Dicas para economizar a bateria do Notebook



  

A possibilidade de se economizar energia nos aparelhos portáteis, embora se pareça uma tarefa difícil pode ser simples. Muitos sabem que a bateria de um notebook pode durar pouco, porém algumas dicas já permitem que o uso da bateria possam se tornar mais constantes.

O primeiro passo é ficar de olho na hora da compra. Verifique junto ao vendedor as principais características e detalhes sobre a bateria que acompanha o notebook. Os modelos mais modernos apresentam baterias compostas por íons de lítio, também chamadas de baterias de lítio.

As baterias de lítio possui uma tecnologia especial que as tornam mais leves e geralmente não costumam "viciar". Não é possível ter uma precisão quanto ao tempo de vida útil de uma bateria e, por mais que seja nova, ela pode variar e sua resistência acaba dependendo do tipo de uso que se faz do aparelho.

O uso simples do notebook como ler e editar textos em máquinas mais básicas, garante que a bateria possa durar mais. Já o uso de programas mais pesados, como editores de imagem e vídeo, ou até mesmo jogos com configurações avançadas, fazem com que bateria durem muito pouco. Por isso é necessário saber avaliar as tarefas que serão executadas em uma máquina portátil, antes de efetuar a compra. 





Seguem algumas dicas para aumentar a vida útil das baterias: Escurecer a tela do notebook ajuda na economia de energia; A opção de energia deve ser personalizada de acordo com cada sistema operacional; Evite não conectar outros dispositivos móveis sequencialmente; Efetuar a limpeza geral nos arquivos do notebook também ajuda (e muito) na economia de energia;

Nunca deixar o equipamento exposto ao sol ou ao calor excessivo é uma ótima preventiva já comprovada; Nunca recarregar a bateria sem que ao menos o sinalizador represente 20% ou 30% restantes: Muitas vezes pecamos em querer prevenir que a bateria se acabe e conectamos o carregador antes do tempo indicado. O procedimento faz com que as garantias de qualquer bateria se tornem inválidas, além de ficarem sujeitas ao vício de eletricidade.

Por Luciana Ávila



Compartilhar:

Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *