ressaltar que a Apple não disse que os antigos modelos não receberão a atualização, mas é provável que o hardware destes aparelhos não seja suficiente para rodar a nova versão do sistema de maneira totalmente satisfatória.

A lista oficial publicada pela Apple indica que os modelos que receberão a atualização do sistema operacional por enquanto são os seguintes:

  • Xserve: modelos lançados a partir de 2009;
  • Mac Pro: modelos lançados a partir de 2008;
  • Mac Mini: modelos lançados a partir de 2008;
  • MacBook Air: modelos lançados a partir de 2008;
  • MacBook Pro: modelos lançados a partir do segundo semestre de 2007;
  • MacBook White: modelos lançados a partir de 2009;
  • MacBook de alumínio: modelos de 13 polegadas lançados a partir de 2008;
  • iMac: modelos lançados a partir de 2007.

Outros modelos de dispositivos podem ser anunciados como receptores da nova plataforma, porém nada foi anunciado até o momento.

Por Guilherme Marcon


De acordo com o site DigiTimes, a Apple provavelmente iniciará a produção em larga escala dos novos iMacs ainda neste mês de julho. Isso, porque é muito provável que sua linha seja lançada no máximo até outubro deste ano.

Há rumores na mídia de que a Apple incluirá a tecnologia de Retina Display na nova versão do iMac, devido ao tamanho sucesso das novas telas no iPad e no MacBook Pro, mesmo que neste tenham acontecido alguns contratempos. A Apple, como de costume, não confirmou a informação.

Além disso, ao que parece a Maçã pretende começar a inserir as telas de Retina Display em todos os seus aparelhos para ganhar vantagem competitiva perante a concorrência, pois as outras fabricantes ainda se limitam ao Full HD. Porém, a justificativa que é dada para tal seria o alto custo da tecnologia e a pouca compatibilidade dos aplicativos com altas resoluções, principalmente em questão de games, o que resultaria em um aparelho mais caro com performance pouco “aproveitada”.

Provavelmente se a Apple lançar os iMacs com Retina Display os seus preços subirão, mas com certeza haverá um modelo que mantenha os padrões de valores, mesmo com a tecnologia revolucionária de tela.

Por Guilherme Marcon


Com o lançamento do novo MacBook Pro dotado de tela de Retina, muitas pessoas foram rápidas ao adquirir um modelo do aparelho. Porém, o problema é que várias delas começaram a reclamar que o display apresenta uma “falha com sombras”. Isso, porque quando o usuário utiliza apps que precisam de alto contraste, após fechá-los, fica uma espécie de sombra na tela representando os contornos do aplicativo encerrado, que só desaparece após cinco minutos.

O novo dispositivo foi lançado há apenas duas semanas e já foram feitas várias reclamações sobre essa sombra que permanece.

O site Apple Insider fez um comentário sobre o problema afirmando que pode ser que ele esteja presente em muito mais máquinas, mas que nem todo mundo percebe, pois em vários casos a sombra é tão sutil que passa despercebida.

Um usuário postou um vídeo no YouTube mostrando o problema acontecendo no seu MacBook Pro. Os relatos de vários consumidores são de que, ao procurar a assistência técnica da Apple, eles receberam um aparelho novo em troca, o que mostra que a empresa está ciente do que vem acontecendo.

Por Guilherme Marcon


O novo MacBook Pro da Apple foi anunciado no dia 11 de junho, segunda-feira, durante a Worldwide Developers Conference 2012, em São Francisco, e já está disponível para compra na Apple Store brasileira. O problema disso é que o novo aparelho pode chegar a quase R$ 16 mil em suas configurações máximas, o que se torna algo extremamente caro para o mercado brasileiro.

O preço inicial do novo MacBook Pro com configurações mais básicas é US$ 2.199 (cerca de R$ 4.400) nos Estados Unidos, sendo que no Brasil o mesmo modelo sai por R$ 9.999.

Logicamente, por mais que seja extremamente caro, o modelo do novo notebook da Apple em suas configurações mais avançadas chama muita atenção, pois ele vem com tela com Retina Display de 15 polegadas, capacidade de armazenamento em SSD de 768 GB, processador Intel Ivy Bridge Core i7 com quatro núcleos e 2.3 GHz, processador gráfico NVIDIA GeForce GT 650M e Intel 4000 com 1 GB de memória GDDR5, e memória RAM de 8 GB. Além dessas configurações, o novo MacBook Pro ainda vem com bateria que dura até 7 horas, slot para cartão SD, conexões HDMI, Thunderbolt e USB 2.0 e 3.0, compatibilidade com Bluetooh 4.0 e Wi-Fi 802.11n.

Independente do modelo escolhido do novo notebook na Apple Store, o frete é grátis para os consumidores brasileiros.

Por Guilherme Marcon


Durante a WWDC (Worldwide Developers Conference) 2012, a Apple apresentou os novos Macbooks Air que continuam ultraleves, mas agora capazes de competir frente a frente com os ultrabooks que estão surgindo no mercado.

Além deles, também foram anunciados os novos Macbooks Pro, que chamaram muita atenção por agora possuírem a famosa tela Retina Display.

Detendo essa tecnologia, a super-resolução do novo iPad passará para o notebook da Apple, chegando a 2880 x 1800 pixels. O aparelho também apresenta a exuberante densidade de 220,5 pixels por polegada, o que representa 5,1 milhões de pixels. E, para dar conta de tal resolução, a Apple também anunciou novas versões para alguns de seus aplicativos, como o Final Cut, o iPhoto, o navegador Safari e o Mail.

Tanto a resolução como a densidade de pixels do novo Macbook Pro ultrapassam os valores encontrados nos melhores aparelhos do mercado, como o Asus Zenbook Prime e o Sony Vaio Z 13.1.

O novo Macbook Pro já está sendo vendido nas lojas dos Estados Unidos pelo valor de US$ 2.199, mais ou menos R$ 4.400 sem impostos. Ainda não há informações sobre o seu lançamento no Brasil.

Por Guilherme Marcon


Segundo o site 9to5Mac, a assistente pessoal Siri, presente no iPhone 4S da Apple, será lançada para os notebooks da empresa e poderá ser acionada através da combinação de algumas teclas. Porém, o código que foi encontrado na nova versão do sistema operacional da Apple mostra que a ferramenta ainda está em fase de testes, o que mostra que nada foi confirmado ainda pelos desenvolvedores da companhia.

Ao contrário da Siri do iPhone, que oferece diversas funções aos usuários, o recurso que estaria presente no OS X Mountain Lion teria apenas a função de ditado, ou seja, ao pressionar as teclas seria possível ditar no lugar de escrever. Além disso, rumores ainda apontam que os novos notebooks chegarão ao mercado com tela de retina, para atrair os consumidores que buscam imagens perfeitas, o que seria uma estratégia para que os donos atuais de Macbooks viessem a comprar os novos modelos.

Até o momento, nenhuma informação sobre configurações, preço e data de lançamento foram reveladas pela Apple, sendo assim, só resta esperar que a empresa faça algum pronunciamento oficial confirmando ou não os rumores.

Por Guilherme Marcon


Recentemente a Apple disponibilizou a atualização do iOS para a versão 5.1.1, que é voltada para usuários de iPads, iPods Touch e iPhones, e veio apenas alguns meses após o iOS 5.1 ter sido lançado.

Uma das principais novidades dessa atualização é que foram corrigidos os erros que estavam acontecendo no AirPlay com relação à reprodução de vídeos, pois aparecia constantemente a mensagem de “Unable to purchase” quando os consumidores tentavam comprar algum aplicativo para o seu aparelho.

A nova versão do iOS teve como prioridade a correção de erros e alguns ajustes na interface, como a melhoria na opção HDR nas fotos tiradas através do atalho na tela bloqueada do aparelho.

Além disso, a falha no novo iPad que o impedia de acessar alternadamente as redes 2G e 3G, bug que vem desagradando muitos usuários em todo o mundo, foi totalmente corrigido com essa nova versão do sistema operacional da Apple.

Há relatórios que indicam que o upgrade do sistema operacional também trouxe melhorias na autonomia das baterias, além de “dicas” de que o próximo iPhone virá com suporte para a rede 4G – o que não seria grande novidade, tendo em vista que a maioria dos aparelhos mais potentes da atualidade já possui este suporte.

Por Guilherme Marcon


Conforme divulgação oficial da Apple, a próxima WWDC (Worldwide Developer Conference), que é um dos maiores eventos da empresa, acontecerá entre 11 e 15 de junho deste ano. E tendo em vista que sempre é lançada alguma novidade nesse evento, seja hardware ou software, é bem provável que algum novo equipamento seja apresentado. A maior aposta dos rumores que circulam na mídia é um novo MacBook Pro.

Ao que tudo indica, o novo iPhone não será lançado em junho, muito menos o iOS 6, pois o que se espera é uma atualização no iOS 5 e alguma atualização do OS X Mountain Lion.

Ainda, os rumores apontam que a WWDC 2012 será o momento perfeito para o lançamento da próxima geração de MacBooks Pro, que supostamente virá equipada com o Ivy Bridge da Intel, tela de alta definição de Retina, SSDs no lugar de discos rígidos, trackpad maior, espessura menor (se aproximando do MacBook Air) e chips gráficos da AMD.

Com certeza a Apple não divulgará nada antes do evento, sendo assim só nos resta acompanhar se alguma informação mais concreta seja revelada sobre o que será anunciado no evento.

Por Guilherme Marcon


Depois da grande onda do vírus Flashback nos computadores Mac, muitas análises e pesquisas foram desenvolvidas em torno da questão de malwares para este dispositivo da Apple. Com isso, a Macworld resolveu descobrir o número de usuários Mac que possuem algum software antivírus instalado no seu aparelho.

O resultado não foi nada positivo, pois mais da metade dos donos de computadores Mac não utilizam antivírus na sua máquina, mesmo após a grande ameaça do Flashback.

A pesquisa apontou que, dos 1106 entrevistados, apenas 470 disseram que possuem algum antivírus instalado. Destes, somente 2,4% afirmaram que o programa detectou o trojan Flashback, enquanto que menos de 4% dos entrevistados foram atrás de alguma proteção para seu computador depois de saberem da existência do recente malware, que infectou mais de 600 mil computadores.

Entre os 636 entrevistados que afirmaram não possuir software antivírus instalado, 21,7% disse que sequer pretende ir atrás de algum programa e 13,9% afirma que é inteligente o suficiente para não instalar nenhum vírus na sua máquina.

Várias empresas, como a Kaspersky, já disponibilizaram ferramentas para a identificação e remoção do Flashback dos computadores, então basta procurar alguma e fazer o seu download gratuito, para limpar a sua máquina e mantê-la mais segura.

Por Guilherme Marcon


A constante busca das fabricantes para produzir aparelhos cada vez melhores é um fato evidente e que aquece o mercado tecnológico. Um grande exemplo de empresa que busca sempre por tecnologias inovadoras para agradar a seus consumidores é a Apple. Ao que tudo indica, a empresa está prestes a lançar um tablet com tela bem menor a que estamos acostumados a ver no iPad, justamente para conquistar um outro nicho de mercado.

O analista financeiro da Sterne Agee, Shaw Wu, com base em evidências colhidas desde 2009, afirma que a Apple irá lançar uma nova versão de seu tradicional tablet, mas com tela de 4 a 9,7 polegadas. Ainda, o analista disse à revista americana Forbes que um iPad mini com preço menor iria ser um pesadelo para a concorrência.

Conforme alguns boatos, o lançamento de um tablet como o iPad, mas com preço baixo, aumentaria a possibilidade de se derrubar até mesmo o Kindle Fire, fabricado pela Amazon, que em média custa US$ 199 nos Estados Unidos.

Com a possível ideia de que a Apple irá lançar o novo produto, alguns rumores afirmam que o iPad mini teria um valor entre US$ 250 e US$ 300.

Outro rumor indica que é bem provável que a Maçã lance um iPad mini na tentativa de derrubar os tablets de baixo custo que virão equipados com o novo sistema operacional da Microsoft, o Windows RT.

Por Guilherme Marcon


Na última quarta-feira, 12 de abril, a empresa Apple finalmente lançou sua própria ferramenta para remover o trojan Flashback.

O Flashback se baseia numa brecha, encontrada no Java, que permite a instalação discreta do vírus, pois nenhuma informação é solicitada ao administrador do computador.

A solução fornecida pela empresa é a atualização de segurança do Java, sendo que na página de suporte da Apple foi publicado que este upgrade é capaz também de remover as variantes mais comuns do trojan.

A descrição referente à atualização disponível no site da Apple afirma que agora o “Suport para Applets Java” estará desligado nos Macs e mesmo que o usuário venha a ativá-lo manualmente, ele irá desativar automaticamente se ficar muito tempo fora de uso. Para todos os usuários que possuírem Mac com o Java instalado, recomenda-se que façam a atualização do software.

A Apple foi bastante criticada por demorar tanto tempo para produzir uma solução para o problema. Mas antes de publicar a correção, a empresa pediu para que os usuários desativassem o aplicativo Java para que não corressem o risco de ter seu aparelho infectado pelo Flashback.

Por Guilherme Marcon


Desde o final de março, a Apple começou a rejeitar os apps para iPad e iPhone que solicitam o acesso às UDIDs (que são os códigos identificadores de cada aparelho). A decisão já havia sido anunciada no ano passado, buscando evitar que esse recurso pudesse ser utilizado para obter informações pessoais dos usuários.

Muitos desenvolvedores utilizam as UDIDs para levantar as estatísticas do uso dos seus aplicativos, além de coletar informações para serem divulgadas a seus anunciantes. No ano retrasado, em 2010, uma pesquisa indicou que dos 50 apps mais baixados na App Store, 68% transmitiam conteúdo pessoal às empresas anunciantes, que acabou gerando um processo judicial para a Apple.

No início do ano passado, a Maçã ainda teve que enfrentar novamente a justiça, pois ela permitia que o histórico de navegação dos usuários fossem transmitidos a terceiros, sem o consentimento dos consumidores.

Com a decisão da Apple de bloquear os apps que acessam as UDIDs para garantir maior privacidade para seus usuários, os desenvolvedores já estão se mobilizando para encontrar outra forma de coletar as informações dos usuários. Uma das opções encontradas é fazer a identificação via endereço MAC encontrada na placa de rede.

Por Guilherme Marcon


Além da preocupação da Apple quanto ao aquecimento excessivo do iPad, agora surgiu mais um problema: a antena Wi-Fi.

Isso porque recentemente foram feitas várias reclamações de usuários com relação à conexão, o que chamou a atenção da fabricante. Conforme um documento que circulou internamente com os funcionários da AppleCare, a própria Apple vai investigar diretamente as reclamações.

Os usuários vêm alegando a lentidão excessiva e a queda de sinal frequente com relação ao Wi-Fi utilizado no novo tablet da Apple, tanto em downloads quanto em uploads. Estes problemas foram reportados por mais de setecentos usuários do iPad, nos fóruns de suporte da Apple.

A mensagem interna, divulgada pelo site 9to5Mac.com, ainda diz que os funcionários das lojas oficiais devem recolher os equipamentos defeituosos e enviá-los para um dos centros de engenharia da fabricante, local onde o hardware será analisado para que se chegue a uma solução.

Não é a primeira vez que algum aparelho Apple mostra problema com conexão à internet, tendo em vista que no ano de 2010 a fabricante informou que o iPhone 4 teria problemas de conexão com o 3G, afirmando que o sistema operacional iOS era o responsável.

Por Guilherme Marcon


Se não bastassem os problemas já relatados com o novo iPad, pouco tempo depois de ele ser lançado, os hackers da Dev-Team conseguiram fazer o jailbreak no aparelho.

Ao que parece, o chip A5X, que vem equipando a terceira geração do iPad, é vulnerável aos mesmos problemas que o antigo A5, que está no iPhone 4S e no iPad 2.

Por essa vulnerabilidade, os hackers conseguiram desbloquear o novo iPad por meio de três métodos diferentes e publicaram fotos de tal feito, mostrando o Cydia rodando no tablet da Apple.

Mesmo que essa seja uma “boa notícia”, isso não garante que já passará a existir uma ferramenta para desbloquear o seu novo tablet da maçã. Simplesmente, porque agora os hackers começarão a fazer testes de estabilidade, para depois criar uma ferramenta definitiva que faça o processo de hackeamento de forma automatizada.

Somente após todos os testes nos novos iPads confirmarem que não há falhas e problemas com o destravamento, é que os hackers irão liberar para o público a ferramenta para o desbloqueio dos aparelhos comprados.

Por mais que ainda vá demorar algum tempo para lançarem a ferramenta, é provável que esta saia juntamente com o jailbreak para o iOS 5.1 do iPhone 4S e do iPad 2.

Por Guilherme Marcon


O novo iPad da Apple chegou a mais 26 novos países na última sexta, dia 23 de março. O tablet, que foi lançado oficialmente dia 16 de março em alguns países, ainda não tem data de lançamento no Brasil.

Mesmo com as reclamações sobre o novo iPad, o aparelho conseguiu ser sucesso de vendas. Em apenas 3 dias foram vendidos 3 milhões de unidades, isso somente nos Estados Unidos, de acordo com a Apple.

O aparelho possui tela de retina de alta resolução, conexão com internet 4G e poder de processamento gráfico muito maior que suas versões anteriores.

Nessa segunda leva, os países que receberam o iPad foram: Bulgária, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Espanha, República Checa, Grécia, Hungria, Finlândia, Islândia, Irlanda, Itália, Liechtenstein, Macau, Luxemburgo, México, Nova Zelândia, Holanda, Noruega, Portugal, Polônia, Romênia, Eslovênia, Eslováquia, Suíça e Suécia.

Até o momento ainda não foi divulgada nenhuma informação oficial da Apple sobre a chegada do iPad ao Brasil. A última notícia que foi divulgada é de que o novo tablet ainda nem passou pelo processo de homologação da Anatel, fator importantíssimo para que produto chegue ao mercado brasileiro.

Por Guilherme Marcon


Foram relatados alguns problemas de aquecimento anormal no novo iPad. Uma organização norte-americana de defesa do consumidor muito influente está investigando estes relatos.

O grupo Consumer Reports, que realiza testes de carros e eletrônicos, resolveu fazer uma análise no aparelho após surgir alguns comentários na internet de pessoas que teriam adquirido o aparelho e também após ter sido divulgada uma notícia sobre este assunto no site da empresa Apple.

O grupo irá publicar as conclusões em que chegaram ainda está semana, depois de realizar vários testes no aparelho.

Segundo um represente da Apple, o iPad está dentro das especificações térmicas da empresa.

A nova versão do iPad chegou às prateleiras na última sexta-feira, dia 16 de março, e já foram vendidos mais de 3 milhões de unidades.

Em sentido geral, as críticas sobre o novo tablet foram bem positivas. Porém, alguns especialistas dizem que o novo iPad está bem longe de ser revolucionário.

Na sexta-feira antes dos comentários referentes ao calor excessivo do novo iPad, a notícia que circulava na mídia era de que o aparelho estava se revelando o melhor tablet até o momento.

Por Guilherme Marcon


Para os fanáticos pelos equipamentos lançados pela Apple que já estão pensando em trocar o seu iPad 2 pelo 3, que será lançado esta semana nos Estados Unidos e em diversos outros países, uma excelente notícia. A empresa anunciou esta semana um programa de incentivo para que os consumidores comprem o mais novo lançamento da empresa. A Apple fez uma página especial na internet apenas para divulgar esta novidade.

O que a empresa está oferecendo para os clientes que pretendem colocar o seu iPad 2 no negócio são cupons de desconto, que poderão ser utilizados em qualquer loja da Apple na compra de um iPad 3. Utilizando esse cupom que o cliente vai receber, ele poderá trocar o seu tablet antigo e receber um desconto na compra do novo iPad.

Os valores oferecidos vão variar de acordo com o modelo de iPad 2 que o consumidor possui, sendo que o desconto poderá chegar até US$ 320,00. Mas para participar o iPad não poderá ter nenhum defeito e estar em perfeito estado de uso, utilizando o sistema operacional original.

A promoção não é válida para o Brasil.


O mercado dos tablets cresceu muito rápido no Japão, teve um aumento de 3,6% de outubro a dezembro em comparação com mesmo período de 2010.

Nesta sexta-feira, dia 16 de março, começou a ser vendido no Japão o novo iPad, quase um ano depois do lançamento do iPad 2. O novo tablet da Apple chegou às lojas japonesas custando entre 42.800 ienes (US$ 508) e 58.800 ienes (US$ 698).

O público estava com grandes expectativas e enfrentaram longas filas nas portas das lojas da Apple. O primeiro felizardo a adquirir o aparelho foi um universitário japonês que estava na porta da loja desde quarta-feira.

 Às 8h em Tóquio as portas da principal loja da Apple foram abertas com duas horas de antecedência, 450 pessoas aguardavam ansiosamente para comprar o novo modelo do iPad.

As principais novidades do novo tablet da Apple são: uma tela táctil com alta resolução (2.048×1.536 pixels), um processador de quatro núcleos, além de comando de voz e conexão de alta velocidade.

No Japão a Apple domina o mercado e está muito a frente de seu principal concorrente, a Sony.

A Apple espera vender no ano de 2012 cerca de 75 milhões de unidades do novo tablet, é quase o dobro dos tablets comercializados em 2011.

Por Guilherme Marcon


No dia 28 de fevereiro a gigante Apple enviou um convite para integrantes da mídia, como jornalistas de vários veículos. O convite chamava-os para um evento que a empresa irá proporcionar no dia 07 de março, em  São Francisco (EUA).

Os rumores são em relação ao lançamento do iPad 3. Mas não é para menos, tendo em vista que o convite veio com uma imagem do iPad e com a frase: "Nós temos algo que você realmente precisa ver. E tocar".

Se for verdade, a Apple estará cumprindo com os lançamentos anuais de aparelhos, pois o iPad 2 foi lançado em março de 2011. O bom de tudo é que a Apple lança os aparelhos no mercado muito rápido após anunciá-los para a mídia.

Mesmo a empresa não dando nenhum detalhe sobre o motivo do encontro com a mídia, ela quis dar grandes indícios – já para gerar especulações, é claro – de que é algo relacionado ao suposto lançamento da terceira geração do iPad. Principalmente pelo encontro acontecer onde a Apple já realiza grandes lançamentos: Yerba Buena Center for the Arts, em São Francisco (EUA).

Só nos resta aguardar a confirmação do que será divulgado, faltam poucos dias!

Por Guilherme Marcon


Uma informação não oficial, porém de boa procedência, andou causando furor entre os geeks e applemaníacos mundo afora. O site All Things D publicou no último mês que a Apple estaria pronta para mostrar ao mundo seu novo e aguardado filhote, o iPad 3.

Segundo o site, a Apple vai lançar seu novo tablet na primeira semana de março, na cidade de São Francisco (Califórnia).

Entre as novidades do novo iPad,  estaria uma tela com resolução de 2.048 x 1.536 pixels, semelhante à Retina Display do iPhone 4 e 4s.

Outra novidade poderá ser a presença de uma bateria com maior capacidade, o que pode deixar o aparelho um pouco mais grosso que seu antecessor, com cerca de 1 milímetro a mais. Apesar disso, dizem que as bordas do novo iPad estariam mais finas.

É esperado que o novo tablet da Apple venha com um chip gráfico melhor do que o atual A5 e com um processador de dois núcleos, que promete mais potência.

Outro boato divulgado por sites especializados é de que o novo iPad 3 teria uma câmera de 8 megapixels. Vale lembrar que atualmente o aparelho possui uma câmera traseira de apenas 0.7 MP e outra frontal VGA.

Por Simone Lima


É evidente que a Microsoft não pretende ficar para trás no mercado de tablets. Por isso, rumores indicam que será lançada uma versão do Microsoft Office para o iPad.

De acordo com o The Daily, por mais que a Microsoft tenha negado que tenha feito uma proposta, fontes próximas ao jornal afirmam que o aplicativo será enviado à Apple para aprovação em breve.

A interface do suposto aplicativo é semelhante ao OneNote, porém com o mesmo visual do Windows Phone e do futuro Windows 8. Além disso, outras fontes indicam que a Microsoft não está pensando no Office para Android e que uma atualização do OneNote iOS será lançada para refletir a linguagem de design Metro.

Não há datas oficiais para o lançamento dos aplicativos, mas de acordo com o jornal, isso pode acontecer nas próximas semanas.

A Microsoft se pronunciou sobre o assunto em seu perfil no Twitter e disse que as informações do The Daily estão precipitadas e as fontes do jornal estão passando informações falsas. Apesar disso, os jornalistas do The Daily confirmam as informações e disseram que um funcionário da própria Microsoft exibiu o funcionamento do aplicativo para o iPad.

Por Guilherme Marcon


De acordo com o site Ubergizmo, a Apple deve lançar no segundo semestre deste ano as novas versões do Mac Pro.

Segundo o site, o processador presente nos novos computadores será o Ivy Bridge da Intel. Já as placas gráficas presentes no aparelho serão substituídas pelas placas da Nvidia, o motivo desta substituição se deve aos problemas ocorridos na parceria com a AMD.

As novas placas gráficas da Nvidia, chamadas Kepler, ainda vão estrear no mercado. Já devido aos problemas de aquecimento que os computadores Apple tiveram, e tendo em vista que a Intel divulga que seus processadores atuais possuem cerca de 30% mais eficiência no consumo de energia (reduzindo o calor dissipado pelo computador), a utilização do modelo Ivy Bridge de processador é a melhor opção.

Conforme o site M.I.C Gadget, os produtos Intel e Nvidia ajudarão a Apple a manter a sua vantajosa margem de lucro com a linha Mac, isso talvez nos mostre que os preços dos novos computadores sejam similares às versões anteriores.

Por Guilherme Marcon


Com a febre mundial do iPad, nada mais justo do que a Apple lançar um modelo novo a cada ano, não é? O lançamento do iPad 2 aconteceu no ano passado e cerca de sete dias depois, o aparelho já estava disponível para compra.

Não há pronunciamento oficial da Apple sobre o assunto, mas a espera pelo novo modelo pode estar chegando ao fim. Conforme o site Repair Labs – e sua divulgação da imagem da parte traseira do iPad 3 – o novo aparelho terá uma bateria maior e a sua câmera terá um novo layout.

As especulações são inúmeras, porque afinal de contas todos esperam com ansiedade pelo novo iPad da queridinha Apple. E, assim, são muitos os boatos feitos em torno do aparelho, e o que todos indicam é que a aparência será similar ao do antecessor, o iPad 2, porém com muito mais rapidez e melhoria no processamento gráfico, e também a nova tela com Retina Display  terá resolução de 2048 x 1536.

Agora só nos resta aguardar para saber se 2012 será o ano do novíssimo iPad3.

Por Guilherme Marcon


De acordo com o site PC Mag, foram feitos testes comparativos entre a versão Windows 8 Developer Preview – que por sinal é menos que uma versão beta, de tão “simples” que está até o momento – e o sistema operacional da poderosa Apple, o Mac OS X Lion. E, por incrível que pareça, a versão iniciante do Windows 8 conseguiu superar a versão atual da Apple em velocidade – e também outros critérios.

A própria PC Mag aplicou os testes nos dois sistemas operacionais utilizando o mesmo computador, sendo que um dos primeiros resultados foi que o Windows 8 utilizou menos memória (apesar de estar em um nível equivalente ao desempenho do Mac OS X Lion), além de inicializar mais rapidamente.

A máquina utilizada nos testes foi um MacBook Pro com Core i7, de 4Gb de  RAM e 2,2 GHz, e em questão do tempo levado em inicialização e desligamento, o sistema da Apple demorou 31 segundos e 03 segundos, respectivamente, já o Windows demorou 26 segundos e 16 segundos respectivamente.

Outros testes aplicados foram ripar um CD no iTunes, navegação na internet e aceleração de hardware. E, apesar de o Windows 8 ainda estar longe de ser concluído, ele ficou a altura do Mac OS X Lion nesses testes, o que nos mostra, talvez, que essa versão do sistema operacional veio para potencializar grandiosamente o Windows.

Por Guilherme Marcon


O iPad não fica estagnado mesmo. Um novo aplicativo chamado EndoSync, que será lançado em março para o aparelho da Apple, irá colaborar com os médicos para que estes vejam dentro do organismo dos seus pacientes.

Principalmente focando as endoscopias, exames muito comuns, que agora terão o auxílio do iPad, pois com um pequeno transmissor acoplado na câmera utilizada no procedimento, esse novo aplicativo ajudará na melhor visualização das imagens capturadas.

É incrível o quanto a tecnologia cada vez mais avança e também nos auxilia em tratamentos e outras questões de saúde, e não somente em lazer e entretenimento.

Além de tudo, havendo conexão Wi-Fi, o aplicativo envia as imagens instantaneamente para algum tablet que possua o aplicativo intitulado eGoPad instalado. Assim, os médicos poderão, além de ver as imagens capturadas, aproveitar o “novo equipamento médico” para auxiliar nos diagnósticos.

Mas não fica somente nisso, a evolução é tamanha que o novo EndoSync é capaz de se conectar a mais de um aparelho ao mesmo tempo, fazendo com que, talvez, a equipe médica inteira possa conferir em tempo real as imagens e os diagnósticos.

Por Guilherme Marcon


Embora as negociações tenham se arrastado desde o ano passado, agora já está confirmado, a Foxconn terá duas fábricas no Brasil.

A Foxconn é conhecida mundialmente por montar os produtos da Apple e por produzir telas sensíveis ao toque. De acordo com o então Ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aloizio Mercadante (que agora é Ministro de Educação), o investimento para a instalação das fábricas será de aproximadamente US$ 4 bilhões.

Ainda segundo o ministro, os investimentos serão do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e da própria Foxconn, que não entrará só com a tecnologia.

O primeiro passo para o início da produção foi dado hoje, com a publicação da liberação do Governo Federal no Diário Oficial.

A fábrica será inaugurada em Jundiaí, no interior de São Paulo.

Ainda não há previsão de data para o começo da fabricação, mas a expectativa é que até o meio do ano a fábrica já esteja produzindo iPads e iPhones.

A instalação da empresa no Brasil gerará muitos empregos, além de deixar os produtos a preços mais acessíveis aos brasileiros.

Fonte: Agencia Brasil

Por Jéssica Posenato


A Apple planeja utilizar baterias de hidrogênio em futuros produtos. Desta forma, seus aparelhos, como iPhone, iPads e notebooks, teriam capacidade de funcionar durante semanas sem a necessidade de recarga.

A tecnologia utiliza a conversão de hidrogênio e oxigênio em água e energia elétrica, e é a mesma utilizada nos carros elétricos.

Não foram anunciados detalhes sobre como a tecnologia será aplicada nos dispositivos da Apple, porém, segundo o jornal "The Telegraph", a empresa já registrou duas patentes no Patent and Trademark Office. Os nomes das patentes são: “Fuel Cell System Coupled to a Portable Computing Device” e “Fuel Cell System to Power a Portable Computing Device”.

Segundo o documento enviado ao escritório, a empresa afirma que a dependência dos EUA em relação aos combustíveis fósseis e seus países produtores levará a uma crescente conscientização e desejo dos consumidores por fontes alternativas de energia. A dependência energética dos EUA é considerada uma das maiores ameaças à segurança nacional.

A tecnologia é ecologicamente correta e deixará os aparelhos mais leves. Não há nenhum anúncio oficial em relação à data de lançamento dos produtos com a nova tecnologia.

Por Lucas Ferreira


Os fãs brasileiros de todos os gêneros musicais podem finalmente baixar suas músicas prediletas, pagando por isso, é claro.

A Apple anunciou nesta terça-feira (13/12/2011) o lançamento da loja virtual mais esperada do momento, o iTunes Store. Por lá, serão vendidos álbuns inteiros com preços em dólar, como também poderão ser comprados filmes ou até mesmo alugados.

A maior parte das músicas será vendida a US$ 0,99 (o mesmo valor cobrado nos EUA), enquanto os álbuns custarão em torno de US$ 9,99. Já o aluguel de um filme pode custar entre US$ 2,99 e US$ 3,99, caso você queira comprar o mesmo, o valor sobe para US$ 14,99.

Os usuários do iPad, iPhone e iPod poderão baixar canções de artistas das grandes gravadoras, como a Sony, Universal e Warner. E para os apaixonados pela música brasileira, poderão encontrar Roberto Carlos, Marisa Monte, Maria Bethânia, entre outros.

O iTunes Store tem feito um enorme sucesso, para se ter uma ideia, a loja possui um acervo com mais de 14 milhões de músicas e já vendeu mais de 10 bilhões de canções desde sua criação, em 2003.

Para obter mais informações sobre o iTunes Store, acesse o site da Apple.

Por: Dorcas Rosicler


O site taiwanês DigiTimes afirmou nesta quinta-feira (3 de outubro) que a Apple deve lançar em março do ano que vem uma nova versão do iPad 2. O veículo noticioso não cita nome de fontes, mas garante que a informação vem de fornecedores da empresa, que preferiram manter o anonimato.

Segundo o site, o novo tablet deve ser mais fino e ter uma duração mais longa para a bateria. Novidades verdadeiras, como novo sistema e avanços tecnológicos, no entanto, devem ficar apenas para o iPad 3, que provavelmente chega ao mercado no último trimestre de 2012.

O site diz ainda que o novo modelo deve ser fabricado apenas para não parar a produção, pois no momento o mercado não vê necessidade de um novo tablet, já que o iPad 2 ainda é o mais popular do mundo.

A Apple é uma das mais tradicionais empresas de tecnologia do mundo, famosa pelo tablet iPad e pelo smartphone iPhone. A companhia teve lucro recorde no trimestre fiscal de julho a setembro deste ano.

Recentemente a Apple perdeu um de seus principais inventores, o cofundador Steve Jobs, que faleceu em 5 de outubro.

Por Mozart Artmann


A Apple anunciou o lançamento das novas versões de sua linha de notebooks Macbook Air. Os novos modelos, conhecidos por sua pequena espessura e leveza ganharam novas opções de processadores Intel Core i5 e i7. A nova linha foi atualizada para oferecer melhor desempenho. Com clocks de até 1,8 Ghz os modelos prometem velocidades 2,5 vezes maiores que as da sua geração anterior.

Os novos Macbook Air já trazem a versão mais recente do sistema operacional Mac OS X (conhecido como Lion). Além disso, a linha traz conexões avançadas como a Bluetooth 4.0 e a nova porta de alta velocidade Thunderbolt (20 vezes mais rápida que a USB 2.0). Outra novidade interessante é o novo teclado retroiluminado, que permite a utilização dos portáteis em ambientes com pouca luz e vem com sensores capazes de ajustar a iluminação das teclas automaticamente.

Os modelos contam ainda com Wi-Fi, slot de cartão de memória, 2 portas USB e webcam para comunicação via FaceTime. A bateria dura cerca de 7 horas.

Disponíveis no Brasil, os novos Macbook Air tem preços a partir de 2.999 reais na loja online da Apple.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: Apple


A Apple começa a vender o iPad2 em vários países europeus mais o Canadá, México, Austrália e Nova Zelândia nesta sexta-feira, 25 de março, mesmo não tendo estoque o suficiente nos Estados Unidos. Os americanos fazem filas nas lojas e geralmente saem sem o sonhado produto. Quando o pedido é feito pela internet, a espera é de até 5 semanas para se ter um iPad2 em casa.

No entanto, a Apple não abre mão de começar a sua venda internacional, que seguirá o mesmo padrão da americana: as lojas começarão as vendas às 17 horas local de cada país e o iPad custará a partir de US$500.00. Em abril, a empresa pretende comercializar o aparelho na Ásia também, incluindo Coréia do Sul, Hong Kong e Cingapura. O lançamento do Japão estava previsto para o dia 25 também, mas devido ao terremoto e ao tsunami que devastaram o país, ele foi adiado e não há previsão para o acontecimento no país.

No mundo todo, há grandes expectativas com relação ao iPad2, que tem agora duas câmeras, está mais rápido e fino. As pessoas não vêem a hora de ter um em mãos para experimentar essa nova tecnologia da Apple. 

Por Flávia Yoshitani


A Apple afirma que a sua segunda geração de tablets, o iPad 2, será lançado em mais de 25 países do mundo no próximo dia 25 (sexta-feira). Os tablets estarão disponíveis com preço inicial de US$ 500.

Os países que começarão a comercializar o tablets são: Alemanha, Canadá, Áustria, Austrália, Espanha, Bélgica, Finlândia, Dinamarca, França, Holanda, Grécia, Hungria,Irlanda, Luxemburgo, Islândia, México, Itália, Nova Zelândia, Portugal, República Checa, Polônia, Noruega, Suécia, Reino Unido e Suíça.

Em cada país as compras estarão disponível na Apple Store, nas lojas físicas da Apple ou nas lojas autorizadas.

Outros países como Hong Kong, Coreia do Sul e Singapura terão a venda do Ipad 2 disponíveis no mês de abril.

Vale a pena dizer que o Ipad 2 vendeu 1 milhão de unidades em 3 dias. Enquanto que a versão anterior levou 28 dias para vender a mesma quantidade.

Por Leiliane Lopes


Além de toda a tragédia que envolve as pessoas no Japão, devido aos terremotos e tsunamis, outro ponto pode ser afetado neste momento: a fabricação do iPad 2.

Quem demonstra tal preocupação é o relatório divulgado pela iSuppli, o qual acusa que a produção de alguns componentes pode estar comprometida. Algumas fabricantes do aparelho já informaram que vão interromper a produção devido aos acontecidos na última semana.

Observando o relatório, ele nos mostra que são cinco os componentes importantes para a produção do iPad 2 e que vem diretamente do Japão, são eles: a memória DRAM, que tem sua fabricação pela empresa Elpida; a NAND Flash, da Toshiba; a Asahi Glass que fornece o vidro que fica sob a tela; uma bússola eletrônica desenvolvida pela AKM, além do sistema de bateria com produção da empresa Apple Japan. O problema não é tanto com as empresas, pois tiveram problemas diretos com os acontecidos, mas sim de toda a logística que acomete destas peças saírem do Japão para outros lugares.

Para outras informações, acesse o relatório emitido pela iSuppli.





CONTINUE NAVEGANDO: